Fresca? Não! Bem criada.

Viagens

01
jul

Lembranças de tempos bons

 Gente, há alguns dias minha QUIRIIIIIIDA homestay mother (“mãe canadense”) Celia, enviou-me um e-mail com algumas fotos do último e recente inverno canadense. O título do e-mail era: Greetings from white Canada! E realmente o que se pode ver são imagens com uma vasta coloração branca cobrindo todas as paisagens. É de arrepiar.. (de lindo e de frio..rs)









Essa é para os “biriteiros de plantão”



Essas lembranças me dão taaaaanta saudade do período em que morei por lá. E não pensem que se tratam de montagens, pois não, não é! Eu bem sei!! Passei três meses morando na cidade de Toronto, Canadá, e senti, literalmente, na pele, o frio que as fotos registram. Eu peguei um dos invernos mais “ferozes” dos últimos tempos e, para vocês terem uma ideia, era comum eu ir para a aula (já que assistia ao jornal cedinho para ver o que me esperava em termos de clima) debaixo de -15º/-20º. Achei que não sobreviveria, de verdade..E como se já não fosse suficiente – mas aí foi um dia só específico em Québec – cheguei a pegar -30º, com sensação térmica (frio + vento) de -40º. CHO-CAN-TE! E é de duvidar mexxxxxxxxxmo!Mas não, podem acreditar, pois eu jamais postaria aqui algo que não fosse verdade.Então, para provar o que estou falando, relembro aqui alguns desses “momentos de congelamento” por que passei.. Brrrrrrr

Esse foi meu primeiro dia de aula: tipo, QUEQUEISSO???? Mas era mesmo a pergunta que devia me fazer quando acordava e colocava meu narizinho (a esta altura, já roxo e congelado) para fora de casa!

 

Um boneco, no caso, boneca, de neve (HORROROSA por sinal)

 

Estão vendo como não são falsas as imagens acima?

 

TENTANDO esquiar em Blue Mountain (mais tentei do que consegui)

 

Floquinhos de neve… que saudaaaaaaaade

 

Ice Hotel (construído todo ano e derretido todo ano) em Québec: o fatídico dia dos -40º!!!

 

A plantinha, pobrezinha, congeladinha (Niagara Falls)

 

20
jun

Foz do Iguaçu – Especial: Argentina (Puerto Iguazú)

Mil desculpas! Prometi aqui que finalizaria a saga “Foz do Iguaçu” com um post sobre a Argentina-via Foz, e adivinhem: sisiquiciiiiii. Mas, como se diz, antes tarde do que mais tarde, cá estou eu para honrar meu compromisso. Pois então, tendo falado de Ciudad del Este, no Paraguai, e de Foz, só faltava Puerto Iguazu, na Argentina.

Fronteira/divisa

Puerto Iguazu na Argentina fica a uns 10, 15 minutinhos de carro do centro de Foz e é uma cidade bem pequenininha (a menor das três da tríplice fronteira). Apesar do marasmo que aparenta, nos finais de tarde/início de noite há trânsito, tráfego, engarrafamento, filas e mais filas disputando os bons preços e as boas carnes dos restaurantes, o preço da gasolina, o preço dos vinhos argentinos nos mercadinhos, etc, etc. A cidade me encanta pelos seus mercadinhos, vendinhas, lojinhas vendendo alfajores, vinhos, espumantes, queijos, cervejas, tudo, a preço de banana a pesos argentinos (mas também convertem para dólar ou real). A cidade oferece ainda ótimos resturantes, bares, cassinos e uma vida noturna bem animada.

Essa rua é uma das mais movimentadas em termos de restaurantes/bares/agitos

Falando especificamente dos restaurantes, já fui a três e super indico os três: Aqva, El Quincho del Tio Querido e La Rueda.
Tem também o restaurante do Hotel Amerian e o restaurante do Hotel Loi Suites Iguazu (finíssimo!!). Não fui, mas já ouvi falar muito bem. Há ainda uma feirinha ao ar livre que vende queijos, conservas, pimentas, bebidas e é óooooootemo para sentar e tomar uma cervejinha uma água, no meu caso, no fim de tarde. Fora os bares de montão espalhados pela cidade.

Fachada do Aqva

Na sequência, uma foto dentro do restaurante, os pratos servidos no Aqva + entradinha. Sorry, mas como já faz um tempinho, não lembro as descrições.





Aqui algumas fotinhas do El Quincho del Tio Querido.



