Fresca? Não! Bem criada.

Tag: Moda

10
nov

Aqui é nosso departamento

Especial: Misturinha
Oiii! Lembram-se que prometi me aventurar no “mundo-divertido-das-misturinhas”? Não? Então espiem aqui. Pois é, já disse: ADORO quando vejos produções super ousadas usando texturas e estampas das mais variadas num look só. Porém, sempre tive uma dificuldade imensa em colocar isso em prática. Mas tendo ensaiado ali no outro post e, matutando bastante sobre a ideia, cheguei ao look de hoje. Agora sim considero que fiz o dever de casa. Misturei com vontade!Então, compondo o visu usei uma saínha de flanela xadrez, uma blusinha beeeeem estampadinha, quase um pijaminha mesmo (rs), um cinto trecê caramelo e uma sapatilha lilás.O que vocês acharam? Passei no teste ou é preciso treinar(=ousar) um pouco mais?

Detalhe do lacinho

Blusa: C&A
Saia: C&A
Cinto: loja de departamento que não lembro o nome, no Paraguai
Sapatilha: Riachuelo
Bolsinha: C&A, de Paris (que já usei aqui)

05
out

Aqui é nosso departamento

Especial: Rocker Style

Quem gosta de acompanhar os desfiles deve ter percebido uma tendência rock muito forte nos últimos tempos. São calças, camisetas, jaquetas, enfim, a rebeldia está em alta nos desfiles, nas ruas, na TV e nos blogs. Quem me conhece sabe que meu estilo é mais, digamos, tradicional, romantiquinho e tal, mas, desta vez, eu queria inovar!! Daí então pensei em apostar num look rock and roll.A moda rock and roll é excelente para o inverno, pois os elementos pesados e o preto combinam e caem muito bem nesta estação. Mas claro que isso não se restringe ao inverno. Se você mora em uma região quente (como yo), ou se quer esse look no verão também dá para ajustar o modelito ao clima local. E foi o que eu fiz. Como aqui em BSB é moooooooito quente eu preferi deixar as pernocas de fora, só cobrindo os braços, pois de noite já vem surgindo uma brisa. Se for o caso, é só tirar o agasalho. Eu penso que as saias curtas completam um bom look na moda rock and roll, especialmente quando misturadas com camisetas e calçados de couro.  O estilo rocker é moderno, atual e está conquistando o guarda-roupa de milhares de pessoas. Esse rocker style faz com que looks tradicionais ou super romantiquinhos fiquem menos caretas. A idéia é você sair do comum e abusar de peças diferentes de uma maneira mais ousada. Make com cores fortes, deixam o olhar pesado dando um up em toda a sua produção.
Se você não quiser abusar muito do rock, mas quer uma pegada mais moderna, aposte em acessórios como caveiras, crucifixos e coisas do tipo, pois fará uma grande diferença no seu look!
Depois de feita a introdução, aqui vai um resuminho do meu look. A base é um vestido cinza com babados em tecido + renda preta. É um vestido que comprei há mais de um ano na C&A e eu sou fanzoca daquela rendinha. Para incrementar e mudar o visual (que já foi moooito usado), decidi colocar uma t-shirt branca por cima do vestido, só deixando à mostra o babadinho, o que dá a ideia de que eu estava com uma saia e uma blusa. Nos pés eu usei uma bota de couro cinza, cano mais curto, recém-adquirida da Renner (in love) e o perfecto (nominho mais fashion) eu comprei na Marisa, nessa coleção nova que tem bastante coisinha boa. Detalhe: o perfecto é feito em couro sintético, o que é ECOlogicamente correto, além de ser ECOnômico.. hehe.O que eu mais queria era conseguir misturar o estilo romantiquinho da renda com o estilo mais pesado da jaqueta, sem, no entanto, parecer forçado. Gosto dessa combinação, e acho que ficou legalzinho, né.No cabelo fiz um rabo beeeeem alto com franja solta (só pra dar o ar roqueiro táaaa) e abusei do lápis preto no olho.Segue aí a produção.

Mostrando a estampinha que é beeeem estilosinha

Adoro esse efeito de camadas que a sobreposição confere

 

Com a jaquetinha fechada – um jeito que adoro usar

 

Só para mostrar o olho. Sem segredo: delineador em cima e embaixo + rímel
Batom mais clarinho para não chocar com o olho (Snob, SÒ pra variar..)

P.S.: Sei que meus últimos três looks foram tooooodos em tons voltados para o cinza, se não puramente cinza. Tô nessa mania agora (eitcha). Mas PROMETO que nos próximos posts eu vou aparecer bem mais coloridinha e variadinha, táaaa..

