fbpx

Fresca? Não! Bem criada.

Tag: Anita na cozinha

01
out

Anita na cozinha!

Gente, tenho uma verdadeira tara com tomate cozido, assado, tostado, de tudo quanto é jeito! Adoro aquela textura, o quentinho e o caldinho! Hmmmm! Então, inspirada nesta gustusura que vocês já viram aqui eu inventei esta receitinha ridiculamente fácil, mas estupendamente deliciosa para vocês servirem de entradinha quando receberem amigos e família num jantarzinho em casa. Claro que não chegou nem aos pés do requinte  do Will, maaaas.. é gustusim também! O que eu fiz? Comprei aqueles tomatinhos pequeninhos mais compridinhos, se não me engano se chamam tomatinhos-uva (ou sweet grape) – se não for isto, avisem-me – e acertei a base, para ficar retinha e firmar no tabuleiro e, em cima, fiz a abertura retirando o recheio, as sementinhas. Eu “cavuquei” o máximo que pude, aproveitando que ele é bem firme, não desmanchando fácil, e assim, podendo caprichar no recheio. De recheio eu juntei cream cheese light + mostarda + azeite + pimenta do reino. Preenchi todos os tomatinhos com este “recheio” e levei ao forno. O ponto cada um define. Mas eu deixei uns 20 minutos em forno médio. Ao final só coloquei uma folhinha de manjericão em cada um e.. prontinho! Fiz pras minhas visitinhas, mas devo ter sido quem mais apreciou.. haha. Simples e gostoso! Ingredientes: (um resuminho) cream cheese light (um pote)  mostarda (uma colher de doce – Heinz, de preferência!!) azeite (um fio)  pimenta do reino (a gosto) manjericão

Já pronto!
De pertinho!
Prestes a ir ao forno!
Bem de pertinho!

HUMMMMMMM!

15
jan

Receita de Petit Gateau

Conforme prometi, aqui estou eu para passar a receitinha de uma das especialidades da minha irmã: o seu DI-VI-NO petit gateau! Pois é, para quem não se lembra, essa foi a sobremesa servida no nosso Natal, que eu simplesmente AMO! Como é uma sobremesa beeeem docinha, acredito que agrada a cerca de 101% da muguegada e, arrisco eu, uns 60% dos hombres. Mas para uma “quebrada” no doce, dei umas humildes sugestõezinhas ali embaixo. Porém, recomendo usarem a criatividade, bem como observarem o seu paladar e o de quem você irão servir. Fora isso, só digo que é algo para se comer de joelhos..

Petit Gateau
INGREDIENTES:
·         200 g de chocolate meio amargo (uma barra daquelas grandes tradicionais)·         2 colheres de manteiga sem sal (usamos com sal e deu na mesma)·         1/4 de xícara de chá de açúcar·         2 colheres de sopa rasas de farinha de trigo·         2 ovos inteiros (tirar a pele da gema para evitar cheiro e gosto fortes)·         2 gemas (idem ao de cima)
* Rende uma média de 06 porções

Todos os ingredientes reunidos

MODO DE PREPARO:

1.   Derreta a manteiga e o chocolate em banho-maria


2.   Bata os ovos e as gemas com açúcar na batedeira até ficar bem claro (mas não é para endurecer)


3.   Junte o chocolate derretido e a farinha de trigo, misturando com uma espátula

4.   Depois, unte as forminhas, passe trigo e coloque a massa



5.   Pré-aqueça o forno e leve para assar de 7 a 10 minutos em fogo alto até os bolinhos crescerem, mas o meio deve ficar molinho para fazer o efeito de calda


6.   É recomendado desenformar enquanto ainda quente 7.   Terminado o processo, coloque diretamente no prato, acompanhado com sorvete de creme. Mas se quiserem algo um pouco menos doce, sugiro experimentarem sorvete de pistache ou maracujá (mais azedinho).

