Fresca? Não! Bem criada.

Sessão Pipoca

12
set

Para sonhar: 6 filmes que se passam em Paris!

Paris é considerada a cidade do amor, das luzes e também dos sonhos! Com um charme estonteante e cartões postais monumentais, a capital francesa convida quem a visita a se desligar da realidade e embarcar em cenários dignos de filmes românticos!

E falando em filmes, inúmeros diretores e cineastas já criaram enredos que possuem a cidade luz como palco de suas aventuras. No post de hoje trouxemos alguns exemplos desses longa metragens que nos transportam para Paris! Vamos lá?

1 – O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001)

Um clássico francês! Amélie é uma jovem do interior que se muda para Paris e logo começa a trabalhar em um café. Num belo dia, ela encontra uma caixinha dentro de seu apartamento e decide procurar o dono. A partir daí, sua perspectiva de vida muda radicalmente.

 

2 – Meia noite em Paris (2011)

Gil Pender é um jovem escritor em busca da fama. De férias em Paris com sua noiva, ele sai sozinho para explorar a cidade e conhece um grupo de estranhos que são, na verdade, grandes nomes da literatura. Eles levam Gil a uma viagem ao passado e, quanto mais tempo passam juntos, mais o jovem escritor fica insatisfeito com o presente.

 

3 – Antes do Pôr do Sol (2004)

Um escritor e uma ambientalista, que se conheceram em um trem nove anos atrás, reencontram-se em Paris. Apesar de ambos estarem comprometidos com outras pessoas, percebem que ainda existe um forte sentimento entre os dois.

 

4 – Cinderela em Paris (1957)

Depois de muita busca, o fotógrafo Dick Avery encontra Jo Stockton, sua modelo perfeita. Ela é uma jovem tímida e linda, que é levada para Paris para brilhar e deixar o rival do fotógrafo morrendo de inveja.

 

5 – Piaf – um hino ao amor (2007)

Nascida na pobreza e criada em um bordel, Édith Piaf tem como meta ser famosa pelo mundo todo. Apesar de sua extraordinária voz e carisma abrirem várias portas que a levam a muitas amizades e romances, ela passa por experiências ruins, sofre perdas pessoais, torna-se viciada em drogas e morre jovem.

 

6 – Paris, Te amo (2006)

O filme é composto por dezoito histórias que se passam em Paris. Em uma delas, um homem considera deixar a esposa para ficar com a amante.

11
jun

Filmes sobre a Califórnia

Como muitos sabem, recentemente anunciei meu próximo destino dos sonhos: a Califórnia!
Por lá fico alguns dias dos meses de junho e julho e aproveito para me dedicar aos estudos, conhecer lugares novos e também me aventurar, já que dessa vez viajo completamente sozinha!

Enquanto o dia de subir no avião não chega, fico por aqui coletando inspirações e animada para desvendar cada canto dos lugares que passarei!

Uma excelente maneira de introduzir a vibe dessa viagem é através dos filmes, neles conhecemos histórias que têm o meu lugar de destino como palco e assim consigo me enxergar lá e me empolgar ainda mais para esse momento!

Portanto, no post de hoje trago algumas dicas imperdíveis de filmes que se passam na Califórnia!

 

1 – Milk

Milk conta a história de Harvey Milk, o primeiro homem declaradamente homossexual a ocupar um cargo político nos EUA, na Califórnia. O filme mostra a trajetória do ativista até chegar à posição de Supervisor da Cidade de São Francisco, cargo de grande importância na década de 70, e sua luta por oportunidades, direitos iguais e o fim da discriminação sexual.

 

2 – Sideways 

Vinho e comida boa nas vinícolas da Califórnia. Miles Raymond (Paul Giamatti) ama vinhos e dá de presente de despedida de solteiro ao seu amigo  Jack (Thomas Haden Church)  uma viagem pelas vinícolas do Vale de Santa Inez, em Santa Bárbara, na Califórnia, de Lompoc a Los Olivos. Eles se envolvem com duas mulheres e tudo acaba mudando na vida dessa dupla.

 

3 – Diário da Princesa

Filme de estreia nos cinemas da atriz Anne Hathaway, o Diário da Princesa retrata a história de uma garota de 15 anos que vive com a mãe na Califórnia e descobre que na verdade é herdeira de um trono de um pequeno país europeu. A avó, que é a rainha, vem em sua busca para que a neta ocupe o trono. Em meio às aulas de etiqueta e aprendendo ainda em como se portar como princesa, Mia precisa decidir se é realmente este o destino que pretende para si mesma.

 

4 – O amor não tira férias

Iris Simpkins (Kate Winslet) escreve uma coluna sobre casamento bastante conhecida no Daily Telegraph, de Londres. Bem longe dali, em Los Angeles, está Amanda Woods (Cameron Diaz), dona de uma próspera produtora especializada em trailers de filmes. Após desilusões amorosas, as duas se encontram num site que promove intercâmbio de casas. Logo a mudança trará reflexos na vida amorosa de ambas – Iris conhece Miles (Jack Black), um compositor de trilhas para cinema que trabalha com Ethan, e Amanda se envolve com Graham (Jude Law), irmão de Iris.

