Fresca? Não! Bem criada.

Tag: Outlander

12
out

Vídeo: Locações de OUTLANDER (de Craigh na Dun a Lallybroch)

Este é, definitivamente, um dos vídeos mais emocionantes de toda a existência do canal: quando visitei/conheci as locações de Outlander! Mais do que isso, foi a viagem mais emocionante de toda a minha vida, coroada com locações de gravação da série que mais amei/amo de todos os tempos.

De Lallybroch ao Castelo de Leoch, das ruas de paris ao castelo de Sandringham, de Culloden, onde ocorreu a Batalha de Culloden aos assentamentos dos povo Higland, da estação de trem onde Claire e Jamie se despediram em 1940 aos jardins onde foram filmadas as cenas do Palácio de Versalhes, tem tudo, tudo isso e muito mais.

Venha ver com seus próprios olhos do que tô falando!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!

20
set

Meu roteiro pelas Highlands, na Escócia!

Finalmente chegou a hora de compartilhar com vocês detalhe por detalhe do roteiro de uma viagem que foi tão sonhada, tão planejada e sem dúvidas, está sendo tão desfrutada beeem devagarzinho.
Como já revelei anteriormente o meu destino da vez foi a Escócia e essa jornada não é somente em busca de turismo e descanso, mas também de conhecimento e cultura. Além de visitar os pontos clássicos do país, eu e Luciano aproveitamos para aprimorar o inglês e vivenciar o dia a dia dos escoceses como se fôssemos nativos.

Pra quem não sabe, a Escócia é um país do Reino Unido que fica ao norte da Grã-Bretanha. Sua capital é Edimburgo, uma metrópole que elevou o estado ao título de potência comercial, intelectual e industrial. Em contraponto a toda essa modernidade, o país é repleto de pequenas cidades que preservam a cultura gaélica das mais variadas formas, como seus castelos encantadores, construções típicas e sua música inconfundível.Nosso roteiro começou por Edimburgo, onde desembarcamos e dormimos uma noite para descansar do batidão de avião, aeroporto e fuso horário. Na manhã seguinte, bem cedinho alugamos um carro rumo as Highlands, as famosas terras altas. Pegamos a rodovia A9 (conhecida como uma das estradas mais bonitas do mundo) em direção a cidade de Inverness, capital das Highlands onde passamos dois dias.  Já nesse trajeto encontramos lugares incríveis como as cidades de Pitlochry e Aviemore que ficam dentro do Parque Nacional Cairngorms.

Em Inverness, exploramos lugares como o Lago Ness (sim, o monstro apareceu pra mim e mandou beijos a todos!) e a Trilha Whisky na região de Speyside. Por lá ficamos hospedados num hotel que é um castelo do século XVIII, chamado Cullonden House. O lugar é simplesmente mágico e a maneira como fomos recepcionados me fez chorar! E muito! Não só por estar realizando um sonho, mas por que acho que queria muito ter vivido naquela época!

De Inverness fomos para a Ilha de Skye, onde ficamos no vilarejo de Portree, capital da ilha.  Mas antes disso, no caminho passamos no Eilean Donan Castle, um lugar cheio de história e luta, impressionante! A partir dali conhecemos pontos turísticos importantes como o rochedo Old Man of Storr, a região de The Quiraing e o Neist Point Lighthouse, onde ficam os faróis mais famosos da Escócia. Nesta região ficamos hospedados no Cuillin Hills.

Os passeios foram um tanto quanto “performáticos” já que descemos e subimos montanhas, cachoeiras e até rios. Mas de forma geral, foram muito pouco cansativos já que a paisagem deixa tudo ainda mais bonito. Digno de filme!

De Skye partimos para região próxima à Fort Williams e ficamos hospedados no Glengarry Castle Hotel, construído no século XIX, simplesmente UM SONHO. Ainda percorrendo o passado, conhecemos o Glenfinnan Viaduct, por onde passa o Jacobite Steam Train, a locomotiva que ficou famosa por aparecer algumas vezes nos filmes do Harry Potter, sendo conhecida por ser o trem Hogwarts Express. Sem dúvida alguma um lugar mágico! E nessas e outras encontramos com as famosas “vaquinhas de franja” das terras altas. Foooofas!