Se quiserem incrementar com um brigadeirozinho de leve por cima, também fica uma DILIÇURA!! Basta observarem..

* DICA ESPECIAL: Se quiserem fazer uma quantidade maior para já deixarem pronto para quando receberem uma visitinha ou simplesmente para quando der vontade assim do nada e não ter que passar por tooooodo o processo, basta deixarem no freezer ou congelador a massa já pronta dentro das forminhas, apenas colocando um plástico filme para proteger do congelamento (assim como ilustro abaixo). Mas atenção, nesse caso, quando retirarem o plástico para levar ao forno, deixem uma média de 16, 17 minutos para dar tempo de descongelar e assar boa parte da massa (sempre lembrando de deixar mais mole por dentro para o efeito de calda).

Bon appétit!

01
jan

Anita na cozinha!

Resolvi experimentar mais uma categoria aqui no blog. E digo experimentar em todos os sentidos. Primeiro, porque será um teste, para ver se vinga. Mas para ver se vinga porque o problema é exatamente este: sou uma negação na cozinha, não nego, nem nunca neguei. Porém, de uns tempos para cá eu resolvi me aventurar em mais este ofício que veio com a vidinha de casada e estou feliz da vida de ter me aberto a isto. É claro que não ouso nem me arrisco em nenhuma receita mirabolante. Só que existe luz no fim do túnel pra nós, mocinhas-negação-na-cozinha! São as receitas facinhas com pinta de elaboradas! Rá! 
Então aqui embaixo vai uma destas receitinhas que eu fiz so-zi-nha, para um jantarzinho em casa no final de semana. É uma sobremesa simples, mas deliciosa. E o melhor, facílima de fazer. Em poucos minutos estava pronta! Como sei que tenho muitas amigas na mesma situação – sem dom algum para as prendas do lar, aqui vai uma receitinha de coração, que tenho certeza, vai ser uma mão na roda quando aquelas visitinhas de última hora aparecerem.

DOCE DE COCO E CHOCOLATE NA TAÇA
Ingredientes – 1 xícara de leite de coco (pode ser o vidrinho todo)- 1 xícara de leite condensado- 1 pacote de 100 g de coco ralado- 2 latas de creme de leite (sem o soro)- 2 barras de chocolate meio amargo

*Rende de 6 a 8 taças, dependendo do tamanho
* Separe duas panelas para a execução da receita
Modo de fazer:
Em uma panela, junte o leite condensado, o leite de coco e o coco ralado. Mexa tudo junto, até engrossar um pouquinho e reserve, para ir esfriando.Na outra panela, derreta em banho maria as duas barras de chocolate meio amargo. Em seguida, adicione as duas latas de creme de leite (sem o soro), e misture tudo como um ganache.Já na taça, vá fazendo as camadinhas alternadas (primeiro o creme branco, depois o ganache, etc)Enfeite o topinho. Usei amoras e adorei a mistura, mas tem gente que gosta de cereja, folhinha de hortelã..

Um passo-a-passo pra vocês
Numa panela:
Na outra panela:
Agora vá montando as camadinhas na taça:
As amoras secando antes de chegarem ao topo..rs
Prontinho!! Nhaaaaaaamy
Ahhh, e não poderia deixar de dizer que foi a Papaula que me ensinou (mais) esta receitinha!! Experimentem também!

01
jan

Anita na cozinha!

Resolvi experimentar mais uma categoria aqui no blog. E digo experimentar em todos os sentidos. Primeiro, porque será um teste, para ver se vinga. Mas para ver se vinga porque o problema é exatamente este: sou uma negação na cozinha, não nego, nem nunca neguei. Porém, de uns tempos para cá eu resolvi me aventurar em mais este ofício que veio com a vidinha de casada e estou feliz da vida de ter me aberto a isto. É claro que não ouso nem me arrisco em nenhuma receita mirabolante. Só que existe luz no fim do túnel pra nós, mocinhas-negação-na-cozinha! São as receitas facinhas com pinta de elaboradas! Rá!  Então aqui embaixo vai uma destas receitinhas que eu fiz so-zi-nha, para um jantarzinho em casa no final de semana. É uma sobremesa simples, mas deliciosa. E o melhor, facílima de fazer. Em poucos minutos estava pronta! Como sei que tenho muitas amigas na mesma situação – sem dom algum para as prendas do lar, aqui vai uma receitinha de coração, que tenho certeza, vai ser uma mão na roda quando aquelas visitinhas de última hora aparecerem.