 

5 – Uma linda mulher

Durante uma viagem de negócios a Los Angeles, Edward (Richar Gere), um executivo que compra e fragmenta empresas para vendê-las, encontra a prostituta Vivian (Julia Roberts). Edward a contrata para ficar com ele durante uma semana a fim de acompanhá-lo nos jantares de negócios. Os dois se aproximam e descobrem que há vários obstáculos para serem superados até que possam unir seus mundos tão diferentes.

 

6 – As patricinhas de Beverly Hills

Superficial, rica e socialmente bem-sucedida, Cher é a garota mais popular de sua escola, em Beverly Hills. Ela decide fazer boas ações e começa bancando o cupido para dois professores do colégio que, eventualmente, começam a namorar. Empolgada com o resultado, Cher resolve fazer uma transformação em uma nova estudante um pouco cafona. Mas quando a amiga se torna mais popular do que ela, a menina rica fica decepcionada.

 

7 – La la land

O pianista Sebastian conhece a atriz Mia, e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva Los Angeles, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo, enquanto perseguem fama e sucesso.

05
mar

A voz das mulheres no Oscar 2018

Almejamos o dia em que poderemos afirmar com plena certeza que não existe em lugar nenhum no mundo desigualdade entre homens e mulheres. Para uns isso pode soar como utopia, para outras é o foco de uma luta diária.

Essa conquista é fruto de um trabalho dado a passos lentos, miúdos, mas com muito significado. Ter mulheres retomando seu lugar de fala em diversas áreas profissionais e na mídia, é um exemplo e tanto do quanto somos poderosas.

No cinema e em premiações como o Globo de Ouro esse ano, atrizes se fizeram ouvir diante dos inúmeros casos de abuso na indústria do entretenimento. Em protesto muitas usaram a cor preta em seus vestidos, lembrando que o tempo de homens machistas e misóginos acabou! Na 90ª cerimônia de entrega do Oscar não poderia ser diferente. Lá estávamos nós, novamente, reafirmando nossa voz.

A começar pelos enredos dos filmes indicados, contamos histórias de mulheres plurais que romperam padrões, buscaram justiça e alçaram vôos. Nas indicações também conquistamos lugares, como Greta Gerwig, diretora de Lady Bird, única figura feminina a concorrer em Melhor Direção e quarta a ser nomeada na categoria em toda a história.

Thimothée Chalamet, Saoirse Ronan e Greta Gerwig no set de Lady Bird

Além de Greta, tivemos indicações de Mary J. Blidge como Atriz Coadjuvante e autora de Melhor Canção Original, Rachel Morrison como única mulher a concorrer Melhor Fotografia por Mudbound e Agnés Varda, diretora do documentário Visages, Villages e a pessoa mais velha a concorrer em todas as categorias.

Mary J Blige

Rachel Morrison

Agnés Varda

Os looks do red carpet também tiveram papel importante no quesito representatividade. A atriz de Pantera Negra Lupita Nyong’o fez referências ao país fictício de Wakanda em seu vestido Versace e ao estilo de corte de cabelo Amasunzu, típico de Ruanda.

Já a atriz Rita Moreno, símbolo da latinidade nos anos 60, provou que repetir o look é sempre uma boa ideia ao usar o mesmo vestido de quando ela recebeu o oscar em 1962.

atrizes do filme Pantera Negra, Lupita Nyong’o e Danai Gurira

Referência Amasunzu

Rita Moreno em 2018 e 1962

Por fim, a noite de premiações ganhou ainda mais sentido quando Frances McDormand ganhou o prêmio de Melhor Atriz por sua impecável atuação no filme Três Anúncios para Um Crime. Em seu discurso, ela falou sobre inclusão feminina na indústria cinematográfica e convidou todas as mulheres indicadas a ficarem de pé. Para entender melhor sobre a beleza desse momento, segue o vídeo:

“Eu ficaria honrada se todas as mulheres indicadas a prêmios hoje ficassem de pé comigo agora. Maryl, se você fizer, todo mundo vai. Cineastas, produtoras, roteiristas, fotógrafas, todo mundo, compositoras, designers…Vamos lá! Agora olhem à sua volta. Todas nós temos histórias pra contar e projetos que queremos financiar. Caras, não falem sobre isso na festa hoje, mas nos chamem amanhã para os seus escritórios e vamos falar tudo sobre esses projetos. Eu tenho duas palavras: Cláusula de inclusão!”

Cláusula de inclusão ou inclusion rider significa incentivar e exigir em seu contrato que haja pluralidade de gênero, orientação sexual e etnia nos filmes que você pretender participar.

Depois de uma fala tão forte como essa, é impossível negar que a noite do Oscar foi inteira sobre nós mulheres! Ainda que pequenas, essas transformações são primordiais quando falamos de inclusão. E diante de tantos momentos poderosos assim, tomamos fôlego e inspiração para seguir lutando pelo nosso espaço e pela nossa voz. Vamos todas juntas!

Elisa Santiago é Designer de Moda e uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.