Por fim, o La Rueda. Não tenho fotos dos pratos :[[[[


O Duty Free de Puerto Iguazu é bem chamariz para Puerto Iguazu também. Pouquíssimo tempo após atravessar a  fronteira já se avista o Free Shop, à direita de quem vai sentido Brasil-Argentina. O Duty Free, inaugurado em 2002, é até grandinho, oferecendo várias marcas bacanas e conhecidas. Funciona o ano inteiro de 10 às 21hs. Mas é bom se certificar direitinho antes para não perder a caminhada.

Chegada no Duty Free

 

Entrada do Free Shop

 

Por dentro dele

 

E agora, de noitinha

 

Garota-propaganda :p

ATENÇÃO: Não se esqueçam de levar a carteira de identidade, pois já vi/ouvi váaaaaaaaaaaaarias pessoas tendo problemas, sendo até impedidas de entrar na aduana argentina. Nesse caso, porém, admite-se também o passaporte.

01
maio

Look da Anita

Último dia em Buenos Aires! Tô atrasadinha nas postagens, até porque, já cheguei na terrinha brasilis. Mas nem por isso queria deixar de postar o último look usado no também último dia da viagem. E não queria deixar de postar por dois motivos: um, pela saia que que volta em mais um look e que já rendeu bons comentários no Anita, e dois pelo passeio muito especial em que usei este look. Usei aquela saia longa plissada que já apareceu por aqui, porém, agora, numa versão mais invernal (e quentinha!). Aproveitando também para responder a algumas bloguetes que perguntaram se é razoável usar esse tipo de saia com sapatilhas: siiim, dá para usar sim! Como estava muito friozinho usei uma sapatilha com meia-calça para dar uma quebradinha no vento. E como a saia é mooooooito comprida (ou eu que sou beeeeem pícola), tive que usá-la um pouco mais alta do que o de costume para não arrastar, e assim, para que ficasse firme, usei o cinto mais grosso bem apertadinho na cintura. Então, a composição contou com saia longa Zara, cacharrel preta antigona, cinto Riachuelo, perfecto preto Marisa, bolsa Langak e sapatilha Ideale. Mesmo repetindo tantas peças dá pra variar bem os looks, concordam?

E o passeio foi na literalmente esplêndida e maravilhosa Livraria El Ateneo – Teatro Grand Esplendid. Esta livraria um dia foi um teatro, depois virou cinema, que virou livraria e que virou atração turística. Tudo nessa ordem. A história da decana livraria El Ateneo que fica na Avenida Santa Fe, 1860, passa a ter como palco o belíssimo Teatro Grand Splendid, no ano 2000. O teatro foi construído em 1919 pelo austríaco Max Glücksmann e depois de receber espetáculos de tango, o lugar passou a funcionar como cinema em 1926, e assim se manteve por 70 anos. A decadência atingiu o espaço, e em 2000, a rede de livrarias Yenni comprou o Grand Splendid. Desde então, o lugar das poltronas foi ocupado por milhares de livros, CDs e DVDs. E o palco – onde até Carlos Gardel se apresentou – virou um café, com piano ao vivo. A livraria tem ainda um auditório para 130 pessoas. Ao todo, são cinco andares: o térreo, três galerias (como as de um teatro de ópera) e um subsolo, onde fica a seção infantil. Mas mesmo quem não deseja comprar deve entrar ali. É lindo, contagiante, aconchegante! Não tem como não ir mexxxxxxxxxxxxxxxmo!

Aqui uma (pequena) visão geral do espaço só para dar uma ideia para quem ainda não conhece. Depois posto mais fotitas. A viagem acabou e deixou um gostinho de quero mais. Claro que tenho muito a dizer, muitas impressões, mas depois, com calma, vou organizando os posts. Então é isso.. Espero que tenham gostado dos posts com os looks (e que não tenham se cansado muito da minha cara.. hehe). Besos, besos! Hasta la vista hermanos!

17
abr

Foz do Iguaçú – Especial: Dicas de compras no Paraguai

Especial: Dicas de compras no Paraguai

Oi pessoinhas! Bom, como sabem, passei 6 dias em Foz do Iguaçú no fim do ano, visitando minha it sister (kkkk – adorei isso!). Desse seis dias, QUATRO eu fui ao Paraguai. É realmente VICIANTE. Ainda mais quando se tem a irmã morando a 15 minutos dali e sabendo exatamente onde ir e onde não ir.. Nuuuuh! Sem condição. Então, apesar de ter virado febre entre as blogueiras o tema Foz-Paraguai-Argentina, não vou deixar de dar MINHAS impressões. Até porque, não é de agora que conheço aquilo ali. Já são 3 anos de mooooitas comprinhas. Não dá pra falar de tudo, pois aquilo ali é UM MUNDO, mas vou falar do que mais me chama a atenção.

