Fresca? Não! Bem criada.

Tag: BH

06
jan

Ainda sobre o meu presente de NATAL..

Oi gente! Depois de uma ligeira temporada ausente por aqui, cá estou eu hoje tanto para contar para vocês sobre os últimos acontecimentos, mas também, e especialmente, para mostrar que daqui eu não saio, daqui ninguém me tira, e com as últimas mudanças, o blog volta ainda com mais força, com mais vigor, mais conteúdo, novidades, parcerias e muuuuita coisa boa!

Bom, mas quem veio aí me acompanhando viu que eu consegui realizar um dos maiores sonhos da minha vida: voltar para minha terrinha amada, Belo Horizonte!!

Tudo começou assim: depois de me formar, trabalhando na AGE/MG, lecionando na PUCMinas, e tendo recém finalizado meu Mestrado, recebi um convite praticamente irrecusável para uma experiência de trabalho em Brasília. Era uma oportunidade única de trabalhar na minha área de formação do Mestrado – o que me balançou muito, muito mesmo!

Por mais que eu tivesse meu umbigo ligado a esta terra, à minha família e amigos, o peso da oportunidade (e da responsabilidade) foi grande! Não queria me desgarrar, mas precisava ser adulta e encarar que uma oportunidade como aquelas poderia não aparecer outra vez.

Foi então que, depois de muito refletir (chorar e esgoelar), depois de conversar com meus pais e minha família, decidi dar uma chance a esta oportunidade e, talvez até como uma forma de amenizar a mudança para mim mesma, saí daqui, com o coração na mão, e com planos de ficar apenas uma temporada de uns 6 meses, aproveitando ao máximo tudo que me era oferecido, para retornar com a sensação de missão cumprida.

Pedi a Deus forças e segui caminho. Os primeiros meses foram terríveis! Tudo estava ruím! Não me acostumava ao clima, ao ritmo de vida, ao jeito das pessoas.. Na verdade, nada me fazia desligar de BH, das pessoas de BH, da minha vida aqui. Minha vida se resumia, todos os dias, na primeira hora do dia, a ligar o computador e correr atrás de passagens para garantir minhas vindas para os próximos meses! E elas eram praticamente semanais. Eu me negava tanto a aceitar Brasília que eu costumava dizer que morava em BH, mas que apenas trabalhava em Brasília, dada a frequência das minhas viagens para cá. Vê se pode??

Até que um dia, depois de ouvir um conselho muito sábio, eu notei que precisava cair na real. Eu tinha que aceitar aquela condição (de estar em Brasília, e não em Belo Horizonte). Do jeito que as coisas estavam caminhando, eu passaria toda a minha temporada em Brasília sem curtir o que a cidade tinha de bom, e sem poder também ter/estar em BH (já que me propus àquela experiência). Assim, com muita dificuldade, mas com o coração mais aberto, decidi que faria minha parte para tentar sofrer menos.

E assim, percebi que aqueles 6 meses que mentalizei de início, claro, jamais seriam suficientes. Meus aprendizados, contatos, minha bagagem só estava começando. Pensei: “bom, talvez tenha que prolongar um pouquinho mais a experiência”.. mas seeeeeeeeempre com o claro intuito de voltar para BH.

Então, para otimizar o tempo e aproveitar a estada por lá, resolvi participar do concurso de seleção de uma pós bastante conceituada de Brasília, e, obtendo a aprovação, dei por mim, que teria que permanecer por pelo menos mais um ano em BSB – o tempo de duração do curso.

O tempo foi passando e, no meio do caminho, o que acontece?? Eu conheci o meu amor!! Pois é.. a gente planeja algumas coisas para a nossa vida, mas vem ela e mostra que é ela quem manda! Com o passar do tempo, o relacionamento foi se tornando mais sério e, apesar de toda a alegria, satisfação e realização pela minha vida pessoal/afetiva, aquela certeza de que só dependeria de mim voltar para BH (na hora que eu quisesse) já não mais existia.