Vestido: C&A
T-shirt branca: C&A
Bota cinza: Lojas Renner
Perfecto preto: Marisa
Anel: H&M

01
out

O que vem por aí: Pulseiras da amizade

Já ouviram  falar das pulseiras da amizade? Pois então, elas são a maior febre na Europa e nos EUA e têm sido cada vez mais vistas por aqui. Na década de 70, especialmente, foram muito populares no meio dos hippies. Mais tarde, voltaram, acho que na década de 90, se não me engano, pois me lembro de usar várias pulseirinhas coloridinhas desse tipo para ir para a escola (para ver se desenfeiava um pouco aquele uniforme terríiiiiiiiiiiivel de Smurfies).

Os hippies faziam o acessório artesanalmente com materiais simples e baratos. No entanto, a moda vem fazendo uma releitura das pulseiras e da época e isso tem trazido novidades. As pulseiras agora ressurgem com outros materiais, mais refinados, mais caros, sendo, algumas, verdadeiras jóias. Aliás, isso é um bom trabalho para as mocinhas prendadas de plantão (não é, Tetê, Michelle, Clarissa, Moniquinha??).

Então, como disse, as pulseirinhas em si não são novidade. No geral são feitas de linha, trançadas, coloridas e de amarrar no pulso. Mas a novidade está na proposta. Se você tem uma amiga muito especial ou ainda um grupo de amizade, a ideia é que você presenteie essas pessoas com as pulseirinhas da amizade. A moda agora é essa. O acessório é um símbolo de amizade entre você e a pessoa ou o grupo de pessoas. Para cada amigo é uma pulseira diferente. Por isso quanto mais pulseiras, mais amigos (ahãm! Até parece, né). Mas o legal é que devem realmente significar amizades verdadeiras, ou seja, não se dá para qualquer um.

Contei a historinha porque é, tipo, legalzinho saber. Mas, cá entre nós, não temos muita paciência para essas “correntes” mais né (o que não quer dizer que eu não fosse amar ganhar, néeeee). Mas fato é que independente da forma de aquisição, as tais pulseiras estão realmente estouradas lá fora. E o que é muito legal é que elas não são exclusividade dos adeptos da onda hippie ou boho. Pelo contrário, as pulseirinhas da amizade têm sido vistas nos braços de celebs, em trajes super sociais (como o da foto abaixo) e têm ficado uma graça.


ADOREI essa combinação



Fonte: Oracle Fox

E vocês? Aprovam? Ou renegam?

01
set

Look da Anita

Aqui vai mais um Look da Anita! Pouco antes de postar fiquei pensando: “poxa, será que meus leitores não estão cansados de ver esse blazer azul por aqui?” Pelo sim, pelo não, vou explicar a razão de ter insistido na ideia. É o seguinte: quando compro uma peça, digamos, mais marcante (nesse caso o blazer, que tem aparecido muito, aliado à sua cor mais presente e vibrante), tenho sempre a preocupação de bolar mil looks na minha cabeça com a tal aquisição, pois se tem algo que DE-TES-TO é comprar alguma roupa pelo puro modismo do momento e depois nunca mais usar. Não que eu nunca tenha feito isto. Afffi, já fiz e não foi pouco, mas como experiência vale ouro nesta vida, não quero mais repetir este erro.

Então, estou aqui com mais uma montação usando este blazer que vocês já cansaram de ver viram algumas vezes. Aqui em Foz está um calorão, mas de noite aquela brisazinha bate. E como, já falei, o frio não me pega, o blazer fez as vezes de me proteger do vento. Usei este look para ir a uma pizzaria aqui super charmosinha, aconchegante e delícia, chamada Vó Bertila (depois posto sobre dicas de lugares para se comer em Foz). Não estava a fim de colorir o visual. Então, o máximo que fiz foi variar entre dois tons: azul (blazer e a ankle boot) e off white (vestido e maxi clutch).

Se repararem bem, vão ver que estou sem praticamente nada de acessórios, com exceção das alianças, que lógico, não largo (tô falando de brinco, pulseira, colar, relógio). Vocês já perceberam por aqui que na maioria das vezes sou mais pra minimalista em temos de acessórios, apesar de amaaaaar um colarzão de vez em quando. Mas preciso dizer que desta vez foi total esquecimento mesmo, pois nem que seja um micro brinco eu faço questão de usar. Pode parecer pouco, mas o micro brinco faz uma diferençaaaa que chego a me sentir pelaaaaaaaaada.. hahaha..As fotos não ficaram assim as melhores, mas na pressa não deu para caprichar muito não. Sorry..Esta foto aí foi a primeira tentativa de registro, mas não ficou boa por conta da luz direta do abajour. Mas resolvi colocar pra mostrar pra vocês que aquela vista ali é da famooooooooooosa Ciudad del Este, no Paraguai. É ou não é pra enlouquecer? rsrsrs..Aqui embaixo um close da sandália. Tenho o maior orgulho dela, pois, além de achá-la linda e confortável,  ela ainda é da Feira Hippie de BH! Não é tuuuudo?Blazer: Zara Vestido: Zara Maxi Clutch: Pry Sandália: Feira Hippie BH Batom: Up the Amp, MAC (mais recente e apaixonante aquisição)

