fbpx

Fresca? Não! Bem criada.

Tag: CRModa

04
dez

Belo Horizonte ganha Museu da Moda

No dia 6 de dezembro, será inaugurado o Museu da Moda de Belo HorizonteMUMO, o primeiro museu público destinado à atividade no Brasil, iniciativa da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte por meio da Fundação Municipal de Cultura – FMC.

O MUMO funcionará no belo prédio com estilo manuelino da Rua da Bahia, 1.149, popularmente conhecido como Castelinho da Bahia, onde até então funcionava o Centro de Referência da Moda – CRModa.

Durante os últimos nove meses, foi instituída uma comissão para a criação do museu, formada por profissionais da instituição, por servidores e funcionários da FMC e colaboradores da sociedade civil, que se reuniu para elaborar o seu plano museológico, um planejamento estratégico para os próximos cinco anos, no qual consta sua missão, visão, valores, além de programas e metas.

A primeira proposta em prol de um espaço dedicado à preservação da memória da moda em Belo Horizonte surgiu em 2012, com a elaboração do Centro de Referência da Moda – CRModa, inaugurado no mesmo ano.

Com este passo, Belo Horizonte reconhece a moda como bem cultural da cidade, comprovadamente um centro de design, criação, polo lançador de tendências e de negócios reconhecido nacionalmente.

Daí para a frente, o CRModa se organizou, sediou muitas exposições, vários eventos culturais e educativos, tornando-se um projeto bem-sucedido que possibilitou, quatro anos depois, sua transformação em museu.museu-da-moda-2016_11_28_museu_da_moda_ricardolaf_02-copy

A conversão do CRModa em MUMO traz um ganho significativo para a capital mineira e para o meio da moda, já que isto possibilita que, entre outras vantagens, a instituição entre para o catálogo do Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM, participando de suas atividades e com sua programação divulgada nacionalmente e internacionalmente. Além do fato de, com esse status, possuir acervo próprio, garantindo, assim, a preservação da memória.

Indústria têxtil A inauguração do MUMO contempla a exposição =33 voltas em torno da terra – memória e raízes da indústria têxtil de Minas Gerais, que foca a indústria têxtil mineira e sua relevância, contribuindo, não só para as economias locais, mas interferindo também socialmente e culturalmente nas comunidades onde se instalou, inclusive em Belo Horizonte

“O valor socioeconômico cultural dessa indústria foi comprovado ao longo da sua história. O objetivo de abordarmos esse tema é trazer para o público a importância que ela teve, merecendo ser resgatada através de investimentos e do produto nacional, para que volte a ser competitiva. Ainda hoje, esse é o segundo segmento que mais emprega no país”, explica Marta Guerra, gestora do MUMO.

Ela lembra que, ao longo da exposição, serão promovidos debates e palestras para provocar novas discussões e propostas sustentáveis de incentivo ao setor, berço da indústria de Minas, que, juntamente com a siderurgia, trouxe o desenvolvimento para o estado.mumo_33voltas_claudiosantosUma programação cultural, que vai de 6 a 15 de dezembro, foi especialmente montada para a ocasião, e será realizada no museu, com entrada franca. “É um presente para a população no aniversário da cidade.

A cultura tem a obrigação de provocar mudanças e unir segmentos para influenciar novos comportamentos que sejam positivos para a sociedade. O Museu da Moda tem por obrigação pensar no futuro e seu papel no mundo contemporâneo, salienta Marta Guerra.

Para o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Leônidas de Oliveira, “um museu moderno de moda deve falar do acervo e da vanguarda, e sua força para o setor faz parte dessa política – guardar, proteger, divulgar e fomentar os novos profissionais da área, que têm no amparo da cultura um lugar essencial para a pesquisa e desenvolvimento da moda, além dos negócios. Tudo isso dentro do macroprojeto da FMC e da Belotur de incentivar a indústria criativa”.