 Umas das coisas mais legais nessa viagem é que todos esses trajetos foram realizados em pouquíssimo tempo! As distâncias são bem curtas e o maior curso que percorremos foi o inicial, de Edimburgo a Inverness, que durou o total de três horas e meia, ou um pouco mais, pois fomos degustando os momentos e as paisagens!

E por falar em paisagens, o que mais fiz nessa viagem foi o exercício de contemplar! Olhar bem para cada lugar, cada vista e agradecer pelo momento presente. As Highlands são um conjunto de exuberâncias que com certeza vou guardar na memória para sempre!

De Fort Williams, após praticamente uma semana, voltamos para Edimburgo e lá estabelecemos “pouso” por algumas semanas, quando então pudemos curtir cada canto daquele lugar mágico. Alugamos apartamento, então consegui vivenciar um pouco da vida local da forma como mais gosto. Fazendo compras no supermercado, trocando ideias com vizinhos e me perdendo naquelas ruelas.

Além da vivência local, também tirei um tempo para me dedicar aos estudos e assim aprimorar o inglês, a língua que tenho mais facilidade. O sotaque escocês é bem carregado e esse foi um dos fatores que me despertou mais ainda a vontade de realizar essa viagem! Morei algum tempo no Canadá, estudei em Londres e em Nova York e justamente em decorrência desses roteiros anteriores, que resolvi fugir do óbvio na hora de aprender! Mas isso é assunto para outro post!

Para verem mais detalhes desta viagem dos sonhos, abaixo seguem os dois vídeos que fiz durante a minha viagem pelas Highlands escocesas! Enjoy it!

22
ago

A moda escocesa e sua influência

É inevitável estar em um lugar diferente, diante de costumes que muitas vezes não são os nossos, e não ficar contemplando os hábitos das pessoas que vemos nas ruas. Nessa minha imersão na cultura escocesa não seria diferente. Por onde passo vejo lojas típicas com os famosos kilts nas vitrines e pessoas que carregam elementos gaélicos em sua vestimenta.

E boa curiosa que sou, decidi ir um pouco mais a fundo e pesquisar sobre a história da moda escocesa e de suas influências. Obviamente, vou compartilhar tudo isso com vocês por aqui! Vem comigo?Os kilts são saias tipicamente escocesas, pregueadas na parte de trás e transpassadas na parte da frente. Eles foram originalmente destinados aos homens guerreiros dos clãs das terras altas. Cada tartã (ou tartan, padrão quadriculado e xadrez) dessas vestimentas representa uma família específica, como os clãs Stewart, Fraser e tantos outros.

A tradição diante desse traje é tão forte, que se perpetuou ao longo dos séculos e inspirou não só o povo gaélico, mas também o universo da moda. A estampa xadrez é sem dúvidas uma das mais famosas do mundo e junto da estética da peça em questão, já foi tema de coleção de diversos estilistas.

A aparição mais icônica da influência escocesa na indústria fashion foram os looks vestidos por Alexander McQueen e Sarah Jessica Parker no tapete vermelho do também tradicional Baile do Metropolitan Museum of Art em 2006. Com a maestria do estilista, a dupla surgiu vestindo o tartã por cima de um vestido e de um smoking, quando o tema da festa era a tradição e a transgressão britânica na moda.

Nas passarelas um dos desfiles mais memoráveis em que o xadrez escocês imperou, foi a temporada de inverno 2013 da marca italiana Moschino. A estampa aparece em terninhos, blazers, conjuntos e vestidos, acompanhada de outras referências da cultura britânica, como os uniformes dos guardas reais ingleses.

Por fim e um pouco mais perto de nós, Glória Coelho já vem flertando com a cultura escocesa desde os anos 90. Declaradamente fã do universo gaélico, a estilista apresentou sua coleção pre-fall de 2016 mergulhando em ícones da Escócia como trajes de guerra medievais, aquela bolsinha que se usa na frente dos kilts e os próprios tartãs em uma releitura através de sua famosa alfaiataria futurista.

04
ago

Hotel nas Highlands – Culloden House

Sem sombra de dúvidas, iniciar uma temporada na Escócia viajando pelas Highlands, é um ótimo jeito de mergulhar fundo na cultura gaélica e sentir de perto como era viver entre essas paisagens incríveis há alguns séculos atrás.