01
set

O primeiro desfile a gente nunca esquece


Oiiiiiiiiii! Gente, estou aqui compartilhando com vocês momentos do “meu primeiro desfile de moda”.. Não, eu não dei de modelete, não.. hahah. Fui pela primeira vez como “olheira” a um desfile de moda. Obviamente não se trata de um São Paulo Fashion Week, nem de um NYFW (não AINDA). Mas se trata do Claro Park Fashion, um evento super interessante  que está acontecendo aqui em Brasília essa semana.Sei que temos acessos a desfiles de moda dia e noite, noite e dia, na TV, nos blogs, nos sites e até ao vivo. Portanto, na prática, esse post não acrescentaria muita coisa a vocês. Mas o enfoque aqui é outro. O enfoque é sobre a minha experiência nesse meio. Novidade para mim, já viram né.. Lá vai Anita dedilhar o teclado.Bom, o Claro Park Fashion é hoje a mais tradicional semana de moda da capital federal, com desfiles exclusivos de lojas presentes no mix do mall, workshops, palestra e mesa redonda sobre moda e design. Em sua oitava edição, no atual formato com tenda externa, o evento dá o start na temporada Outono-Inverno do ano.
Aqui o convite para os desfiles nos quais compareci.

A tenda criada no estacionamento do Park Shopping

Aqui um dos muuuuuuitos eventos paralelos. Esse tinha como tema moda e internet – como estão cada vez mais integrados. Nesse dia aí estava falando uma blogueira do Oficina de Estilo. E olhem que legal, no primeiro dia o bate-papo foi com o Marcelo Rosenbaum, do Lar doce lar do Luciano Huck, lembram?

Embaixo a fila. E são moooooooooooooitas, nussa! Só fico imaginando como não é num SPFW da vida.Eu fui especificamente ao desfile de duas marcas: Carlos Miele e Saad. Achei fantástico ver um pouquinho daquilo ali. A produção das pessoas, as/os aspirantes a modelo querendo ser descobertas/os, a fogueira de vaidades, a criatividade das pessoas, os famosos da primeira fila (inclusive, ontem, o Governador do GDF, Agnelo Queiroz, estava por lá), a organização, os burburinhos..


Aqui até tirei fotinha de alguns looks fofinhos. Mas quando fui ver já era hora de entrar e meu “projeto” recém iniciado/pensado (de tirar fotos dos looks mais legais), foi por água abaixo.

Aqui já dentro da tenda. De fora nem imaginava que conseguissem algo tão organizado como estava lá dentro.

Oooooooooooi.. Só para registrar mesmo, pois tava com uma mega prigui de tirar fotitas. Tava mais a fim de observar tuuuuuuudo.

A cara tá parecendo achatada né.. Eitcha

E aqui umas fotinhas do desfile do Carlos Miele. Não são muitas e não estão muito boas, pois, além de ser tudo muito rápido, eu queria prestar atenção nos detalhes também.



E gostei muito do que vi!! Adorei a coleção!

Aqui embaixo alguns cliques da coleção Saad para o outono-inverno. Conhecia bem pouco sobre a marca, mas me surpreendi positivamente.

Apostaram bastante na “cor do inverno”: camelo. Ah, gente, uma pausa aqui: que PRIGUI tenho eu de chamarem as antigas e “de sempre” cores bege, caramelo, caqui, e por aí vai, de camelo. O negócio estourou tanto que está parecendo que a tal cor camelo foi descoberta por um gênio e há pouco tempo. Mas nãaaaaaaaaaao! Essa é uma tendência (e uma paleta de cores) que sempre existiu! Mas é só inventarem um nomezinho tcham no mundinho fashion pra gente ficar igual bobos e loucos atrás.. hehe. Se for assim então, a tão mal falada lingerie cor da pele, bege, que sempre foi tão bombardeada por aí, agora virou item de primeira necessidade. Afinal, um conjuntinho na cor camelo tá na moda! Affffffffffffe.. Pronto, falei!Feito o protesto, há que se admitir. Estão lindas as peças no tom CARAMELO!


Aqui peças puxadas para o rosê.

E mais alguns modelitos bem legais. Especialmente esse de calça de couro preta, casaqueto cinza e luvas de couro.

Bom, e aqui eu filmei um cadiquim do desfile. É, na verdade, o Grand Finale do desfile do Carlos Miele, puxado pela Ticiane Pinheiro (a mulher Justus e a filha garota de Ipanema). Gente, é impressionante como a televisão pode ser uma armadilha. Tanto para enfeiar pessoas bonitas, quanto para embelezar pessoas feias. E confesso que sempre olhava para a Ticiane e a achava sempre moooooita da sem gracinha. Uma sem sal mesmo. Mas mudei completamente minha opinião ao vê-la no desfile. O rosto dela é perfeito! Linda, linda! Paguei língua demais. Hehe.O filminho não tem nem um minuto. Tranquilim de ver..

video

Então foi assim. O primeiro desfile a gente nunca esquece..