Fresca? Não! Bem criada.

Tag: No instagram

30
jun

Na lida com ANITA

Atendendo a pedidos, aqui seguem mais alguns looks Na lida com ANITA! A correria do dia a dia, pelo menos por enquanto, só tem deixado tempo para os looks rápidos de espelho. Mas tá valendo, néee?! Como podem ver, o tempinho já está um pouquiiiiiiiiinho mais frio, o que permite uma meia calça mais grossa (se bem que, em se tratando de ambientes de trabalho com ar condicionado, pouco ou nada importa o tempo lá fora, se a temperatura interna é congelante, néeeeeeeeee.. afff).

O primeiro look é composto por uma sainha que comprei no Py (eeeeeeeeeeeeeeeeh! AMO). De resto usei uma camisa preta (Zara) por baixo da malha branca (Renner) e só. Nos pés um scarpin de salto médio (Schutz).saia pyO segundo look, foi uma produção usada no dia do Arraiá do trabalho. Foi um tantinho exagerada, mas a ideia é que fôssemos, de alguma forma, a caráter. Então aproveitei o xadrez da saia (Vestido, Saia e Blusa) e o cinto colorido (Py). De resto, malha branca (Riachuelo) e scarpin preto (Schutz).xadrez

01
maio

Diário de ANITA!! – parte I

Oizinho! Como contei no último Diário, passei alguns dias da semana passada na minha terrinha querida: Beagá!! Pois então! A semana começou da melhor maneira possível! Com um encontro cazamigas!! E para comemorar eventos importantissíssimos como estes, nada mais adequado que um brinde né..Amigues E rendeu, viu!? Risos, fofocas e muita energia boa! O lugar escolhido dessa vez foi a Casa Bonomi, uma espécie de boulangerie/pâtisserie suuuuper tradicional em BH. Lá eles servem pães, croissants e grissinis maravilhosos, além de pratos e petiscos estupendos. Para comer eu pedi esta bruschetta mara, que vinha acompanhada desta saladinha deli! Depois que pedi, quem ainda não tinha feito o pedido resolveu copiar. Pois não tá bonita só de ver não, de comer também! Bruschetta1A Casa Bonomi é uma pedida certa para um chá da tarde, um café da manhã ou qualquer outra coisa que se queira! Amo! Os outros dias foram divididos entre família, amigos, comprinhas e até trabalho. Aproveitei também para tirar a barriga da miséria no Dona Conceição, restô de comida mineira que adoro! Não amo de paixão aquela típica comida mineira cheia de molho não, mas lá tem tanta opção que você encontra de tudo. E o melhor: mooooita pimenta! Adoro!
Dona ConceiçãoE o pior é que a roliçança não acontece só na rua, não. Já viram, né!? Casa de mãe é aquela coisa: se não comer de tudo, magoa.. hehe. Então, tirando uma casquinha de Mamita, aproveitei ainda pra trazer mais tortinhas de batata semiprontas para fazer aqui em BSB. Não sou boba nem nada, né.. Aí já tava prontinho “pra viagem”..rs. Acho que depois volto pra postar a receita. Tenho certeza que vão adorar também!Tortinha Nesse meio tempo ajeitamos o que faltava no vestidinho que vai direto para Foz do Iguaçu, para vestir minha afilhadinha e sobrinha JÁ amada, que já já está por aí! Gente, vê se tem como não ficar emocionada? Esse vestidinho foi feito, à mão, pela minha vovózinha querida, para o niver de um aninho da minha irmã. Pensa na riqueza disso? Coisas que realmente não têm preço, né.. VovóBom, uma voltita aqui, outra rosetada ali, eu, que também sou filha de Deus, aproveitei para fazer umas compritchas. Não sei se contei que estou bem enveredada pelo mundo das sapatilhas, contei!? Pois é.. elas nunca fizeram muito a minha cabeça não. Mas agora estou dicando bem in love!! Mas tenho lá minhas preferências. Gosto das bicudinhas (às arredondadas) e gosto que tenham também algum “tcham”, para não ficar básico demais. Então, quando avistei essa, achei que era “meu número”. SapatilhaGostam? Achei bem chiquezinha, boa pra trabalhar e sair! Ahh, também encontrei uma loja no 5a Avenida com peças lindíssimas, especialmente calças. Como uso muito, especialmente as de alfaiataria, não hesitei em levar. Já já vocês vão ver por aqui, nos looks. Mas enquanto isso, vejam os detalhes. Tem da lisa mesmo, tem de linho, tem com detalhezinho, tipo casinha de abelha e tem a “estampa a moda”, em preto e branco.Calças

Continua..