Nosso primeiro destino nessa jornada foi a cidade de Inverness, a capital das famosas terras altas! De Edimburgo até lá normalmente leva cerca de três horas e meia, mas no nosso caso o trajeto foi mais longo, já que fizemos algumas paradas para conhecer determinados lugares e apreciar a vista.

Em Inverness ficamos hospedados no hotel Culloden House, um castelo do século XVIII que fica um pouco mais afastado da cidade. A opção de não ficar próximo ao centro veio da ideia de vivenciarmos uma experiência diferente, já que em outras viagens sempre optamos pelo murmurinho central!

Como eu disse anteriormente, o Culloden House teve sua origem no final do século XVIII, quando Inverness, atraía diversas famílias da região por conta de seus bailes, assembleias e atividades que só uma capital oferecia na época. Então um anel de mansões surgiu ao redor da pequena metrópole, porém a única que ainda resiste até os dias atuais é a construção onde o hotel está localizado, em um campo aberto e lindíssimo, diga-se de passagem!

A recepção que tivemos ao chegar no hotel foi simplesmente emocionante! A beleza da paisagem e da construção me tomaram por completo e ao som da típica gaita de foles, eu derramei algumas (bastante) lágrimas! A sensação de estar realizando um sonho, de me deparar com cenas dignas de filmes e de parecer estar vivendo em outro século, deixa difícil a missão de não se comover a cada lugar que conhecemos!

A decoração do castelo deixa bem claro que estamos na Escócia! Em cada detalhe é possível enxergar uma estampa xadrez bem típica, seja na roupa de cama ou na mesa de jantar! O nosso quarto era extremamente aconchegante, com uma vista tranquila para o jardim, tudo limpo e perfeitamente pensado!O café da manhã é um caso à parte. Para mim, café da manhã é a hora mais alegre do dia. Em experiências como estas então, nem se fale! E foi algo próximo de “outro mundo”. Tudo no menu era disponível para pedidos: dos chás, aos mais elaborados ovos mexidos com salmão fresco, algo bem típico da região. Realmente um DESLUMBRE!

Isto sem contar a vista para o campo! Meu Deus..  Um sossego, uma paz, uma beleza.. infindáveis!O jantar foi outra experiência memorável. Pesquisamos e chegamos à conclusão de que não poderíamos perder a oportunidade de jantar pelo menos uma noite no hotel. Por ser um hotel antigo e tradicional, nos deparamos com algumas exigências tais como, no jantar inicial, pontualidade e traje social, mas nada que já não estivéssemos preparados! Pedimos entrada, prato principal e sobremesa. Para os dois! Tudo minuciosamente preparado e elaborado. Além disso, água, água com gás e vinho. Valeu caloria por caloria!A noite, assim como a estadia de forma geral foi realmente memorável!

Há também o chá da tarde, que acontece, se não me engano de 12 às 17hs. Uma pena não termos tido tempo para ficar e contemplar um pouco mais do hotel. Afinal, a beleza fora dali também é avassaladora. A experiência de se hospedar em um castelo de verdade foi mágica do início ao fim e marcou definitivamente o começo dessa longa e deliciosa aventura que é a Escócia!

Fiquem de olho que nos próximos dias trarei mais dicas de hospedagem e da viagem como um todo!

03
ago

Vídeo: VLOG: viagem pelas Highlands (#AnitanaEscócia)

Nosso roteiro começa por Edimburgo, pois é onde o nosso voo chegou. Esta viagem acontece em julho de 2017 (alto verão.. hehe) De Edimburgo partimos cedinho para as Highlands, as tão sonhadas terras altas (Outlander). A gente pegou a rodovia A9 (umas das estradas mais bonitas do mundo) rumo a Inverness, a capital das terras altas. No caminho passamos por lugares lindos e dos sonhos, como as cidades Pitlochry e Aviemore, situada dentro do Parque Nacional Cairngorms (maior parque britânico).

Chegando em Inverness ficamos num hotel do século XVIII: Culloden House. Lá exploramos tudo nos arredores, como o Lago Ness e a Trilha do Whisky, na região de Speyside (principal região produtora de Single Malt whiskies da Escócia).

De lá fomos para a Ilha de Skye, mas aí vocês vão conferir tudo na segunda parte deste vlog!

Vem ver!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!