A certa altura eu já conseguia gostar de Brasília e curtia minha vida por lá! Mas nunca, NUNCA desisti da vontade de voltar (por mais que a concretização deste intuito parecesse um sonho cada vez mais distante). Estava sempre por aqui, vivia na ponte aérea e aproveitava horrores toda e qualquer promoção de passagem área para estar por aqui.

Há três anos e pouco eu me casei (aqui em BH, mas continuando a viver por lá) e, mesmo com o passar dos anos, eu nunca deixei de pensar um dia sequer na possibilidade de um dia voltar a morar aqui. Para vocês terem uma ideia, meus médicos continuaram sendo os de BH; minha depilação, sobrancelha e alguns serviços se mantiveram por aqui; eu me pautava pelos feriados de BH (que nem sempre coincidiam com os de BSB); a chave da minha casa (hoje casa de Mamita) vivia no meu chaveiro diariamente, o que era até motivo de pito do Maridón (homens odeiam mil coisas penduradas na chave do carro, né.. hihi)… nossa, tem cada coisa!

E tem mais! Eu troquei de carro há algum tempo e, mesmo morando em Brasília, mesmo o IPVA de lá sendo bem mais barato, eu bati o pé que meu carro tinha que ser comprado aqui, só para continuar com a placa DAQUI. Gente, talvez nem todos entendam, mas vocês não sabem o que é o orgulho de desfilar uma placa de Belo Horizonte quando se está fora daqui. Lembro também de uma vez, dentro do taxi, indo em direção ao aeroporto, o taxista conversando no celular com uma outra pessoa, falou alguma coisa sobre “Belo Horizonte” e eu cheguei a sentir frio na barriga. E olha, isso já há 4 ou 5 anos em Brasília!!!

Isto sem contar o quanto (eu acho) que era mal vista por alguns pelo tanto que eu falava (bem) de BH. “Ah que BH tem isso, ah, que em BH tem aquilo, ah, que na minha cidade as coisas são assim, ou são assado”.. Sem me dar conta de que de fato isto poderia não ser muito bem recebido, quando notava, já estava eu lá enchendo minha cidade amada de predicados – para Deus e o mundo! Mas o pior é que era tudo verdade..rs.

Por mais que a esperança de voltar nunca tivesse morrido, confesso que teve um momento que eu a vi minando sim! E por minha causa memo! Foi quando, no ano passado, fiz um concurso público e fui aprovada para o Executivo Federal. Passei dentro das vagas e, depois de participar de um curso de formação, tomei posse. Ali, mais uma vez, a alegria de uma baita realização profissional se mesclou ao desespero de ver o meu desejo de voltar para casa cada vez mais distante. Isto porque o meu órgão, por mais que fosse federal, só tinha/tem sede em Brasília.

Mas, como se diz por aí “quando há 1% de chance, tenha 99% de fé”! Pois é! Aquela ideia de que “o que é nosso encontra uma maneira de chegar até nós” é mesmo muito, muito, sábia! Surgiu uma oportunidade do Maridón vir para BH e, considerando que isto já significava mei “meio caminho andado”, “pedi a Deus que abençoasse os meus planos”, e, assim, iniciei uma verdadeira maratona rumo à concretização do meu desejo. Esta jornada foi intensa, longa, dura, sofrida, angustiante e quase aterrorizadora. Recebi muitos nãos, descréditos e até algumas puxadas de tapete.. Mas, segundo dizem também, “quando a gente quer muito alguma coisa, ela acontece”, e assim, em meados de dezembro eu recebi o maior presente de Natal dos últimos tempos: a notícia de que todo meu esforço valeu a pena! E uma coisa eu posso garantir: meu êxito só não foi 100% fruto do meu esforço por conta de Deus que esteve à frente de tudo! Era ele lá de cima maquinando e eu aqui embaixo trabalhando. E o engraçado é que quando comecei esta empreitada, eu estabeleci como meta para mim mesma que eu já teria que estar em BH neste Natal (que passou!). Tenho mania de estabelecer algumas metas que não dependem de mim e acabo sofrendo ainda mais. O tempo ia passando, a data da “minha meta” ia se aproximando e esta angústia só crescia. Maaaaas, como um presente abençoado, a notícia veio em ótima (na melhor hora). E cá estou eu!