 O protagonista da primeira mostra do MUMO será o tecido, elemento base da indústria da moda, com destaque para o algodão e a tecelagem plana. “Como o universo da indústria têxtil é muito amplo, resolvemos fazer um recorte focando o algodão. Estamos usando parte do acervo da Cedro Têxtil e do Museu de Artes e Ofícios – MAO, que foram emprestados para a montagem”, explica o curador da exposição, professor Antônio Fernando Batista Santos, doutor em Artes Visuais e coordenador do curso de Design de Moda da Fumec.

A responsável pela pesquisa foi a historiadora Doia Freire e projeto expográfico é do arquiteto Alexandre Rousset.mumo_33voltas_claudiosantos_05A ideia é contar a história por meio de mapas, gráficos e vídeos. Não faltarão referências à carta de Pero Vaz de Caminha, que comenta o uso de “panos enrolados ao peito” pelas mulheres, o que comprova que a indígena brasileira já usava o algodão em 1500, nem as observações do botânico Saint Hilaire sobre tramas, teares e tingimentos, em sua passagem por Minas Gerais. A maioria das casas tinha teares ou rocas de fiar.

Para completar, a cenografia de cada sala, composta por instalações, promete remeter o público a uma fábrica de tecidos, garante o curador. O projeto terá ainda iluminação assinada pela Interpam.

“Para a Cedro, que tem o algodão como principal matéria-prima, é muito gratificante poder compartilhar parte do seu acervo nessa primeira exposição do Museu da Moda, uma iniciativa que valoriza a cidade, a história e todo o mercado.

Esse resgate ajuda a vislumbrar o quanto avançamos ao longo de nossa trajetória de 144 anos para chegarmos ao patamar atual, como uma das principais indústrias da moda hoje”, comenta Marco Antônio Branquinho, presidente da empresa.

O evento conta com parceria master da Cedro Têxtil, parceria da Interpam Iluminação, apoio institucional do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, Museu de Artes e Ofícios, Sesi/Fiemg, Fumec, Una, Coreto Cultural, Formiga.

Origem do MUMO “O projeto do Museu da Moda surgiu há sete anos, no Museu Histórico Abílio Barreto – MHAB, quando começamos a juntar coleções de diversos períodos da história da cidade.

Em 2012, nasceu o Centro de Referência da Moda, que agora, transformado em museu, terá, além do acervo guardado no MHAB, sua própria reserva, e poderá abrigar mais peças”, explica Leônidas de Oliveira.mumo_33voltas_claudiosantos_01Entre as doações que foram feitas, na época, destacam-se as coleções de Priscila Freire, Luis Augusto de Lima, Marília Salgado, Laila Kierulff, Eny Vargas, Astrid Façanha e Alceu Penna, oferecida pela família do mineiro ilustrador da coluna As garotas do Alceu, na revista O Cruzeiro.

São cerca de 900 itens entre objetos, textual, bibliográfico e fotográfico. Alguns deles já foram apresentados em exposição no antigo CRModa, inclusive na mostra A Fala das roupas, que inaugurou a instituição.

Marta Guerra “acredita que o MUMO será um lugar de discussões, pesquisa e conhecimento, que terá em seu cerne a liberdade, a criatividade, a sustentabilidade e o livre acesso como bases essenciais para uma nova ordem social, construída com solidariedade e cooperação, não somente para a comunidade da moda, mas para toda a população de Belo Horizonte”.

Esse é também o pensamento de Leônidas de Oliveira: “A população com seu museu, poderá acompanhar tudo de forma democrática e ampla, formando público e conhecimento para a cidade do que é a moda, do que ela significa e de sua importância para Belo Horizonte”.

Exposição: =33 voltas em torno da terra – memória e raízes da indústria têxtil de Minas Gerais

