Fresca? Não! Bem criada.

Colunistas

07
dez

Planeje-se em 2019 – onde comprar planners e agendas

O momento de transição entre o final de um ano e o inicio de outro sempre nos proporciona um período de reflexão e por consequência desejo de transformar e colocar em prática planos que ficaram engavetados.

E para que seja possível materializar determinadas metas, organização é a palavra de ordem! Agendas, planners, calendários e listas são fortes aliados nesse processo e como aficionada por papelaria que sou, resolvi reunir nesse post as melhores opções de onde comprar esses produtos! Bora se organizar?

 

1 – Papel Craft

A Papel Craft é uma das grandes referências de papelaria no mercado nacional. Com estampas autorais, todos os produtos da marca são coloridos e repletos de auto astral.

No site é possível encontrar opções variadas como agendas semanais, calendários e planner diário.

www.papelcraft.com.br

 

2 – A.Craft

A marca A.Craft é daquelas que você fica horas passeando no site, de tanta opção e tanta lindeza. Dentre cadernos e washi tapes, o produto que faz mais sucesso é o planner customizável, no qual você compra a capa de um material mais durável e monta o miolo com vários caderninhos que possuem funções variadas como agenda semanal, plano alimentar e caderno de anotações.

Além disso, é possível acrescentar no combo adesivos, marcadores e porta canetas. Todos com estampas e cores pra lá de fofas!

www.acraft.com.br

 

3 – La Papeterie

Para quem precisa daquela palavra de força durante os dias do ano, a La Papeterie tem a opção certa de agenda. O planner 2019 vem estampando palavras como coragem e leveza e em seu recheio frases que ajudam a gente a dar aquele respiro durante o dia!

www.lapapeterie.com.br

 

 

4 – Flor de Mim

E para florescer a rotina os planners da Flor de Mim vêm cheios de cores, estampas autorais e muitas estratégias de organização. Além de agendas e produtos de papelaria a marca desenvolve cursos e dá dicas nas redes sociais de como formular uma rotina de acordo com suas demandas.

www.flordemim.com

 

Adquirir uma nova agenda, novos caderninhos e riscar listas são coisas que sempre dão um gás a mais na hora de planejar o ano. Com tantas opções para compra online, a desculpa de uma vida bagunçada quase que acabam. E você, como vai se organizar em 2019?

 

*Dica bônus

Para quem eventualmente for dar um rolê por Buenos Aires, vale super a pena conhecer a papelaria Monoblock. Por lá você vai encontrar estampas autorais super irreverentes e cheias de referências à cultura pop como Frida Kahlo, David Bowie e Sex and The City.

linktr.ee/monoblock

 

Elisa Santiago é formada em Design de Moda e se considera uma eterna amante das ruas, das artes e da papelaria rs. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.

20
nov

Genebra Antiga: as 10 melhores atrações do centro histórico

Nosso tour pela belíssima Genebra continua! Depois de dar dicas aqui no Anita Bem Criada sobre o melhor da parte moderna, vou mostrar as dez melhores atrações do centro histórico dessa lindíssima cidade. O maior centro histórico da Suíça e o coração de Genebra tem nome: Vieille-Ville. É lá que toda a história da cidade começou e onde estão localizadas, atualmente, as áreas comercial e financeira. Vamos ver então o que precisa estar no seu roteiro!

1 – Parc de Bastions e Reformation Wall

O Parque dos Bastiões está localizado na Place de Neuve. É nesse exuberante parque que está o famoso Muro dos Reformadores, representando os grandes personagens da Reforma Protestante. No centro do muro estão João Calvino, Guillaume Farel, Théodore de Bèze e John Knox. Dos lados, estão representadas as personalidades que contribuíram para disseminar a Reforma no continente europeu. Esculpida no muro, nota-se a frase «Post Tenebras Lux» (“Depois das trevas, a luz”), que representa a filosofia calvinista.

2 – Place du Bourg-de-Four

Essa é a praça mais antiga da cidade. Mesmo no passado, as estradas que levavam até Genebra passavam por essa região, cujos mercados são importantes desde o século IX. Com o passar do tempo, foram construídos andares em cima dos comércios que acabaram virando casas para acolher os refugiados protestantes vindos de diversas partes da Europa. Nessa charmosa praça, você vai encontrar bares, cafés e restaurantes.

