fbpx

Fresca? Não! Bem criada.

Tag: cinto

19
dez

Guia completo sobre cintos

Que os acessórios dão um up nos looks do dia a dia, todo mundo sabe! Com alguns itens como brincos, colares ou lenços é possível dar uma cara nova ao visual inicialmente básico.

Dentre esses acessórios, os cintos são responsáveis por trazer um estilo a mais à produção e também marcar a cintura quando desejamos uma silhueta mais feminina.

E para conhecermos mais sobre esse item tão funcional e tão estiloso, hoje vamos falar sobre os modelos mais clássicos e dar dicas de como usá-los. Vem com a gente?

Cinto fino:
Esse modelo de cinto é uma ótima opção para se usar na cintura, marcando a silhueta sem criar volume. Muito utilizado com vestidos e saias, ele costuma favorecer mulheres que possuem corpos nos formatos de ampulheta e triângulo.

 

Cinto largo:
O cinto mais largo cria um visual bem moderno ao look, porém é preciso estar atenta ao seu uso. De maneira geral ele tende a aumentar a região do busto e criar volume excessivo, podendo não favorecer mulheres mais cheinhas.  O ideal é usá-lo com calças e shorts mais baixos.

 

Cinto tresse:
O cinto tresse é uma excelente opção nos dias em que usamos roupas mais lisas. Por ser literalmente trançado, ele acrescenta uma textura ao look e pode também funcionar como ponto de cor.

 

Cinto com fivela:
O cinto com fivela maior é o modelo mais clássico e propõe uma sofisticação ao look básico como jeans e camiseta. Nas últimas temporadas temos visto com frequência o cinto de fivela dupla, sucesso em lojas e street style. O ideal é que esse modelo seja utilizado na região do quadril e não na cintura.

 

Cinto de metal:
Conhecido como metal belt, esse modelo é relativamente recente, mas logo ganhou o gosto das fashionistas. Ele é escolha certa para dar mais elegância e sofisticação aos looks e ainda definir a silhueta.

 

Cinto alongado:
Esse modelo, inicialmente lançado pela marca Off White, vêm fazendo a cabeça das fashionistas nessa última temporada. Com a ponta em alongada e cores fortes, o cinto trás um toque bem moderno ao look e cheio de ousadia.

 

 

 

10
nov

Feira Hippie (ou Feira de Artesanato) de BH!

Sempre, sempre tem gente de fora de Belo Horizonte me perguntando dicas e pedindo recomendações para “bem usufruir” da Feira Hippie de BH! Então chegou a hora de fazer um post com um mini guia pra vocês aproveitarem muitíssimo bem a visitinha à cidade!! Não vou mais com a frequência de antes, óbvio, mas passei ANOS e ANOS da minha vida descendo pra Feira Hippie TODO domingo, sem exceção, mesmo sem nada pra comprar.

Bom, já começo com essa DESLUMBRANTE imagem de parte da feira com as lindas montanhas de Minas ao fundo. Gente, diz aí: minha cidade é linda ou não é??Mas vamos lá! A Feira de Artes e Artesanato da Avenida Afonso Pena, popularmente conhecida como Feira Hippie, acontece todo domingo na capital mineira há mais de 40 anos. A feira conta hoje com cerca de 2500 expositores que vendem as mais diversas mercadorias. Ela foi fundada em 1969 e tornou-se uma das maiores feiras da América Latina, chegando a receber 100 mil visitantes de todos os lugares do Brasil e do mundo – e de todas as idades. Na feira encontramos artes, bijouterias, brinquedos, bolsas e calçados, móveis e decoração, roupas, dentre tantas outras coisas. E é claro que a culinária não fica de fora, a feira também oferece diversos tipos de petiscos como acarajés, churrasquinhos, sanduíches, espetinhos, milho, caldos e salgados em geral.