Período: de 6 de dezembro/2016 a 30 de maio/2017

Local: MUMO – Rua da Bahia, 1.149 – Centro – Belo Horizonte

Entrada franca

Informações para imprensa: Salamandra Comunicação e Marketing

Jornalista responsável: Heloisa Aline

Fones: 31.99314.5366 / 3225.0850

salamandra.comunicacao@gmail.c om / @salamandracomunicacao

24
jun

Centro de Referêncida de Moda – CRModa

moda original

Não! Não foi mesmo por acaso que escolhi o Centro de Referência da Moda como cenário para a comemoração dos 5 anos de existência do meu, do nosso, Anita Bem Criada!! A beleza quase extravagante do lugar, o ponto minuciosamente estratégico e a história, sim, uma história rica e destacável, a ser difundida e amplamente conhecida por muitos ou todos, não passaram batido por mim, e não passa por ninguém, posso assegurar.Centro-de-Referência-da-Moda (1)Quem passa pelo cruzamento entre Av. Augusto de Lima e Rua da Bahia, se depara com uma bela edificação de 1914, no estilo neogótico. Lindo e imponente, é confundido por muitos com uma Igreja (tem até quem faça sinal da cruz!).

O edifício é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA- MG) e pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte. Em cem anos de existência, o prédio já sediou importantes instituições histórico-culturais, como o Conselho Deliberativo da Capital, a Biblioteca Municipal, a primeira rádio da cidade (PRC-7, Rádio Mineira), as aulas inaugurais da Escola de Arquitetura da UFMG, a Câmara Municipal, o Museu de Mineralogia Professor Djalma Guimarães e o Museu da Força Expedicionária Brasileira.

O que pouca gente sabe é o que o edifício reserva por dentro. Desde 1997 o prédio abriga o CCBH que, a partir de 2012, abriu suas portas também para o CRModa.

O objetivo é mobilizar o mundo da moda, promovendo debates, estudos, desfiles, exposições, seminários e cursos. A ideia do espaço é ser um marco do setor na capital mineira, com o objetivo de registrar os acervos da cidade, e resgatar a memória material e imaterial ligada ao Design de Moda.

Além disso, no primeiro andar, uma biblioteca guarda livros de arte, história, ciências políticas, dentre outras obras envolvendo, principalmente, a área de humanas. Todos os volumes ficam disponíveis para consulta, em um ambiente aconchegante e rodeado por sabedoria.

Como lembranças daquele dia, em novembro de 2015, em que ali adentramos e exploramos cada degrau, cada curva e pedacinho da história, alguns registros do fotógrafo querido e parceiro, daquele momento, e da vida, Roberto Benatti!CRM-6 CRM-8 CRM-9 CRM-11 CRM-16 CRM-23 CRM-24CRM CRM-2 CRM-4 CRM-5

Próximas atrações:

Dentro da II Mostra Brasil Afro Moda, o Centro de Referência da Moda receberá, de 10 a 12 de agosto o II Seminário Nacional de Moda, Estética Negra e Economia Criativa. Com tema “Novo Olhar para Moda Afro-Brasileira”, é uma oportunidade de consolidar um diálogo com a sociedade belorizontina e nacional, sobre a interação dos temas relacionados ao entendimento das ações transversais e culturais da moda afro-brasileira.

Fonte: https://www.facebook.com/CRModaBHcentro de referência da moda - bh (7)Onde fica: Rua da Bahia, 1149- Centro
Funcionamento: Segunda-feira, de 10h às 19h
Terça a sexta-feira, de 10h às 21h.
Telefone: (31) 3277-4384

Entrada Gratuita

30
nov

LOOK VIVAZ: ANITA BEM CRIADA 5 ANOS | CENTRO DE REFERÊNCIA DA MODA

Vou aos poucos mostrando aqui mais detalhes deste ensaio MÁGICO que fiz na semana passada (veja aqui), em comemoração aos 5 anos do Anita Bem Criada.

O primeiro look do ensaio foi este Vivaz extremamente clássico e elegante que achei perfeito para começar a sessão de fotos. Para compor, usei joias maravilhosas Bernadete Braz e sapatos, que nessa foto não aparecem, Equipage. Qual foto vocês mais gostam?

Fotografia: Roberto Benatti
Produção de moda: Marta Duque
Produção de beleza: Claudinha Goulart
Locação: Centro de Referência da Moda1 2 3 4 5 6 7

 

 

26
nov

VÍDEO: 5 ANOS, 5 MOTIVOS PARA COMEMORAR!

