Fresca? Não! Bem criada.

Tag: fast fashion

16
jun

Look da Anita

E para a semana mais romântica do ano (e para o final de semana que está chegando aí!), um look delicado, romântico e lindo (ok, modesta).

Vestido de tule de poá preto, fazendo um perfeito mix entre delicadeza, feminilidade e sensualidade, sendo composto com a bota curtinha para fugir do lugar comum. Eu, particularmente, amei (como adiantei!). O que acham?

Fotografia: Guilherme Barros @g.barros Vestido e bota: Lojas Renner; bolsa: compra em Arezzo; batom: Captive, MAC.

08
maio

Vídeo – VLOG: Minha rotina (desjejum, Na lida com Anita, nutricionista, provador fashion, evento e mais!)

Oioioi! Passando para contar que tem vídeo novo no Canal do Anita Bem Criada no Youtube e depois de muitos pedidos, tem VLOG novo com a minha rotina de um dia inteirinho que divido com vocês.

Começo pelo café da manhã, escolhendo o look do trabalho, a caminho do trabalho, almoço, visita à nutricionista, comprinhas, fast fashion, evento, sopinha, muito bate-papo e troca de figurinha. Vem ver!

 

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, você não perde nada do que vem por aí!

30
nov

See now, buy now – novas formas de consumir moda

A última edição do São Paulo Fashion Week acabou de acontecer no final do mês de outubro e trouxe com ela algumas novidades para o país que podem mudar de maneira significativa os rumos da indústria da moda. Uma dessas novidades é a consolidação do conceito de see now, buy now.

Para quem ainda não sabe o que é isso, a explicação é simples. No mundo globalizado em que vivemos, as informações chegam e vão embora com muita fugacidade, dessa maneira também criamos e descartamos desejos de consumo. O que em um mês é tendência e ansiamos mais do que tudo, no seguinte já é substituído por outro produto.

De olho nessa vontade incessante dos consumidores, surge no mercado um novo jeito de se comprar moda: o see now, buy now (em bom português: veja agora, compre agora). Diversas marcas ao redor do mundo passam então a desfilar coleções que poucas horas após o desfile, entram à venda em lojas físicas ou online. Tudo isso afim de suprir a vontade imediata que sentimos de informações (sejam elas de moda ou a área que for) e compras.
1Karl Lagerfeld para Riachuelo – peças foram comercializadas na passarela, logo após o defile. Foto: Rafael Chacon

Num lugar onde somos bombardeados todo o tempo com marcas incríveis, campanhas bem elaboradas e propagandas inusitadamente sedutoras, é praticamente impossível não despertar aquela vontade de ter para si as tendências do momento. Porém, pensando no outro lado da moeda, é preciso fazer uma pausa para refletir sobre o que o sucesso de iniciativas como essas querem dizer sobre nós, enquanto consumidores.

Um dos pontos mais interessantes dessa questão começa com a profundidade das mercadorias lançadas. Devido ao imediatismo de vendas, marcas passarão a produzir com maior intensidade, ou seja, designers e criadores passarão a fazer roupas para o agora. E o questionamento que permanece é: Será possível transformar o momento presente em coleções tão profundas quanto fazemos com as tendências futuras?

Para processarmos os impactos e efeitos de uma informação de moda e de fato deseja-la, levamos determinado espaço de tempo. Vender a ideia do on time faz com que desfiles passem a ter uma abordagem mais mastigada e de entendimento fácil, além de styling mais comercial, muitas vezes dialogando pouco com conceitos e valores das próprias marcas.2Animale no último SPFW – marca transmitiu desfile ao vivo pela internet e deu início as vendas logo após o evento. Foto: Zé Takahashi

Outro ponto dessa discussão é a relação entre o see now, buy now com produtores e designers que confeccionam suas mercadorias de maneira artesanal, seguindo a ideia do handmade. Para eles é praticamente inviável acompanhar essa mudança do mercado, já que seu modo de produção segue uma linha mais slow. Dessa maneira a competição entre marcas que adotam as novas medidas e as que ainda mantém uma pequena confecção, torna-se muitas vezes complicada.

Com a mesma velocidade que a moda circula, as opiniões também acontecem. Por isso, inúmeras vezes o consumidor se vê confuso em relação aos acontecimentos e fica difícil decidir qual a forma mais justa de se adquirir um produto. Ao comprar uma mercadoria está em jogo não só a tendência imprimida ali, mas também as crenças de uma marca, a mensagem por trás daquele estilo, a sustentabilidade e inúmeras outras questões que estão em ascensão no cotidiano.

O que não devemos deixar de fazer é questionar. Abrir o diálogo sobre os modos de consumo que tanto estamos acostumados é necessário e estar disposto a muda-los ou entende-los é uma bela maneira de transgredir.

O conceito de see now, buy now possui inúmeros lados e é um assunto riquíssimo para se conversar com as pessoas ao redor. A moda em toda sua magnitude, propõe transições, reflete o presente e se lança no futuro, mas o protagonismo dela, quem faz somos nós. Devemos sempre nos lembrar disso e nos conceder a privilégio de pensar sobre ela. Pense sobre a moda você também!

Elisa Santiago é estudante de Design de Moda e uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.

18
fev

Aqui é nosso departamento

Esta semana foi a semana da estampa de bicho por aqui! Hoje, porém, vamos de cobra! Esta calça já apareceu por aqui, se lembram? Esta, diferentemente da onça, não me traz tanta dificuldade para ser usada. Talvez por ela ser mais larguinha e de tecido mesmo (e não malha). Já fui até trabalhar com ela.

Já fazia um tempinho que esta categoria não aparecia, né!? Então, para ficarmos em dia, aí segue a produção “departamentística”: calça cenoura estampa de cobra, camisetinha de seda branca com decotinho em renda, scarpin preto com salto médio e bolsa branca. O famoso e clássico preto e branco. Considero um look bem classiquinho e versátil (trabalho, churrasco, aniversário,  happy hour, almoço, jantar, etc etc).
Calça estampa de cobra e bolsa branca: Riachuelo; camisetinha de seda: Maria Filó para C&A; scarpin salto médio: Renner

17
jun

Aqui é nosso departamento

Oi pessoal! Tenho recebido muitos recadinhos e e-mails de leitoras sentindo falta dos posts com looks por aqui, então, como vocês não pedem, vocês mandam, aqui vai um Aqui é nosso departamento!!

E hoje venho numa produção que, particularmente, considero muitíssimo especial. É que, como podem ver, são peças ultra clássicas (casaco em tweed, camisa branca e couro, ecológico, que não deixa ser e parecer couro!) que, no seu conjunto, formam um look bem elegante e antenado nas últimas tendências. Mas o melhor, melhor  mesmo, de tudo: são peças exclusivíssimas das nossas lojas de departamento. Parece mentira, né?!?! Mas não, não é!! E, com exceção da camisa, todas as demais peças são de aquisições bastante recentes.

O casaco em tweed, modelo chanel, foi amor à primeira vista! Sério, gostei tanto, mas tanto, mas tanto dele que nem sei explicar esse amor direito! Ainda não tinha um assim e, pela paixão que nos assola :p, provavelmente será o primeiro de muitos.

Então é isso! Espero que vocês gostem desse look mais classicozinho.

Casaco (tweed), saia em couro ecológico e bolsa a tiracolo: C&A; Camisa branca e scarpin preto: Renner