 

3 – Catedral de Saint Pierre

Bem próxima a Place du Bourg-de-Four, está localizada a Catedral de Saint Pierre, um importante monumento histórico. Ao longo dos anos, a Catedral de Genebra sofreu diversas modificações na sua arquitetura. A primeira fase de construção ocorreu em 1160 e durou quase um século. Essa é uma das poucas catedrais europeias que apresenta um estilo neoclássico. Quanto à importância na história do cristianismo, vale mencionar que João Calvino, uma das principais figuras da fundação do protestantismo, passou muito tempo pregando nessa Catedral. No interior, os visitantes encontram uma cadeira de madeira que ele usou. E – se você animar um exercício físico – vale a pena alcançar o topo das torres, após uma subidinha de 157 degraus, para apreciar o visual  incrível da cidade e do lago. Na Catedral, também é possível visitar um sítio arqueológico

Fique atento no horário de funcionamento porque cada parte da Catedral tem um específico. Além disso, varia conforme os meses do ano. Então o ideal é entrar no site e conferir.

 

4 – Promenade de la Treille

Originalmente utilizado no século XVI como um posto estratégico para fins militares, dada a sua altura e posição, atualmente consiste em um local de lazer. Por ser um local alto, tem um visual espetacular! É aí que está o maior banco de madeira do mundo com 120 metros de comprimento. Também é local de uma série de eventos durante o ano, incluindo um festival de música e da comemoração anual da Batalha de 1602 de L’Escalade.

 

5 – Palais de Justice

Esse é um ponto turístico para a galera do Direito! Sempre que viajo gosto de ver os Tribunais, é mania mesmo, por conta da minha formação jurídica. O interessante é que logo abaixo do prédio do Palácio da Justiça de Genebra tem uma adega! Uma boa pedida sair do trabalho e já fazer um pit stop por ali, né?

 

6 – Hotel De Ville 

Parte do património histórico e cultural do cantão de Genebra desde o século XV, já foi palco de muitos eventos políticos importantes. Dentre eles, em 22 de agosto de 1864, a Convenção de Genebra foi assinada na Sala Alabama! Por meio desse ato foi fundado o Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Nessa mesma sala, o conflito histórico entre os Estados Unidos da América e a Grã-Bretanha foi encerrado, em 14 de Setembro 1872, por uma sentença do tribunal arbitral. Também foi no Hotel de Ville que a Liga das Nações foi criada, em 1920. Atualmente, abriga as sessões do parlamento e do governo cantonal, assim como outros departamentos governamentais, incluindo a Chancelaria do Estado e do Secretariado-Geral do Conselho Supremo. 

 

7 – Old Arsenal

Do outro lado da rua, o Old Arsenal era um celeiro construído no século 17 e, posteriormente, foi usado como armazém militar até 1877. Atualmente, abriga três lindos afrescos de Alexandre Cingria, que retrata a chegada de César na cidade em 58 A.C. e outros fatos históricos relevantes para a cidade. Os canhões servem como lembrança de um período em que Genebra precisava se defender dos vizinhos. Atualmente, abriga os Arquivos do Estado de Genebra. 

 

8 – Maison Tavel

Essa é a mais antiga residência privada em Genebra. Por isso, é um exemplo autêntico da arquitetura medieval na Suíça, tendo sido reconstruída após um incêndio ocorrido em 1334. Desde 1986 abriga o Museu de História Urbana e Vida Diária de Genebra, com exposição permanente de relíquias do passado de Genebra, incluindo gravuras e pinturas. 

 

9 – Maison de Rousseau

O famoso filósofo Jean-Jacques Rousseau nasceu em Genebra em 1712 e viveu por lá durante a infância. Hoje, a casa em que ele nasceu tornou-se lugar de troca de ideias, debates e encontros literários. A vida e obra de Rousseau são contadas durante um tour de 30 minutos, com destaque para os temas mais importantes tratados pelo filósofo.