 

20
fev

Dicas de filmes sobre a Itália

Uma das coisas que mais me inspira e me anima a traçar novos roteiros e planejar viagens são os filmes que eu assisto! Belas paisagens, um enredo que se mistura ao cenário, aquela fotografia de tirar o fôlego…filmes possuem o poder de nos teletransportar para um universo lúdico e encantador.

Pensando nisso e nas várias produções cinematográficas que já me inspiraram a rodar o mundo, hoje trago algumas sugestões de filmes que se passam na linda e envolvente Itália! Para quem está planejando uma viagem ou para quem quer só se divertir, vale a pena conferir a lista!

Para Roma com amor – Woody Allen

Quatro histórias que se cruzam de maneira divertida e irônica, tendo como pano de fundo a inconfundível cidade de Roma!

Comer, Rezar e Amar – Ryan Murphy

Liz Gilbert, interpretada por Julia Roberts decide largar a vida convencional para viver experiências a flor da pele ao redor do mundo. Na Itália ela experimenta os mais diversos sabores da tão tradicional culinária do país.

Cartas Para Julieta – Gary Winick

Em visita à cidade italiana de Verona com seu noivo sempre atarefado, a jovem Sophie visita o muro onde os desiludidos deixam cartas para a heroína de Shakespeare, Julieta Capuleto. Ao encontrar uma dessas cartas, de 1957, a jovem decide escrever à autora, Claire. Inspirada pela atitude de Sophie, Claire decide procurar por seu antigo amor.

Beleza Roubada – Bernardo Bertolucci

Após a morte da mãe, Lucy viaja a Itália para reencontrar velhos amigos, mas acaba se envolvendo com um amor antigo enquanto desvenda pistas sobre o então falecimento.

Cópia Fiel – Abbas Kiarostami

James Miller é um filósofo inglês que viaja para uma pequena cidade na Itália para apresentar seu livro sobre o valor da cópia na arte. Chegando lá, conhece a dona de uma galeria de arte, que vive com seu filho, e assim os dois entram em uma relação afim de discutir os limites do amor.

Me Chame Pelo Seu Nome – Luca Guadagnino

Com três indicações ao Oscar 2018, o filme sa passa numa Itália dos anos 80 onde o jovem Elio está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais. Mas tudo muda com a chegada de Oliver, um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai.

16
ago

Sessão Pipoca: As mulheres da série Mad Men

Poucas vezes vemos uma produção cinematográfica inspirar tanto o mundo fashion, com aconteceu na série Mad Men.

O figurino foi de grande destaque durante toda a série e repercutiu tanto no mundo da moda, que já rendeu prêmios, como o Costume Designers Guild Awards e  Melhor Figurino de Época/Fantasia. Sem falar na coleção de Michael Kors inspirada nela.

Hoje trago então a inspiração de 4 personagens importantes: Betty, Peggy, Megan e Joan. 

Cada uma com um estilo único, todos caracterizados nos anos 60  e 70, em um ambiente de escritório e restaurantes. É muita inspiração!season-7

Betty Draperbetty1A mais clássica de todas, Betty tem um estilo bem ladylike, onde as saias rodadas e cinturas marcadas aparecem em tons claros e florais.betty2 betty3 betty4 betty5 betty7

Peggy Olsenpeggy2Peggy gosta que seu estilo reflita sua personalidade, que é de uma mulher dedicada, profissional e inteligente. Gosta de cores mais sóbrias, usa modelos mais fechados e discretos.

Style: "Mad Men"

peggy3

Peggy Olson (Elisabeth Moss) - Mad Men _ Season 7, Gallery - Photo Credit: Frank Ockenfels 3/AMC

peggy5 peggy6

Joan HollowayJoan Holloway (Christina Hendricks) - Mad Men - Season 2 - Photo Credit: Frank Ockenfels/AMCJoan é bem curvilínea e exalta sensualidade, sempre usando modelos que valorizam suas curvas. Usa muito tons terrosos e avermelhados, ressaltando ainda mais seus cabelos ruivos.CHRISTINA HENDRICKS at Mad Men Season 5 Promo Shoot

Style: "Mad Men"Joan Holloway (Christina Hendricks)

joan4 joan5 joan6

Christina Hendricks as Joan Harris - Mad Men _ Season 7, Episode 3 - Photo Credit: Michael Yarish/AMC

Style: "Mad Men"

joan-holloway-mad-men1

Megan Draper 

Megan Draper (Jessica Pare) - Mad Men _ Season 7, Gallery - Photo Credit: Frank Ockenfels 3/AMC

O estilo de Megan é a cara dos anos 70: meia arrastão, botas over the knee e calças boca de sino. Fashionista, ela usa e abusa de cores e tons fortes e muitas estampas. 50926197 Actors Jon Hamm and Jessica Pare film a wedding scene for their hit TV show 'Madmen' on the beach in Maui, Hawaii on October 24, 2012. FameFlynet, Inc - Beverly Hills, CA, USA - +1 (818) 307-4813

megan8

Jessica Pare as Megan Draper - Mad Men _ Season 7, Episode 1 - Photo Credit: Michael Yarish/AMC

megan6 megan7