Pra começar um “antes e depois da ponte da amizade”.
A primeira foto é no Brasil e a outra é logo após a travessia (já o caos!)

Primeiramente temos o recém criado, SHOPPING DEL ESTE. Este shopping foi construído recentemente, e fica logo na entrada do Pry, à esquerda de quem passa a aduana, localizado onde era o antigo Duty Free paraguaio.

O Shopping conta com excelentes lojas. Adorei a Casa Bella, uma loja especializada em artigos de decoração. Também me empolguei moooito com a Macedônia, uma importadora que comercializa desde charutos, bebidas, até perfumes, cosméticos, maquiagens, etc. Lá encontramos também a loja oficial da Nike, a loja oficial do Play Station, produtos (cadeiras e instrumentos) odontológicos, e atéeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee MAC! Uebaaa. Lá dentro tem um quiosquezinho (Quiosque n.º 8) que vendo produtinhos da querida MAC. Um sonho, né..

Não resisti..hihi

 

MAC, I love you!

Além disso, para quem quer um descanso das compras, tem também o Café del Este, que dizem, não comi, servem um delicioso pão-de-queijo acompanhado de um saboroso capuccino. Hmmm..

Mas o que acho a maior tacada desse Shopping é que ele tem estacionamento e cobra apenas $ 8,00 para o dia todo. Sua localização é ultra estratégica e, para quem se arrisca a ir de carro (isso aí é com emoção!) não tem lugar melhor para deixar, já que parando ali, não precisarão atravessar o inferno aberto de Ciudad del Este.

Site do shopping: http://www.shoppingdelesteparaguay.com/

Outro lugar que é de deixar qualquer turista maluco (meninas E meninoooos) é a loja da SAX (Style, Art & Xtras), que fica no Shopping Kink Fong.

Percebam como fica NO MEIO do furdúncio!

É algo realmente muito peculiar! Quando falam que parece um oásis no meio do deserto não exageram em nadica. É uma loja ULTRA luxuosa que vende desde roupas, eletrônicos, sapatos, chocolates, até bebidas, ocupando praticamente quatro andares de um prédio. O nome, como já era de se imaginar, tem como inspiração a sofisticada Sack´s, de New York. A loja começou com uma pequena amostra de óculos e hoje reúne nada menos que 60 marcas de luxo e 13 mil óculos em exposição. Lá encontramos as marcas mais desejadas do universo: Versace, Armani, Chloé, Dolce & Gabana, Dior, Ermenegildo Zegna, Michael Kors, Valentino, Jimmy Choo, La Perla, Salvatore Ferragamo, Gucci, Burberry, Marc Jacobs e Fendi. Um dos pontos altos da Sax é a Ferrari Store, única loja na América Latina e que oferece produtos originais (e, pasmem, até peças originais de carros de F1!!!).

A loja tem um bistrô que fica no terceiro andar da loja e os pratos têm preços super convidativos, ao que parece (por exemplo, US$ 11,00 um prato). O shopping onde fica a Sax também está mais para a entrada da cidade (não tanto quanto o Shopping Del Este) e tem estacionamento próprio e gratuito.

Fotos que consegui tirar até levar um discreto pito.. rs

 

A tal loja Ferrari e um editorial da Sax

– Site da loja: http://www.sax.com.py/site/

Próximo dali tem a NAVE SHOP, uma loja de alguns bons andares também (não lembro se 3 ou 4) vendendo produtos eletrônicos, de informática, eletrodomésticos, games, brinquedos, perfumes, cosméticos em geral, celulares, esporte, lazer, decoração e etc.

Não tem nem de longe a sofisticação da Sax, nem mesmo, da Monalisa, mas nem por isso pode ficar de fora do roteiro. – Site da loja: http://www.naveshop.com/home/

Subindo mais um pouco, temos a MONALISA. Do lado esquerdo de quem entra na cidade (do mesmo lado do Shopping Del Este, porém, bem mais acima – tudo a pé, ok?!) essa loja foi a primeira a oferecer produtos mais sofisticados naquela região (lembrando que o que reina ali é a pobreza e a falsificação de produtos) . A Monalisa é um sonho!