 

10 – Place du Molard

Os cafés, bares e restaurantes, ficam bem animados durante a noite na Place du Molard. Por ali, você pode aproveitar para fazer umas comprinhas e jantar na Globus, loja de departamentos com um ambiente de gastronomia moderninho para todos os gostos!

 

Espero que você tenha gostado das dicas! No próximo post, vou mostrar as melhores opções para bate-voltas com saída de Genebra. Se quiser saber mais sobre outras cidades da Suíça, veja o Teoria da Viagem!

 

Bianca Cobucci é Defensora Pública, Mestre em Políticas Públicas e coordenadora do Projeto Falando Direito; Autora do blog Teoria da Viagem. Escreve sobre os direitos do consumidor relacionados à viagem e turismo, bem como sobre os países e lugares que já que visitou.

17
out

Genebra moderna: atrações imperdíveis!

Genebra foi a cidade eleita como O melhor destino da Europa para descansar em 2015; pelo World Travel Awards (WTA), considerado o Oscar do turismo. Este é o segundo ano consecutivo em que a cidade ganha o prêmio. E eu sou prova de que Genebra é mesmo uma daquelas cidades que estão na categoria das imperdíveis, das que você precisa conhecer um dia. Digo isso porque Genebra simplesmente tem tudo. Consegue ter características de cidade grande e pequena ao mesmo tempo, tem o centro histórico e a parte moderna da cidade, tem um lago enorme e muito bem aproveitado pelos locais, tem mil restaurantes e cafés, tem museus, tem ótimos passeios de bate-volta, e mais uma infinidade de opções para todos os gostos.

O difícil vai ser conseguir tempo para fazer tudo que dá vontade! Pensando em otimizar seu tempo, separei as atrações imperdíveis de Genebra para você se programar. E, para que os posts não fiquem gigantes, vou primeiro destacar as principais atrações da parte moderna da cidade. Deixo para apresentar o centro histórico no próximo post!

Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN)

A visita ao CERN é um passeio único, que você só pode fazer em Genebra, pois não tem nada parecido em nenhum outro lugar do mundo!

No CERN, físicos e engenheiros investigam a estrutura fundamental do universo. Eles usam os mais
complexos instrumentos científicos do mundo para estudar os componentes básicos da matéria – as partículas fundamentais. As partículas são feitas para colidir em conjunto quase alcançando a velocidade da luz. O processo dá os físicos pistas sobre como as partículas interagem, e fornece insights sobre as leis fundamentais da natureza. Os instrumentos utilizados são aceleradores de partículas. Fundado em 1954, o laboratório CERN situa-se na fronteira franco-suíça.

É no CERN que está o Large Hadron Collider (LHC), o maior e mais poderoso acelerador de partículas do mundo, que começou a funcionar em 10 de setembro de 2008. Se você for aficcionado pelo assunto, sugiro fazer uma visita guiada pelo laboratório, que, inclusive, é gratuita. Para mais informações sobre a visita guiada, você pode clicar aqui.

A visita ao CERN é muito interessante! Você sai de lá filosofando sobre o big bang, o início e a composição do universo, os avanços da ciência e da tecnologia, entre muitos outros temas. Vale muito a pena!

Endereço: CERN CH-1211 Geneva 23

Palais des Nations

Construído entre 1929 e 1936, o Palais des Nations abriga a sede europeia das Nações Unidas. O Palais é a
segunda maior sede da ONU, sendo a primeira a de Nova York. Está situado no Parc de larjan e está aberto para visitação diariamente. Também oferece passeios guiados.

Na frente do prédio das Nações Unidas, na Place des Nations, está a icônica peça de arte, Broken Chair
(Cadeira Quebrada). Construída pelo renomado escultor Daniel Berset em 1997, a escultura tem por objetivo lembrar ao mundo a situação das vítimas de minas terrestres e incentivar os Estados a comprometerem-se a assinar o Tratado de Ottawa para a proibição das minas. Para ilustrar essa mensagem, a cadeira tem apenas três pernas e a quarta está quebrada na metade.

Endereço: Avenue de la Paix 14 12o2 Geneva

Jet D’eau

O jato de água mais elegante do mundo está em Genebra! E deixa o lago da cidade ainda mais bonito!