Vem ver de perto o que eu aprontei no Centro de Referência da Moda neste ensaio festivo que fiz por lá e que vocês viram ontem por aqui. Eu não poderia estar mais feliz com os resultados, com tudo!k

Aperte o play e confira! E se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube aproveite para fazê-lo!!

24
nov

São 5 anos de Anita Bem Criada! E tem 5 bons motivos para comemorar!

Estou vivendo um momento muito especial na minha vida! E quando digo na minha vida, é porque tudo se mistura mesmo. Vida pessoal, profissional… Difícil separar! Um momento de muita reflexão, muito aprendizado, muita lição, e acima de tudo, de muitos, mas muuuuuuitos motivos mesmo para comemorar! Só que, por mais que cinco anos não sejam cinco dias ou meses, não queria fazer mais do mesmo..

Foi então que eu decidi comemorar de forma diferente.. e com MUITO significado! Eu escolhi cinco marcas mineiras que admiro, que me identifico e/ou que são minhas parceiras ao longo destes 5 anos e, posando para as lentes de Roberto Benatti, fiz um ensaio que ficou para (a minha) história! As marcas que representam a moda mineira neste ensaio comemorativo sãoMabel Magalhães, Vivaz, Infinita, Cosh e Marillia Pitta. A produção de moda ficou a cargo de Marta Duque e a produção de beleza, por Claudinha Goulart. Os sapatos são Equipage e as joias Bernadete Braz.

O cenário foi nada menos do que o Centro de Referência da Moda! E a escolha pelo CRModase deveu a uma combinação de fatores. A condição de referência, mas também de tendência pesou fortemente. O Centro de Referência da Moda  ocupa uma das mais belas edificações da cidade, num prédio neogótico, construído em estilo manuelino no ano de 1914. A mistura de história, arte, cultura, tudo isso num espaço público aberto à reflexão e ao debate, o que me fascinou, me encantou, e me arrepiou da cabeça aos pés.

Fiquei pensando nos motivos que tenho para celebrar, comemorar, e vi que eles são muitos,muuuuuuuuuitos. Mas aproveitando a data, os CINCO anos do Anita, eu elenquei CINCO (grandes) motivos para eu estar em festa! Como estou!

Centro de Convivência”

Hoje, quando olho pra trás e observo o caminho que percorri ao longo destes 5 anos eu posso tranquilamente dizer que a minha relação com meus leitores transcende aquele espaço virtual. Tenho pessoas mais próximas de mim vindas dali, do que, muitas vezes, amigos ou até familiares. Daí porque algumas leitoras carinhosamente apelidaram o ANITA de “centro de convivência”, o que pra mim, por si só, já é um imenso motivo para comemorar! 1Vivaz - IMG_0048-min

Criação do Canal no Youtube

Essa necessidade de ter meus leitores e companheiros sempre tão próximo acabou fazendo com que eu buscasse caminhos para estreitar ainda mais esses laços. E, e exatamente neste ano que eu comemoro os 5 anos do Anita eu tive a alegria de inaugurar este canal aqui no Youtube!
2Marillia Pitta - IMG_0110-min

Trabalhar com o que se gosta é luxo

Não há dúvidas de que hoje o blog se transformou num trabalho, tão importante quanto o meu trabalho na área jurídica. E embora o trabalho, o esforço, as demandas sejam de fato muito maiores, trabalhar com o que se gosta, com o que te dá prazer, e especialmente, com o que você escolheu fazer, é de fato um luxo. 3Cosh - IMG_0132-min

Reconhecimento

E já que estamos falando de trabalho é maravilhoso hoje me dar conta de que marcas e profissionais que tanto admirei no passado, que tanto desejei ter por perto, trabalhar juntos, hoje são meus parceiros, confirma e acreditam no meu trabalho e na minha trajetória!
4Infinita - IMG_0221-min

Garantia de lindas recordações

E finalmente, a bagagem que eu conquistei, e naturalmente transmiti e compartilhei ali naquele centro de convivência é uma maneira linda e mágica de eternizar os sentimentos e as recordações daqueles tempos vividos!
5Mabel Magalhães - IMG_0298-min