Sei que já falei demaaaaaaaaaaaaaaais, mas o que posso dizer é para vocês “acreditarem na força dos seus sonhos. Deus é justo e não colocaria em nossos corações um desejo impossível de ser realizado”. Eu “fui firme na direção da minha meta.. porque o pensamento cria.. o desejo atrai.. e a fé realiza!”.

Estou destacando estes pensamentos, pois eles nortearam toda a minha busca! E, por mais que eu possa até ter titubeado em algum momento, eu nunca deixei de acreditar que eu conseguiria. Se eu contasse aqui os detalhes vocês, juntos comigo, perceberiam como Deus foi mágico, sábio e fez tudo, TUDINHO, como deveria ser e na melhor hora! Não poderia ter sido melhor! Neste processo eu redescobri Deus dentro de mim e encontrei/conheci verdadeiros anjos!!

Já falei demais e sei que isto cansa! Mas como em alguns outros momentos aqui do blog, falar de sentimentos realmente tem dessas coisas, né..

Fiz este post para justificar o meu sumiço dos últimos dias (completamente envolvida em mudanças, burocracias daqui e de lá, etc), mas também para contar para quem me perguntou e, por alguma razão, eu ainda não tinha conseguido explicar, o que se sucedeu. Apesar de gostar da minha privacidade, não tenho nada a esconder e achei importante vocês saberem. De agora em diante, o blog voltará à ativa, com muitos looks, posts de comportamento, conteúdo e muitos pitacos! Já já vem mais coisa por aí (fiquem tranquilos que vem bem menos texto, e mais cor, imagem, visual..rs)! Podem aguardar!

UM BEIJO A TODOS/TODAS VOCÊS E UM FELIZ ANO NOVO!!! JUNTINHO AQUI COMIGO, TÁ?!

02
jun

Look da Anita

Na linha dos “pulinhos rápidos em BH” (rsrss), neste findi rolou mais um. Que chaaaaato, né (só que ao contrário..rs). Este look foi usado para um almocinho de domingo, num dia suuuper gostoso, ensolarado e de céu totalmente aberto, porém friozinho. Então tratei de me proteger do frio com este casaquinho e, nos pés, sapatilha, pois depois ia rolar rosetança no shops. E fui assim..IMG_1722IMG_1726IMG_1725IMG_1729Casaquinho de tweed e camisa: Zara; calça wet legging: Lupo; sapatilha: Feira Hippie (BH); bolsa: Versace; óculos: Prada; batom: Up the Amp, MAC.