Entrada da loja

Não lembro bem quantos andares (5 ou 6), mas lá é O lugar para se comprar itens da marca Le Creuset, peças de cristal Baccarat ou Lalique. Comercializa também roupas de cama de um milhão de fios, bebidas (vinhos franceses de excelente qualidade) e chocolates refinados. Pelo que me recordo, tem um andar inteiro de cosméticos, com produtos Dior, Lancôme, Chanel, La Prairie, L´Occitane, um andar de eletrônicos, um andar de roupas, um andar de relógios e óculos, um andar de itens para a casa, um andar com peças esportivas (de golfe!). Muito legal!

O primeiro andar da loja

A Monalisa também tem seu charme representado pelo Café e Bistrô Monalisa, que fica no terceiro andar da loja. Este espaço gourmet reúne opções para todo gosto: o Café Monalisa, o Sushi Bar e o Restaurante. O ambiente é bem agradável, piano ao fundo, uma delícia mesmo!

Ambiente super agradável

– Site da loja: http://www.monalisa.com.py/

A FARMACIA E PERFUMARIA AMADEUS fica no Jebai Center, 2º piso, e é O ACHADO DOS ACHADOS! É fato que não podemos confiar mesmo no que se vende em qualquer esquina de Ciudad del Este. Especialmente, quando se trata de algo que usaremos em nosso corpo, pele, cabelo etc.. Maaaaaaaaas, como sempre há luz no fim do túnel, eis que surge a farmácia AMADEUS! Genteeee, é de endoidar: sabem aqueles produtinhos básicos da Kerastase que compramos aqui por não menos que 150, 200, 300 pila??? Pois é, lá encontramos por, pelo menos, um terço do preço. É de embasbacar!!! Pra mim, de tudo, esse é o ponto alto das dicas que hoje estou dando, pois, as demais são, de certa forma, já conhecidas Brasil afora, mas eeeeeesse segredinho aqui, nananinanão! Lá são vendidos produtos da L´Oreal Professionnel (linha profissional da marca), da Kerastase, como já disse, da L´anza, da Tigl, da Redken, da La Roche, da Vichy, da Kerasys, Schwarzkopf, Paul Mitchell, Lancôme, TREsemmé, Alfaparf, John Frieda, Neutrogena, Sebastian e muuuuito mais, que não vou lembrar agora. Vale demais se embrenhar na confusão paraguaia para chegar até esse lugarzinho. E ninquém dá nada por ele! Se não fosse pela irmã..

E pra finalizar, quem é que não sonha em se esbaldar com um suuuuuuuuuuuuuuper McDonald´s depois de bater perna das 7 da manhã às 5 da tarde???? Sim, sim, sim! Chegou Mc no Paraguai também “e nós amamos muito tudo isso”. De resto, o que se vê é MUITA pobreza, MUITA sujeira, MUITO badulaque, falsificações grosseiras e até produtos adulterados. Mas as indicações colocadas nesse post são de primeiríssima qualidade. Podem confiar!! DICA FINAL: Madruguem por lá! O dia rende muito mais se você chegar beeeem cedo, pois, atravessar a ponte da amizade é sempre muito disputado e toma muito do nosso precioso tempo de comprinhas. Além disso, as lojas abrem às 7 e a grande maioria fecha ás 17 (sendo que uma o outra até fecha para o almoço). Time is shopping! Hehe

23
mar

Instituto Inhotim!

 Gente, estava doida para postar sobre meu passeio a Inhotim por aqui. Mas a falta de tempo já justificada no post de ontem adiou os planos para esta semana. Pois então, na semana passada estive em BH e, aproveitando que o domingo estava livre de compromissos, resolvemos passar o dia no Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico Inhotim, que fica em Brumadinho, a alguns quilômetros de BH. Numa breve introdução, podemos dizer que o Instituto Inhotim foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz em meados da década de 1980. Em 1984, o local recebeu a visita do renomado paisagista Roberto Burle Marx, que apresentou algumas sugestões e colaborações para os jardins. Desde então, o projeto paisagístico cresceu e passou por várias modificações.