Originalmente, lá pelos idos de 1891, o Jet D’eau era somente uma válvula de segurança de certa fábrica
hidráulica. Mas a partir de 1951, com uma estação própria de bombeamento, 500 litros de água sobem a uma velocidade de 200 km/h por segundo e alcançam 140 metros de altura. Desde o início, o Jet D’eau enfeita ocentro do cais de Genebra e atualmente é uma atração turística.

Endereço: Quai Gustave Ador 1207 Genève

Bains de Pâquis

Bem ali no calçadão da Quai du Mont Blanc, estão os famosos Bains de Pâquis. É justamente aí que os
locais se encontram para tomar sol, nadar, fazer sauna, banho turco, massagem, entre outras atividades.

Endereço: Quai du Mont-Blanc 30 CH – 1201 Genève

Relógio florido

O relógio, localizado na esquina do Jardin Anglais, foi criado pela primeira vez em 1955, e contém
aproximadamente 6.500 flores e plantas. O ponteiro dos segundos tem 2,5 metros de largura, sendo
considerado o maior do mundo. Além disso, o relógio marca as horas com a típica precisão suíça, por meio de satélite!

Museu de História Natural

Eu sou totalmente suspeita para falar porque adoro Museu de História Natural! Provavelmente o de Genebra não seja tão gigante quanto o de Nova York, mas ainda são 8.000 m2 de exposições e vale o passeio! De qualquer forma, esse é o maior Museu de História Natural da Suíça. A coleção do Museu está dividida em quatro etapas que apresentam o mundo fascinante dos minerais, da fauna regional, dos mamíferos e pássaros do mundo, dos batráquios e insetos, bem como da evolução do Homem.

Endereço: Route de Malagnou 1 – 1208 Genève

Para saber mais sobre Genebra, fique ligado no próximo post sobre o centro histórico da cidade. E, se você quiser conhecer outras cidades da Suíça, veja o Teoria da Viagem !

Bianca Cobucci é Defensora Pública, Mestre em Políticas Públicas e coordenadora do Projeto Falando Direito; Autora do blog Teoria da Viagem. Escreve sobre os direitos do consumidor relacionados à viagem e turismo, bem como sobre os países e lugares que já que visitou.

22
ago

Miami, top 5!

Miami é um destino super queridinho dos brasileiros. Arrisco dizer que essa procura sempre constante pela cidade provavelmente deve-se ao fato de que o clima é bem parecido com o nosso, além de não ser tão distante assim. Apesar de já ter ido quatro vezes, confesso que Miami não está na lista dos meus destinos preferidos (amo um climinha europeu), mas reconheço que tem muita coisa interessante para fazer por lá. E para quem curte muito praias e compras é impossível não aproveitar. Voltei de Miami recentemente e bateu a vontade de compartilhar meus lugares preferidos com vocês.

 

1 – Malibu Farm Miami

Inaugurado em abril desse ano (2018), O Malibu Farm é o meu restaurante predileto em Miami por dois motivos: além de ficar na frente da praia, o restaurante adota o estilo “farm-to-table” (da fazenda para a mesa). Isso significa que a ordem da casa é servir alimentos “frescos, orgânicos e produzidos localmente”. Coisa rara de se encontrar, sobretudo nos Estados Unidos.

Sob o comando da chef Helene Henderson, cuja experiência escandinava influenciou sua culinária ao longo da carreira, o restaurante aposta na diversidade de pratos para agradar gregos e troianos, ou veganos e carnívoros. Eu experimentei o Chicken Ricotta Burguer e AMEI!

O restaurante está localizado na famosinha Collins Avenue, dentro do Hotel Eden Roc. Se você for de carro, não se preocupe, tem valet no local.

Endereço: Eden Roc Miami Beach, 4525 Collins Ave., Miami Beach.

 

2 – Brickell City Centre

Se, porventura, eu precisasse morar em algum lugar de Miami (e tivesse cacife para isso), certamente seria no Brickell City Centre (BCC para os íntimos). O empreendimento nada mais é do que uma mistura de unidades residenciais localizadas em um shopping mega ultra super moderno e escandaloso de lindo. Tem que conhecer!