09
dez

Sig Bergamin – “O” arquiteto!

Suuuuper por um acaso, quando iniciei meus “trabalhos” no instagram, (@anitabemcriada) comecei a notar imagens de peças e de ambientes belíssimos, lugares e paisagens espetaculares, sendo postadas por uma tal pessoa, até então desconhecida para mim. E aquilo começou a me chamar muito a atenção! Foi então que comecei a seguir o tal de “Sig Bergamin“. De curiosidade passou a vício. Comecei a procurar na internet sobre o tal “Sig” e foi aí que percebi tooooda a história que envolve a vida e trajetória desse badalado arquiteto brasileiro!

Resolvi mostrar aqui pra vocês a própria casa do arquiteto. Fiquei espantada com a ousadia e sagacidade da decoração que ele mesmo criou. Não é de longe algo que eu escolheria para mim, mas acredito que vocês, assim como eu, sabem apreciar uma criação artística (que é o que de fato é!), ainda que ela não seja do seu gosto pessoal. Mestre na arte de mesclar o clássico e o étnico, o arquiteto brasileiro de dom e olhar singulares, aproveita sua casa para descansar, inspirar-se e experimentar novas possibilidades de decoração. Comprador compulsivo e viajante voraz, ele coleciona livros, tecidos antigos, cristais de murano, objetos de arte, etc. Tudo isso está reunido em sua casa, numa desordem organizada pelo bom gosto e pelo olho de quem aprendeu a enxergar o que é bonito. Não exatamente o que custa mais caro. Como ele costuma dizer: “cafona é ostentar; luxo é ter tempo para ficar em casa.” A sala de estar reúne as coleções venezianas de murano e muitas das peças chinesas compradas em viagens. os tecidos jogados em cima dos sofás são “suzani” produzidos no Uzbequistão. Um deles era parte da cortina de uma galeria de arte em paris. A peça se acomodou perfeitamente no encosto do sofá. o quadro, no centro, é um Iberê Camargo arrematado em são paulo há quinze anos. As paredes laranja com obras de Alexander Calder, Roberto Magalhães e Iberê Camargo, o conjunto de sofás bordô e o enorme tapete magreb de listras coloridas dão o tom alegre à sala. Reforçam o astral positivo a lareira emoldurada de azulejos marroquinos e os inúmeros muranos que o proprietário coleciona há 20 anos. Diversas poltronas, cadeiras e almofadas convidam a um aconchegante e descontraído convívio social. A enorme biblioteca, onde Sig recebe os amigos e faz reuniões de trabalho. Da mesa de oito lugares, recoberta por um colorido tecido étnico, ou do sofá chesterfield verde de veludo francês, o único som que o arquiteto ouve é o canto dos pássaros. “Minha casa é meu refúgio. Nela descanso e me sinto bem.” A biblioteca é o lugar mais frequentado da casa. Nela, Sig passa a maior parte do tempo folheando os quase quatro mil títulos de arte e decoração. os que ficam em cima da mesa são os que ele está lendo no momento ou os que vão acompanhá-lo na viagem do fim de semana.Ali ele também faz o jantar – muitas vezes com uma bandeijinha no colo, diante do televisor, cercado por gravuras de Miró e Andy Warhol. simples, assim! Toda a casa é repleta de objetos escolhidos em antiquários. “Quando olho ao redor da minha casa, gosto de tudo o que vejo. São peças que fui adquirindo durante a vida e pelas quais tenho muito carinho”, conta Sig.Infinitas tonalidades de azul reinam na sala do sótão, local reservado para o proprietário e suas cadelas – a bulldog francesa Ásia e as labradoras África e América. Para que a casa parecesse antiga, Sig instalou, por exemplo, madeiras advindas de demolições nos pisos e no teto do ambiente. A diversidade cultural, que tanto o encanta, está presente em cada metro quadrado de seu domicílio. “Costumo dizer que esta não é a casa de um decorador, mas sim a de um eterno viajante”, comenta. Garden seats, abajures estampados, flores, tecidos étnicos, almofadas e iluminação natural são alguns dos truques do decorador para dar charme à sala. Jisuuuuis amado! O que faço que toooodas essas taças Strauss, das mais diferentes cores e tamanhos. Quero TU-DO!
No sótão, o decorador criou espaço para uma estante que abriga guias e fotos de suas incontáveis viagens mundo afora. Um espetáculo, não?! Claro! É de uma peculiaridade que só! Mas até para mesclar tudo e mais um pouco é preciso muuuuuuito talento! Virei fã DEMAIS!

