Fresca? Não! Bem criada.

Tag: Moda

04
abr

Look da Anita – Dia 1 Minas Trend (festa de abertura)

Enquanto todas iam de princesinhas, eu escolhi ir assim.. Mais clean, mais clássica, mais “masculina”. É, pois é.. tenho sentido uma necessidade de me expressar de uma forma um pouco diferente, não sei.. Tenho passada por uma, digamos, adaptação de estilo, sabem?

Eu, que sempre fui apaixonada pelo estilo romântico, hoje tenho me encantado com a geometria, as linhas retas, e, acima de tudo, a alfaiataria.

Claro que a alfaiataria não precisa ser sisuda, sóbria, séria demais. Dá pra brincar, dá pra contrapor, dá pra equilibrar. E foi o que fiz ao trazer a carteira (que, aliás, foi vedete do look neste dia) e o detalhe da underwear à mostra. Eu gostei demais! E vocês?

Fotografia: Guilherme Barros @g.barross Look: Bow Store; carteira: Iódice; Beleza (make e hair): Claudinha Goulart; sapato: Saks

16
mar

Minha rotina: café da manhã, look de trabalho, ballet, vela shape, fitting, aula de inglês..

No vídeo de hoje eu trago a minha rotina, num dia particularmente cheio de compromissos e atividades: uma segunda-feira típica!

Mostro pra vocês detalhes do meu café da manhã, meu look de trabalho (#NalidacomAnita), meus lanchinhos da dieta nova, uma aula de ballet, minha sessão de vela shape, fitting na Jardin para o São Paulo Fashion Week, e finalizo com minha ida para o inglês.

Vem comigo!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!

09
mar

Vídeo: Como usar BLAZER CAPA

No vídeo de hoje eu trago o blazer Capa, que nada mais é do que uma releitura do velho e clássico blazer, peça tão querida e item indispensável no guarda-roupa feminino (e masculino), de diversas formas e diferentes estilos para você usar muito e se inspirar nesta peça tão elegante!

Da balada ao ambiente de trabalho, a versatilidade da peça é inegável!DSC00840 copy DSC00842 copy DSC00846 copy DSC00853 copy DSC00854 copy DSC00857 copy DSC00862 copy

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!  Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!

07
mar

O que usar em uma entrevista de emprego

Entrevista de emprego é um daqueles momentos “com que roupa eu vou”, onde ficamos em dúvida se está muito, se está pouco…

E não é para menos: Apesar de o mais importante ser o currículo e a sua postura e desenvoltura ali na hora H, sabemos quanto a apresentação pessoal diz sobre você, sem você sequer abrir a boca.

Então, que diga algo coerente com a imagem que você quer passar, não é? Para isso, trouxe algumas dicas do que usar em uma entrevista de emprego!

Levando em consideração que, de forma geral, tratamos aqui de um ambiente mais formal, um escritório, um ambiente corporativo mesmo, ok? Mas nem por isso desconsideramos ambientes mais informais.

Então vamos lá?

  • Preze pelo conforto. Imagina lembrar que aquela camisa linda amassa em dois segundos, ou que ela é muito quente e sua pele não respira… Acabou a confiança né?
  • Menos é mais. Sim, ser clássica nessas horas é uma ótima estratégia, pois minimiza as chances de errar ou se arrepender do look escolhido.
  • Peça preferida. Sabe aquela sua blusa preferida que é sempre saída para dias de pouca criatividade? Ela é uma ótima opção, pois você se sente á vontade e bonita. Vale também aquela peça da sorte, que você ganhou de alguém especial…
  • Coerência. Use algo que realmente já seja coerente com a vaga. Um estilo que você usaria se fosse contratada. Mostre que você tem tudo a ver com a vaga! Faça eles pensarem que você combina com aquele ambiente.
  • Cuide dos detalhes. Unhas feitas, uma joia delicada, cabelo arrumado e um perfume leve. Esses detalhes fazem toda a diferença e mostram que você é cuidadosa consigo mesma. Sempre tem alguém que repara, pode apostar.
  • Cuidado com comprimentos, decotes, modelagens muito justas, salto muito altos. Lembre-se de estar adequada para um trabalho!

Vamos então para algumas inspirações práticas?

P&Blookbook3Um look Preto & Branco tem seu lugar. É chic, é clássico, não tem erro.

