fbpx

Fresca? Não! Bem criada.

Tag: comida mineira

02
jul

Os novos lugares mais legais de BH

A cidade de Belo Horizonte vêm crescendo positivamente em termos de estabelecimentos culturais que celebram arte, gastronomia, moda e música. De uns anos para cá, a capital vivenciou um boom de novos lugares e está aos poucos se tornando uma capital rejuvenescida e mais conectada a sua origem.

Dentre os empreendimentos que vêm surgindo, destacamos alguns que valem a pena a visita e que prometem ser novos pontos turísticos para quem vem conhecer a nossa terra.

  1. Querida Jacinta

    Orgulhosamente localizada na zona leste de BH, a cervejaria Querida Jacinta trás um clima de mais amor, descontração e leveza para a cidade. Em um ambiente que nos remete aos pubs, mas com uma pegada bem brasileira, são oferecidos pratos como mexido e guaca mole, além das 11 torneiras de chopp.
    Com uma trilha sonora dançante, o local é ponto de encontro para quem busca harmonizar comida boa e cervejas especiais.Endereço: R. Grão Pará, 185 – Santa Efigênia
  2. Birosca s2 

    Se a ideia é juntar gastronomia afetiva, ambiente aconchegante e música boa, o Birosca é o lugar certo! Com uma decoração digna de casa de vó, cheia de louças antigas, o bistrô é um abraço na nostalgia e oferece pratos que transitam entre a culinária mineira e francesa preparados pela chef Bruna Teixeira.
    Para quem busca uma opção mais romântica, o restaurante é dica certeira, além do menu e do cenário, artistas de piano e jazz são figurinhas carimbadas no local e apresentam uma seleção musical imperdível.Endereço:  Rua Silvianópolis, 483 – Santa Tereza

  3. Mercado da Boca 

    Inspirado no Mercado da Ribeira em Lisboa, o mais novo empreendimento culinário de BH reúne chefs renomados como Ivo Faria e Fred Trindade que apresentam diversas delícias da gastronomia mineira.
    Além do time estrelado de chefes, o ambiente conta com a presença de restaurantes como Alma Chef, Green Up e Patuscada. Para quem deseja degustar um pouco de cada opção em um local novo e dinâmico, o Mercado da Boca é uma excelente opção!Endereço: Av. Toronto, 156 – Jardim Canadá, Nova Lima

  4. Grande Hotel Ronaldo Fraga 

    Sempre antenado às tendências globais, o estilista Ronaldo Fraga encerrou as atividades de sua loja na região da Savassi em 2016 para se aventurar em um novo espaço repleto de coletividade, novas marcas e muito charme!
    Localizado no bairro Funcionários, o Grande Hotel Ronaldo Fraga tornou-se um ambiente que abriga novos nomes da moda mineira, além de um café aconchegante envolvido numa arquitetura antiga e cheia de memórias. Visitar esse novo espaço é um mergulho no universo fashion da cidade.Endereço: R. Ceará, 1205 – Funcionários

  5. Nicolau Bar da Esquina 

    Localizado na região mais boêmia de Belo Horizonte, entre o Horto e Santa Tereza, o gastro bar Nicolau, busca resgatar através da culinária e da arquitetura, a cultura genuína da cidade, onde ambiente e boa comida andam de mãos dadas.
    Com projeto do arquiteto Gustavo Penna e menu do chef Leo Paixão, o empreendimento oferece pratos conceituais que tem a intenção de popularizar as tradições mineiras.Endereço:  R. Pouso Alegre, 2217 – Horto

 

07
jun

Diário de Anita – parte I (para não cansar vocês!)

Já inicio a semana me desculpando, mas como todo fíiii de Deus, tem dias que a gente precisa de um tempinho mais relax, mais desobrigado, não é mesmo?! E assim foi esta minha última semana. Como devem ter acompanhado pelo último Diário de Anita, fui para Beagá no findi retrasado, para um casório, e lá fiquei tooooda a semana. Foi tudodelindo.com!