DOCE DE COCO E CHOCOLATE NA TAÇA

Ingredientes  – 1 xícara de leite de coco (pode ser o vidrinho todo) – 1 xícara de leite condensado – 1 pacote de 100 g de coco ralado – 2 latas de creme de leite (sem o soro) – 2 barras de chocolate meio amargo

*Rende de 6 a 8 taças, dependendo do tamanho

* Separe duas panelas para a execução da receita

Modo de fazer:

Em uma panela, junte o leite condensado, o leite de coco e o coco ralado. Mexa tudo junto, até engrossar um pouquinho e reserve, para ir esfriando. Na outra panela, derreta em banho maria as duas barras de chocolate meio amargo. Em seguida, adicione as duas latas de creme de leite (sem o soro), e misture tudo como um ganache. Já na taça, vá fazendo as camadinhas alternadas (primeiro o creme branco, depois o ganache, etc) Enfeite o topinho. Usei amoras e adorei a mistura, mas tem gente que gosta de cereja, folhinha de hortelã.. Um passo-a-passo pra vocês Numa panela:

Na outra panela:

Agora vá montando as camadinhas na taça:

As amoras secando antes de chegarem ao topo..rs

Prontinho!! Nhaaaaaaamy

Ahhh, e não poderia deixar de dizer que foi a Papaula que me ensinou (mais) esta receitinha!!  Experimentem também!

01
jan

Anita na cozinha

Risoto de funghi chileno com trifolati de champignons Genteeeeeeee! Para tuuuuudo que hoje vou mostrar para vocês uma de minhas especialidades (actually, the only one)!! RISOTO!! Além de AMAR apreciar um risoto, também AMO fazer, até porque é um dos pratos que aprendi com o curso de risotos que fiz na Kaza Chique e, por isto, pratiquei bastante desde então. Vamos à receita? Ahhh, apenas uma informaçãozinha inicial, bastante importante e que serve para qualquer receita de risoto. É sobre os tipos de arroz. É possível fazer um risoto usando o arroz arbóreo, o carnaroli e o vianole nano. Lembrando que estamos falando de risoto de verdade, feito tal qual tradicionalmente se faz na Itália. Porque tem um tal de receita de risoto na panela de pressão, receita de risoto em dois minutos, receita de risoto daquilo que, pode ser tuuuudo de bom, mas não é risoto, néaaam!! E isto eu só fui aprender no curso! Tipos de arroz:

 

Carnaroli é um híbrido com mais amido, favorito dos italianos. O grão demoa mais para cozinhar, mas mantém melhor o cozimento al dente e o resultado é mais cremoso; Arbóreo é o tipo mais comum. Os grão são grandes e de um branco mais perolado. Combina com risotos que levam porções maiores de carne; Vialone nano é um grão menor, mais arredondado. Alguns o consideram melhor porque cozinha por igual. Bom para risotos delicados, com ingredientes miúdos ou frutos do mar. Ingredientes: (Serve 5 pessoas)