Saia lápis
14469511_1315960631747583_1563897637970232388_nA saia lápis torna o look mais feminino e poderoso. Cuidado para a saia não ser muito justa a ponto de ficar desconfortável.
grey-pencil-skirt1

Camisa lookbook7Não precisa inventar moda. Uma camisa com um corte bacana te deixará elegante na medida. Lembre-se de escolher um tecido que não amasse tão facilmente.
lookbook6

Calça flare2Alonga, emagrece, faz vista… Precisa de mais?
flare7

Alfaiataria
14666197_1328443317165981_6649657465008672217_nAquela calça clássica que você já usa no trabalho é uma ótima opção! Passa um ar de maturidade, que não é nada mal para um momento desses, concorda?
14671209_1320332427977070_1151677385291596348_n

Casaquinho 
petitPode ser um terninho ou casaqueto. Imagina horas a fio de dinâmica morrendo de frio? Não dá! Seja precavida.1

Vestido14563372_1345308815479431_2671939725147988043_n

Preferia cortes enviesados, para não marcar e ficar confortável. Uma manga 3/4 também é bem vinda, para equilibrar com as pernas que já estão de fora.lookbook4

Jeanswendy

E dá pra usar jeans na entrevista de emprego? A resposta é sim! Porém, de preferencia para lavagens mais escuras e neutras.

lala1Imagens: Google (Reprodução); LaláRudge; LuisaAccorsi; ExtraPetit; BlogdaMariah; LookBook; TheCorporateCatwalk.

05
mar

Moda de propósito

Começo de ano é sempre assim, renovação, novos planos, fazer melhor o que deixamos pra trás nos meses anteriores. O mesmo clichê que embala o final de um ciclo e o início de outro. Sim, é uma vibe pra lá de piegas que bate na gente nessas épocas, mas não dá pra não se contagiar pela motivação de fazer diferente nas próximas 365 oportunidades que estão por vir.

E foi pegando carona nisso que decidi começar a primeira coluna de 2017 falando um pouco sobre o futuro e sobre o que eu desejo para a moda nessa nova caminhada que acabou de começar.

De 2016, a lição que mais ficou foi a de que precisamos desacelerar. Consumir desenfreadamente, já não nos satisfaz mais e trabalhar horas a fio para ganhar muito dinheiro deixou de ser sinônimo de satisfação pessoal. Estamos em um período confuso e é normal que nos encontremos em dúvida sobre questões básicas como estas.

A tão falada crise que se instaurou nos últimos tempos não é só financeira, ela também é reflexo do que somos enquanto sociedade, enquanto consumidores e principalmente enquanto indivíduos. Nossas ações impactam um todo e estamos nos dando conta disso aos poucos, mas com o olhar positivo é possível encontrar na recessão uma oportunidade para a criatividade fluir.

A moda, como já sabemos, é um brilhante reflexo do mundo e de como ele funciona. Dessa forma é necessário aproveitar o momento instável e levar os questionamentos um pouco mais a fundo: será que precisamos de tantas roupas? Será que a moda se limita mesmo ao consumo pelo consumo? Produzir desenfreadamente está bom para quem faz e para quem compra?

O período que estamos vivendo está sendo marcado por inúmeras transições, dentre elas o modo que enxergamos e valorizamos mercadorias. Aos poucos estamos nos desligando dos significados superficiais que os produtos nos trazem, como status, e estamos passando a nos interessar mais sobre a experiência que aquele artigo nos proporciona. Saber de onde vem, quem faz, os impactos que gera no mundo e no meio ambiente, são fatores que nos influenciarão cada vez mais na hora de comprar uma roupa.

Tendo essa transformação em vista, uma parte do mercado de moda já se mostra atento e vem acompanhando o momento transitório investindo em tecnologias, voltando o olhar para o processo de produção, não de forma mecanizada, mas sim humanizada, além da parceria entre produtor e cliente, que convida quem compra a contribuir com o produto de quem faz.

Em meio a tempestade de recessões, estamos em busca de novos propósitos, e com a moda não seria diferente. Elevar as roupas ao local de fala significa empoderar diversas pessoas que estão por trás de sua confecção e as que as vestirão também. Pensar sobre isso na hora de comprar uma peça pode ser um pequeno grande começo para as resoluções revoluções de ano novo. A roupa que não só nos veste o corpo, mas nos veste a alma, é a roupa que veste o nosso futuro.

Elisa Santiago é estudante de Design de Moda e uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.