Bom, comecei a semana fazendo algo que DELIRO: passear no Mercado Central! Gente, para quem não conhece, o Mercado Central é referência NACIONAL em gastronomia, artesanato, decorações rústicas, flora e fauna! É uma “viagem” espetacular a visita ao Mercado Central e eu recomendo a toooodo mundo que conhece a cidade. Inclusive vou fazer um post especial sobre o Mercado. Aguardem! Pois então, apesar de amar TUDO que tem por lá, eu morro de amores com as flores expostas! É tanta beleza, tanta inspiração, tanto romance.. O passeio já começa lindo – literalmente, né?! E depois de muito rosetar, umas comprinhas e tal, paramos para comer. Almoçamos no Casa Cheia. Comida mineira é o ponto forte do lugar. O bar está dentro do Mercado Central desde a década de 70, e é um dos mais premiados do festival “Comida di Buteco” em Belo Horizonte. Eu não sou assim a mais vidrada em comida mineira não. Mas um boooooom mexido, aaaaah, isso não nego, de jeito nenhum! E esse aí embaixo, o “Mexidoido”, com uma pimentinha da ponta da orelha, estava de comer de joelhos!! Olha o zoiudinho de ovinho de codorna no topo! Muuuuito fofim! Eu tenho taaaanta história com o Mercado.. ai ai.. Mas depois conto tudo no post especial! Seguindo, no próximo dia foi dia de bater perna. Pra tudo que era lado.. E como sempre foi de costume, bati ponto no Verdemar entre uma andança e outra. Eu AMO a pizza de pepperoni do Verdemar. Não sei se todo mundo sabe, mas o supermercado tem um charmosíssimo espaço gourmet, onde servem pizzas, cafés, e pratos especiais por ali mesmo. Se preferir também, pode comprar uma salada na loja, ou um japa, e degustar também no espaço gourmet. Uma delícia! Então, como manda meu tradicionalismo, lá fui eu matar as saudades! Mais tarde a andança continou. Resolvi ir à LaVille. Para quem não sabe, a La Ville é uma linda loja de decoração de BH. Desde o meu casório eu sou fã de carteirinha e, quanto mais passa o tempo, mais estou vidrada em itens de casa. Estou chegando a prefeir ir a lojas de decoração do que a lojas de roupa. Só pode estar acontecendo algo muito louco com a blogueira que vos fala, viu!? Fiz um estraguinho por lá, mas será tudo muuuuito bem empregado. Olha que linda que é a entrada da loja! Para nooooooossa alegria (Mícola e Carlota, heheh.. a cara de vocês!) a loja ainda estava em promoção!! “As mina pira“! Uepaaaaaaaaa! Aí um pedacinho do interior da loja. Esse dia eu fui na de Lourdes. Na quarta foi dia de “detox“.. haha. Ok, o detox veio entre aspas de propósito. É que fui de saladinha, por conta da comilança que já tinha se iniciado desde o findi retrasado, mas é uma salada com bastante borogodó! Sempre que estou em Belzonti dou um jeito de almoçar no Néctar da Serra para tirar a barriga da miséria com a deliciosa saladinha de lá. Salada + croutons delícia + suquinho de limão natural = felicidade garantida! Já de noite, o frio veio de lascaaaaaar. Sério, me pegou horrores de surpresa!! Então, Mamita, que é danadinha, tratou de fazer um caldinho de mandioca pra aquecer nosso coração (e nossa língua, de taaaaanta pimenta..rsrs.. Dilícia!). Caiu como uma luva. Feito com amor, não tem erro, né?! Ahh, e pra fechar o dia, claro, o “calçado do dia”. É sério, o frio tava de doer NO OSSO! Nuh! Só isso serviu nos meus pézinhos de picolé naquele dia!Na quinta foi dia de mexer nas “veieras” que tenho lá em casa.. Adoro isso, sabiam?! E entre uma e outra caixa, gaveta, etc, não é que eu encontro um verdadeiro “cemitério de sapatilhas”? Rssss. Encontrei umas sacolas com trocentas sapatilhas de ponta e meia ponta que ia acumulando ao longo da vida bailarinística. Desde novinha eu tinha a ideia de ser voluntária como professora de ballet e, por isso, não tinha coragem de jogar fora minhas sapatilhas. Pensava que poderiam ser aproveitadas por pequenas bailarinas iniciantes. O tempo passou e lá elas ficaram. E a dó que bateu de me desfazer delas?! Aiai.. uma boa parte “foi pro céu” e a outra (vcs acham, né?!), tá aqui comigo.. haha. Apego é meu nome! Bom, eu pensava em fazer o Diário de Anita todo em uma parte só, mas como foram muuuuito intensos esses meus dias na minha terrinha querida, eu vou dividir em dois para não cansar vocês, ok?! Até amanhã, com mais Diário!!

Fonte: Instagram (@anitabemcriada)