Fresca? Não! Bem criada.

Tag: coluna de moda

12
set

A liberdade é local! – LED no SPFW

Nos últimos anos conseguimos notar claramente o quanto o mercado local cresceu na cena mineira. Principalmente no campo das artes, fomentar o produto do vizinho, passou a ser não só uma tendência, mas também um ato político, onde comprar de quem faz é questionar todo um sistema enraizado no consumo desenfreado.

Melhor do que incentivar marcas que moram na nossa cidade, no nosso bairro ou na nossa rua, é ver elas alçarem voos e levar a mensagem de uma moda mais inclusiva e consciente para além dos limites do nosso estado.

A LED, do estilista Célio Dias, fez isso de uma maneira brilhante ao participar do projeto Top 5 do SEBRAE, que tem como objetivo incentivar microempreendedores de todo o país, acompanhando as marcas durantes 12 meses e auxiliando no desenvolvimento de coleções.

A segunda edição desse projeto tão importante, aconteceu com um desfile na 44ª edição do São Paulo Fashion Week, onde a mineira LED, levou toda sua liberdade para as passarelas, trazendo a tona a diversidade e o vestuário agênero, sempre presentes na identidade da marca.

Na coleção intitulada Mixórdia, Célio e sua equipe celebraram a independência sem rótulos através de cores vibrantes e a mistura entre o feito a mão de Minas e materiais industriais com referências do street wear. Com o styling assinado por Maria Cândida, a produção dos looks contou com calçados de Tatiana Marques, bolsas da marca colaborativa Diwo e acessórios da Box 19, todos orgulhosamente mineiros!

Ter a LED cruzando fronteiras geográficas e se apresentando para o mundo é ver acontecer a renovação de uma identidade local. Para a moda daqui, que muitas vezes se firmou no tradicional, um banho de frescor é mais que bem vindo! Obrigada Célio, por nos lembrar que ser diferente é lindo! Vai planeta! 

Fotos: Breno da Matta

 

Elisa Santiago é estudante de Design de Moda e uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.

02
ago

A roupa e eu – liberdade para vestir

Desde que me entendo por gente, a moda está presente na minha vida. Não porque tenho família ligada a área ou coisa do tipo, mas porque de alguma forma percebi que roupa é sinônimo de voz e identidade.

O meu armário acompanhou de perto as fases mais intensas (muitas delas carregadas de um bom drama teen) e as rebeliões mais fugazes que vivi dentro de mim. E durante esses períodos transitórios foi que aos poucos criei meus gostos, coletei minhas referências e entendi que a moda poderia ir além do hobbie.

E por talvez ter acumulado uma bagagem tão expressiva, vez ou outra sou parada na rua ou questionada por parentes sobre algum tipo de definição para o meu modo de vestir. Os comentários são bem variados mas sempre respondidos com bom humor.

Porém receber tais reações de forma quase que diária, me colocam em uma reflexão sobre a necessidade incessante que temos de buscar essas definições para as outras pessoas e até para nós mesmos. A própria indústria da moda em toda a sua história nos induziu a buscar esses padrões e a nos despertar a vontade de querer se encaixar em algum tipo de forma.

E é aí que comecei a entender que esse papo de pertencer a um rótulo não tem muito a ver com a moda que acredito e que me apaixonei lááá atras. Quando eu penso em roupas, não as enxergo como objetos utilitários, mas sim como uma expressão de mim mesma. As combinações que faço, os truques de styling, as frases nas camisetas e os mais diversos detalhes, todos falam um pouco sobre quem eu sou.

Mas acho importante esclarecer que nada que me veste é permanente. Os gostos mudam, as fases se vão, as roupas ganham outras leituras e as mensagens também! A graça da moda está na sua fluidez! O sentido que a roupa faz fica claro quando olho as fotos do passado (por isso a importância de fotografar os looks do dia) e percebo minha constante evolução.

Abrir o armário todos os dias e me vestir sem o compromisso de ter que ser quem fui ontem e sem saber quem serei amanhã é desafiante sim, mas também é sinônimo de liberdade. A relação que construo com a moda é de parceria! Ela compreende e acompanha, ultrapassando os rótulos da idade, do tamanho, da estética. A moda que acredito não escraviza, nem limita, ela te impulsiona adiante, sempre!

Elisa Santiago é estudante de Design de Moda e uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.