 – 50g de azeite – 50g cebola cortada em brunoise – 250g arroz arbóreo ou carnaroli (eu usei o carnaroli) – 100ml de vinho branco seco – 600ml caldo e legumes ou frango – 100g funghi chileno – 80g de manteiga – 100g queijo parmesão – 100 g champignons cortados em läminas – 1/2 maço de hortelã – para decorar – sal e pimenta do reino a gosto Antes de passarmos ao modo de preparo, é necessária uma (outra) pequena introdução sobre os fundos ou molhos básicos (similares a um sopão) – segundo especialistas, um dos responsáveis pelo sucesso dos pratos. *Os fundos e molhos/caldos, em regra, são usados para acompanhar ou ressaltar sabores. Todos os fundos básicos, quando preparados no conceito clássico, apresentam características e formas únicas de preparo. Todos os molhos derivam de um fundo, ou seja, um fundo espessado ou engrossado que vira um molho base. Nesta receita eu utilzei o fundo/caldo de vegetais. E eu mesma preparei em casa. Mas é possível já comprar os caldos/fundos prontos nas casas especializadas, na maioria das vezes, eles vêm em  pó e em casa basta diluir em água. Molho/caldo de vegetais (o usado para esta receita): Água: utilizar sempre água fria para iniciar o processo. Nunca deixe ferver, ou seja, mantenha em fogo baixo todo o tempo (“fremissement” – 90ºC – não ferve, mas borbulha). Começo a preparar o caldo bastante tempo antes, sempre em fogo baixo par não ferver. E ele fica ligado todo o tempo em que estou fazendo o risoto, ou seja, paralelamente à preparação do risoto para ser adicionado aos poucos, o que ajuda a cozinhar os grãozinhos. Portanto, uso duas panelas. A do risoto e a do molho/caldo. Na verdade, três, com a que refogo o champignon. Vegetais: Os cortes dos vegetais não podem ser muito pequenos, pois o fundo irá cozinhar por muito tempo e, do contrário, no final teríamos um purê que poderia interferir na cor e no sabor do prato. O corte clássico de vegetais para fundo é o “mirepoix“: corte clássico, irregular, de mais ou menos 2,5cm, criado no século XVIII pelo cozinheiro do duque de Levis-Mirepoix, embaixador de Luis XV A Mirepoix clássica contém: 30% de cebola, 30% de cenoura, 30% de alho poró e 10% de alho. Foi esta proporção que usei.

Obs.: A base de caldo de vegetais é bastante neutra e combina bem com diversos receitas/risotos.

Esqueci de colocar a cenoura na foto..rs

Observação importante!!!!! Se você tem pouco tempo ou não está nem um pouco a fim de perder horas preparando o fundo/molho, pule tooooooooda esta parte de cima, comprando caldo de frango ou de vegetal pronto (de preferência Demi Glace. Jamais caldo Knorr e cia.) e siga direeeeeeeeto pro “modo de preparo”, aqui embaixo. E mão no arroz na massa! Modo de preparo:

1. Aqueça o azeite na panela;
2. Adicione metade da porção de cebola para suar, junte o arroz e logo em seguida o vinho. Quando o vinho começar a secar, junte o caldo* aos pouco e gradualmente, até atingir o ponto desejado;
3. Mexa durante todo o preparo;
4. Deixe o funghi de molho no vinho por algumas horas antes de começar o preparo. No momento de usá-lo, passe-o por uma peneira e descarte o vinho;
5. Em 10g de azeite refogue o funghi com o restante da cebola;
6. Coloque o funghi com a cebola na base de risotos e continue adicionando o caldo aos poucos;
7. Refogue os champignons numa colher de manteiga e reserve;
8. Quando a base do risoto chegar ao ponto desejado, desligue o fogo e faça a mistura (mantecare) adicionando o queijo parmesão ralado e o restante da manteiga;
9. Corrija o sal e apimenta do reino
10. Decore com as folhinhas de hortelã ou champignon, a gosto!

Obs.: Servir em 05 minutos (é o momento ideal para apreciar um risoto!!)

Demonstração do passo a passo!  Este é o prato mais complexo que já fiz até hoje (tá, eu sei, nem parece que fui em quem fiz, né. Mas sim, FOI!!!..rs). Não que seja difícil, mas é cheio de regrinhas. De todo modo, como eu fiz, óbvio, qualquer um faz.. E bon apétit!