A visita ao Instituto Inhotim é espetacular! Uma mistura de jardim de esculturas com museu dentro de um parque são inéditos no Brasil (pelo menos que eu tenha notícias). A dimensão do lugar, a limpeza, a organização e a relação das obras com o espaço, fazem da visita a Inhotim uma experiência única.
 Dias antes do passeio eu li no Viaje na viagem algo que me marcou e que, de fato, se concretizou. Não é necessário entender bulhufas de arte para se apreciar o Inhotim. É que, na realidade, tudo foi feito de modo a tocar o visitante. São obras, galerias, salas e espaços que causam impacto, tocam, nos propiciam contemplação e interação.

Galerias

E sabem o que é ainda mais legal, e que acredito tenha sido minimamente calculado? É que no caminho entra uma galeria e outra somos agraciados com uma vista deslumbrante de natureza, paisagem e limpeza (pois, venhamos e convenhamos, não é todo lugar aqui no Brasil que podemos considerar limpo de verdade). Como disse Ricardo Freire, dá tempo de refletir, digerir e ficar com vontade de entrar na próxima galeria..

Mais galerias

Algumas observações minhas: Como disse, fui no domingo. Na minha opinião o IDEAL é já chegar em Inhotim no horário de sua abertura, ou seja, às 9:30. Digo isto, pois, o passeio, apesar de indescritível de bom, é bastante cansativo. Andamos muito debaixo de sol e isto nos exaure um pouco. Então, se puderem pegar o solzinho gostoso da manhã, mió ainda. Mas se estiverem por conta do a toa, prefiram dias de semana. O passeio será ainda mais seu. Outra dica que recomendo bem é pagar a mais pelo transporte. Quem quiser pode optar por pagar R$ 10,00 a mais para ter direito ao uso do transporte (tipo um carrinho de golfe) em alguns pontos/trechos do percurso. Para mim valeu cada centavinho do investimento, pois, como dito, o sol estava de lascar. Dizem que o ideal é fazer o passeio em dois dias para que se possa explorar tudo, tudinho, nos mínimos detalhes. Mas eu passei por todas as galerias. Obviamente não deu para curtir tudo, tudo que os espaços nos ofereciam, mas mesmo assim, foi inesquecível. Finalmente, optem por uma roupitcha beeeeem levinha. Pelos mesmos motivos acima e, em especial, atentem-se também ao calçado. A maioria das pessoas usava tênis. Outras, rasteirinha; e mais um cadiquim foi de chinelo. É bom lembrar que tem galeria que só permite a visitação se a pessoa estiver com sapato fechado. Então, já que o assunto são as vestimentas, aqui vão alguns cliques que tirei por lá, apreciando (e explorando) o visual.

Camiseta branca: Renner Short branco: Opção Camisa de poá: Renner Sandália: Feira Hippie Bolsa: C&A Colar: Pry Relógio: Casio Óculos: Prada

 

Detalhe da minha sandalinha amadinha

A impressão? A MELHOR possível! Adorei váaaaaaarais galerias (por exemplo a da Adriana Varejão) e amei loucamente a exuberância da natureza, do verde, das águas e, friso, da limpeza. Quero voltar com mais calma e para passar realmente um dia inteirinho. Com direito a piquenique e tudo!

Abaixo algumas informações úteis:

HORÁRIO E INGRESSO O Inhotim abre de quarta a sexta das 9h30 às 16h30 e sábado, domingo e feriados das 9h30 às 17h30. O ingresso custa R$ 16. Aceita-se cartões de crédito. Dá para comprar online (aqui). Jardineiras elétricas levam às obras mais distantes. Pessoas com dificuldade de locomoção podem usar o serviço gratuitamente (com direito a um acompanhante). Os demais precisam comprar o serviço à parte; custa R$ 10 e você ganha a pulseirinha que libera o uso das jardineiras (como disse acima). COMO CHEGAR Inhotim fica nos arredores de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte. Existem duas possibilidades de saída de BH: pela BR 262 em direção a Contagem, e via Nova Lima (trevo do BH Shopping), pela BR 040. No fim de semana é possível ir com o ônibus da Saritur, que sai da Rodoviária de Belo Horizonte às 9h (chegando às 10h30) e parte de volta às 16h (chegando às 17h30). Recomenda-se comprar a passagem com alguma antecedência; na hora pode ser que o ônibus já esteja lotado (tel. 31/3419-1800). RESTAURANTES Há um bistrozinho (o Bar do Ganso), um bom restaurnate de buffet e algumas lanchonetes espalhada.   Fontes: Viaje na viagem  Site oficial do Inhotim