CONHECENDO A FEIRA E SEUS SETORES Tomando por base a referência do Parque Municipal da cidade (essa imensa área verde das fotos) fica a entrada do parque como o centro da feira, dividindo a mesma, em 2 metades. Ou seja, à  direita da, entrada do parque  estão os, setores de alimentação, setor infantil, bijouterias, arranjos e complementos, cintos, bolsas e acessórios, o setor de calçados e, novamente alimentação. Barracas com comida e, bebida estão no meio e em cada uma das “pontas” da feira. Para a  esquerda da, entrada do parque estão setores de alimentação, vestuário infantil e bebê, vestuário, adulto, cama/mesa/banho e tapeçaria, decoração e utilidades, cestaria, flores e, arranjos e o setor de móveis seguido de outro de alimentação. Haha.. meio confuso, né!? Mas chegando lá é bem separadinho, suuuuper organizadinho e dividido em cores. Ah, artes plásticas são expostas por toda a Av. Afonso Pena, ao longo dos limites do Parque Municipal.  ONDE SE HOSPEDAR Para quem vai a BH exclusivamente por conta da Feira Hippie, existem alguns locais nos arredores indicados para que sua estadia e visita à feira seja mais bem aproveitada. Estando próximo ao local, o visitante evita problemas como falta de estacionamento, necessidade de sair muito cedo para chegar ao local, etc. Dentre os hoteis indicados em relação à proximidade estão o Hotel Othon Palace Belo Horizonte, o Hotel Best Western Sol Belo Horizonte e o Hotel Bristol Merit Belo Horizonte. Na minha penúltima ida a BH eu tirei umas fotinhas, assim beeeeem por alto, do que vi de interessante por lá. Era muito, mas muito mais coisa que isso. Mas já estava tarde, lotado, e eu estava com bastante pressa. Deem uma olhadinha.. COLARES (olha aí a barraca que comprei o meu que apareceu aqui ontem!) FRANJAS
BOLSAS MIL
SLIPPERS BIJOUX E SEMIJOIAS LENCINHOS FOFOS  TIARINHAS CINTOS MIL E não para por aí, não gente! O setor infantil é um mundo à parte. O setor de decoração, coisas de casa, é espetacular. Muita coisa FINA mesmo! Inclusive, tem gente que até critica, dizendo que de artesanato a feira não tem mais nada. Mas tem sim! A verdade é que ela não se faz mais puramente por artesanato. A tecnologia, as novidades e a modernidade também invadiram a Feira!!

 

DICAS PARA APROVEITAR MELHOR SUA VISITA

– Procure chegar cedo ao local. Pode parecer loucura, mas o ideal é estar lá até 7 da manhã. Por volta de 9:30, 10:00 já começa a acabar o número dos sapatos mais procurados, as bolsas mais badaladas, as bijoux que são tendência, etc etc. Além disso, à, medida que a hora avança o número de pessoas na feira vai aumentando, o que, dificulta que os turistas e visitantes possam ver com mais tranquilidade tudo aquilo que a feira tem para oferecer. Juro, tem barraca em que rola até briga entre a mulherada disputando por um lugar..rs

– Se for de carro, fique atento, pois as vagas são limitadíssimas nas redondezas. Recomendo taxi ou até ônibus, pois a cidade é bem servida de transporte público para a região;
– A feira é extensa e muito cheia, então, caso esteja em grupo ou família, marquem um, ponto de referência, local e hora para se encontrarem para evitar de se perderem. E, de preferência, deixe crianças e maridos em casa. Sério, é irritante ver aqueles marmanjos transitando por lá e ocupando noooossos lugares. Porque é ÓBVIO que estar ali quase sempre não é uma escolha pessoal do moçoilo. Se lá estão, estão, na maioria das vezes, para agradar suas maridas ou carregar alguma aquisição mais pesada. Se for a primeira opção, please, batam o pé e fiquem em casa; se a segunda, ok, cumpram sua missão e vão esperar na área de alimentação!

Então é isso! Espero que tenham gostado das diquinhas! Estou aberta a dúvidas!