Fonte: Revista Estilo e Isto é Gente!

01
jan

Pra inspirar!

Vocês certamente já ouviram falar de Chiara Ferragni, a loirinha famoooouuuusa à frente do The Blonde Salad, não!? Até acredito que muitas não, mas muuuuuuitas sim!! Esta blogueira, italiana de 25 anos e estudante de direito, criou seu espaço em 2009 e hoje é sucesso absoluto!!

Eu a sigo no instagram (já me seguem? @anitabemcriada) e  B-A-B-O  com suas produções! Apesar do extremo bom gosto e sofisticação das marcas usadas, ela mostra muita naturalidade e personalidade em suas montações. Não é escrava do salto, adora uma rasteirinha ou sapatilha e não se prende a nenhum estilo. Sou fã demais de gente com identidade própria!

Aqui embaixo eu separei algumas (muitas, sorrrry, não resisti!) de suas produções para que vocês vejam um pouco do que tô falando, e  que também podem servir de inspiração para a estação mais esperada do ano que já já taí: o verão!

Inspirador, né?! Tem pra tudo quanto é gosto aí.. Ahhh, repararam o tanto de sandáliaq/sapato da Luiza Barcelos que apareceu aí?

01
jan

Coqueando por aí!

Gente, se tem algo quando o assunto é cabelo que me encanta são os coques. Talvez pela influência do ballet, talvez pela praticidade em si. Mas fato é que um cabelo preso num coque, seja para uma festa, para o trabalho ou mesmo para uma baladinha, nunca, mas NUNCA mesmo, falha! Acho que “limpa” a aparência, sabe.. em festas então, madrinhas, noivas, enfim, para pessoas que vão ter mais destaque em algum evento, eut enho uma total predileção por eles.

E não estou aqui me limitando aos coques clássicos, ultra presos, sem um fio solto. Nada disso! Apesar de uma tendência sempre pro lado deles (dos coques) sou completamente versátil quando o assunto é o estilo. Amo os clássicos, mas também adoro os despojados, soltinhos, bagunçadinhos.. Enfim, eu gosto é muito!!

Mas existe algo que nós, morenas, precisamos admitir: um cabelo claro, mais puxado para o louro mesmo valoriza muitíssimo mais um penteado, seja ele coque ou não. O próprio tom do cabelo facilita a visualização do resultado final do penteado. Mas nem por isso nos acanhamos e deixaremos de usar, né. Ao contrário! O legal é conversar com o profissional que irá trabalhar no seu cabelo e explicar o que se quer para que o resultado agrade a todos (especialmente a você).

De qualquer forma, para mostrar que o coque cai bem das morenas às louras, passando pelas ruivas, inclusive, selecionei imagens muitíssimo inspiradoras que podem servir para uma ocasião especial! Espero que gostem!!foto (32)foto (29)foto (34)foto (31)foto (7)foto (24)foto (20)foto (27)foto (19)foto (22)foto (18)foto (23)foto (25)foto (26)foto (28)foto (16)foto (17)foto (15)foto (21)foto (14)foto (12)

foto (10)foto (11)foto (13)foto (9)foto (5)foto (8)foto (1)foto (6)foto (3)foto (5)

Imagens: instagram (@penteando)