01
maio

Diário de ANITA!! – parte I

Oizinho! Como contei no último Diário, passei alguns dias da semana passada na minha terrinha querida: Beagá!! Pois então! A semana começou da melhor maneira possível! Com um encontro cazamigas!! E para comemorar eventos importantissíssimos como estes, nada mais adequado que um brinde né..Amigues E rendeu, viu!? Risos, fofocas e muita energia boa! O lugar escolhido dessa vez foi a Casa Bonomi, uma espécie de boulangerie/pâtisserie suuuuper tradicional em BH. Lá eles servem pães, croissants e grissinis maravilhosos, além de pratos e petiscos estupendos. Para comer eu pedi esta bruschetta mara, que vinha acompanhada desta saladinha deli! Depois que pedi, quem ainda não tinha feito o pedido resolveu copiar. Pois não tá bonita só de ver não, de comer também! Bruschetta1A Casa Bonomi é uma pedida certa para um chá da tarde, um café da manhã ou qualquer outra coisa que se queira! Amo! Os outros dias foram divididos entre família, amigos, comprinhas e até trabalho. Aproveitei também para tirar a barriga da miséria no Dona Conceição, restô de comida mineira que adoro! Não amo de paixão aquela típica comida mineira cheia de molho não, mas lá tem tanta opção que você encontra de tudo. E o melhor: mooooita pimenta! Adoro!
Dona ConceiçãoE o pior é que a roliçança não acontece só na rua, não. Já viram, né!? Casa de mãe é aquela coisa: se não comer de tudo, magoa.. hehe. Então, tirando uma casquinha de Mamita, aproveitei ainda pra trazer mais tortinhas de batata semiprontas para fazer aqui em BSB. Não sou boba nem nada, né.. Aí já tava prontinho “pra viagem”..rs. Acho que depois volto pra postar a receita. Tenho certeza que vão adorar também!Tortinha Nesse meio tempo ajeitamos o que faltava no vestidinho que vai direto para Foz do Iguaçu, para vestir minha afilhadinha e sobrinha JÁ amada, que já já está por aí! Gente, vê se tem como não ficar emocionada? Esse vestidinho foi feito, à mão, pela minha vovózinha querida, para o niver de um aninho da minha irmã. Pensa na riqueza disso? Coisas que realmente não têm preço, né.. VovóBom, uma voltita aqui, outra rosetada ali, eu, que também sou filha de Deus, aproveitei para fazer umas compritchas. Não sei se contei que estou bem enveredada pelo mundo das sapatilhas, contei!? Pois é.. elas nunca fizeram muito a minha cabeça não. Mas agora estou dicando bem in love!! Mas tenho lá minhas preferências. Gosto das bicudinhas (às arredondadas) e gosto que tenham também algum “tcham”, para não ficar básico demais. Então, quando avistei essa, achei que era “meu número”. SapatilhaGostam? Achei bem chiquezinha, boa pra trabalhar e sair! Ahh, também encontrei uma loja no 5a Avenida com peças lindíssimas, especialmente calças. Como uso muito, especialmente as de alfaiataria, não hesitei em levar. Já já vocês vão ver por aqui, nos looks. Mas enquanto isso, vejam os detalhes. Tem da lisa mesmo, tem de linho, tem com detalhezinho, tipo casinha de abelha e tem a “estampa a moda”, em preto e branco.Calças

Continua..

07
jun

Diário de Anita – parte I (para não cansar vocês!)

Já inicio a semana me desculpando, mas como todo fíiii de Deus, tem dias que a gente precisa de um tempinho mais relax, mais desobrigado, não é mesmo?! E assim foi esta minha última semana. Como devem ter acompanhado pelo último Diário de Anita, fui para Beagá no findi retrasado, para um casório, e lá fiquei tooooda a semana. Foi tudodelindo.com!

Bom, comecei a semana fazendo algo que DELIRO: passear no Mercado Central! Gente, para quem não conhece, o Mercado Central é referência NACIONAL em gastronomia, artesanato, decorações rústicas, flora e fauna! É uma “viagem” espetacular a visita ao Mercado Central e eu recomendo a toooodo mundo que conhece a cidade. Inclusive vou fazer um post especial sobre o Mercado. Aguardem! Pois então, apesar de amar TUDO que tem por lá, eu morro de amores com as flores expostas! É tanta beleza, tanta inspiração, tanto romance.. O passeio já começa lindo – literalmente, né?! E depois de muito rosetar, umas comprinhas e tal, paramos para comer. Almoçamos no Casa Cheia. Comida mineira é o ponto forte do lugar. O bar está dentro do Mercado Central desde a década de 70, e é um dos mais premiados do festival “Comida di Buteco” em Belo Horizonte. Eu não sou assim a mais vidrada em comida mineira não. Mas um boooooom mexido, aaaaah, isso não nego, de jeito nenhum! E esse aí embaixo, o “Mexidoido”, com uma pimentinha da ponta da orelha, estava de comer de joelhos!! Olha o zoiudinho de ovinho de codorna no topo! Muuuuito fofim! Eu tenho taaaanta história com o Mercado.. ai ai.. Mas depois conto tudo no post especial! Seguindo, no próximo dia foi dia de bater perna. Pra tudo que era lado.. E como sempre foi de costume, bati ponto no Verdemar entre uma andança e outra. Eu AMO a pizza de pepperoni do Verdemar. Não sei se todo mundo sabe, mas o supermercado tem um charmosíssimo espaço gourmet, onde servem pizzas, cafés, e pratos especiais por ali mesmo. Se preferir também, pode comprar uma salada na loja, ou um japa, e degustar também no espaço gourmet. Uma delícia! Então, como manda meu tradicionalismo, lá fui eu matar as saudades! Mais tarde a andança continou. Resolvi ir à LaVille. Para quem não sabe, a La Ville é uma linda loja de decoração de BH. Desde o meu casório eu sou fã de carteirinha e, quanto mais passa o tempo, mais estou vidrada em itens de casa. Estou chegando a prefeir ir a lojas de decoração do que a lojas de roupa. Só pode estar acontecendo algo muito louco com a blogueira que vos fala, viu!? Fiz um estraguinho por lá, mas será tudo muuuuito bem empregado. Olha que linda que é a entrada da loja! Para nooooooossa alegria (Mícola e Carlota, heheh.. a cara de vocês!) a loja ainda estava em promoção!! “As mina pira“! Uepaaaaaaaaa! Aí um pedacinho do interior da loja. Esse dia eu fui na de Lourdes. Na quarta foi dia de “detox“.. haha. Ok, o detox veio entre aspas de propósito. É que fui de saladinha, por conta da comilança que já tinha se iniciado desde o findi retrasado, mas é uma salada com bastante borogodó! Sempre que estou em Belzonti dou um jeito de almoçar no Néctar da Serra para tirar a barriga da miséria com a deliciosa saladinha de lá. Salada + croutons delícia + suquinho de limão natural = felicidade garantida! Já de noite, o frio veio de lascaaaaaar. Sério, me pegou horrores de surpresa!! Então, Mamita, que é danadinha, tratou de fazer um caldinho de mandioca pra aquecer nosso coração (e nossa língua, de taaaaanta pimenta..rsrs.. Dilícia!). Caiu como uma luva. Feito com amor, não tem erro, né?! Ahh, e pra fechar o dia, claro, o “calçado do dia”. É sério, o frio tava de doer NO OSSO! Nuh! Só isso serviu nos meus pézinhos de picolé naquele dia!Na quinta foi dia de mexer nas “veieras” que tenho lá em casa.. Adoro isso, sabiam?! E entre uma e outra caixa, gaveta, etc, não é que eu encontro um verdadeiro “cemitério de sapatilhas”? Rssss. Encontrei umas sacolas com trocentas sapatilhas de ponta e meia ponta que ia acumulando ao longo da vida bailarinística. Desde novinha eu tinha a ideia de ser voluntária como professora de ballet e, por isso, não tinha coragem de jogar fora minhas sapatilhas. Pensava que poderiam ser aproveitadas por pequenas bailarinas iniciantes. O tempo passou e lá elas ficaram. E a dó que bateu de me desfazer delas?! Aiai.. uma boa parte “foi pro céu” e a outra (vcs acham, né?!), tá aqui comigo.. haha. Apego é meu nome! Bom, eu pensava em fazer o Diário de Anita todo em uma parte só, mas como foram muuuuito intensos esses meus dias na minha terrinha querida, eu vou dividir em dois para não cansar vocês, ok?! Até amanhã, com mais Diário!!

Fonte: Instagram (@anitabemcriada)

04
fev

Presença de Anita

Especial: Niver da Anita!!!! (Casinha BH) – Parte 3
E finalmente a comemoração do meu niver na minha terrinha quiriiiiiiiiiida (BH!!). Foi tãaaao gostoso!! Reuniãozinha em casa com as amigas quiriiiiiiiiiiiiiiiiiiidas e comidinha preparada com todo o carinho pela Mami! Não tem preço!Isso sem falar nos presentinhos.. Adorei tudo!

Esse foi o “look do dia”. Frise-se, porém, que o detalhe da bolsa foi só para complementar o look para a foto e para mostrar a desnecessidade da combinação de acessórios. Afinal, em casa eu JAMAIS colocaria uma bolsa a tiracolo néeeee.. rs