Uma vez no Brickell, não deixe de dar aquela conferida no La Centrale, um food hall italiano, onde você vai encontrar mercado, restaurantes informal e sofisticado, cafeteria, sorveteria, chocolateria e bar, divididos em nada mais nada menos do que 3 andares.

Endereço: La Centrale at Brickell City Centre, 601 South Miami Ave, Miami.

 

3 – Miami Design District

O Miami Design District é um complexo moderno de lojas bem estilosas situadas em ruas contíguas do centro da cidade. O complexo é considerado uma vizinhança criativa dedicada à moda, design, arte, arquitetura, e gastronomia. E, realmente, faz jus à fama. Se você quiser aquela foto mega instagramável, dá uma olhadinha nesse link aqui.

No andar de cima do Miami Design District, você encontra o St. Roch Market – complexo gastronômico que engloba 12 conceitos dirigidos por vários chefs. As opções vão desde café artesanal e sobremesas veganas a sanduíches vietnamitas, açaí, massas frescas, risotos, tacos, opções israelenses, entre muitas outras opções. No St. Roch também tem um prato bem comum no Havaí, o poke bowl,  ideal para quem é fã de peixe cru.

Endereço: 3841 NE, 2ND Avenue, Miami.

 

4 – Bal Harbour Shops

Um dos shoppings mais distintos e classudos de Miami, o Bal Harbour não pode ficar de fora da minha lista de preferidos! Com certeza, um passeio muito agradável para o fim de tarde que não pode faltar em uma viagem para Miami!

Endereço: 9700 Collins Ave, Bal Harbour, Miami.

 

5 – Area 31

Para o visual mais incrível da noite de Miami, dê uma conferida no Area 31, rooftop do Hotel Kimpton Epic.

Endereço: 16, 270 Biscayne Boulevard Way, Miami.

 

Bom, são esses os meus lugares preferidos em Miami e espero que você tenha gostado! Mas, antes de finalizar, preciso deixar dois alertas importantes aqui. O primeiro é que tem tubarões nas praias de Miami. Eu e minha família não sabíamos disso e tomamos um grande susto quando um deles chegou muito, muito, perto da gente. Dizem que são bebês e não atacam, mas não dá para confiar, né? O segundo alerta é para quem vai alugar carro. Jamais estacione naquelas plazas (pequenos centros comerciais) e vá para outro lugar, como a praia, por exemplo. Se você fizer isso, é guincho na certa. E para tirar o carro não sai menos do que duzentos dólares. Portanto, preste atenção, pois ainda que não tenha placa informando sobre essa proibição é assim que funciona.

 

Bianca Cobucci é Defensora Pública, Mestre em Políticas Públicas e coordenadora do Projeto Falando Direito; Autora do blog Teoria da Viagem. Escreve sobre os direitos do consumidor relacionados à viagem e turismo, bem como sobre os países e lugares que já que visitou.

01
ago

Algumas coisas que eu diria a uma estudante de moda

Bom, eu acabei de me formar como Designer de Moda. Foram quatro anos malucos, de muito amadurecimento e de muitas dúvidas também. No final desse ciclo e daqui pra frente a gente leva uma bagagem enorme de aprendizados.

Mas eu não me refiro somente ao que a academia me proporcionou. Quando eu falo em aprendizados, eu falo também sobre o que minha mãe chama de “maldade pra vida”, aqueles ensinamentos que não estão nos livros e que apenas na vivência diária é que assimilamos.

Olhando pra trás eu consigo concluir tranquilamente que a Elisa que entrou na faculdade em 2014 não é a mesma Elisa que chorou aliviada depois de apresentar um tcc. De lá pra cá foram alguns quilos a mais, algumas toneladas de dúvidas e uma leveza adquirida depois de muitas reflexões pesadas.

E se hoje eu encontrasse aquela menina avoada e deslumbrada com o inicio do curso, eu daria a ela os seguintes conselhos:

Sabe aqueles filmes que você decidiu assistir só porque eram clássicos do cinema e nem tinham muito a ver com o seu gosto? Sabe aquelas tardes assistindo vídeo show e escutando sobre novelas antigas? Sabe aquele álbum da Xuxa que você ouviu até arranhar? Então, eles vão fazer todo o sentido quando você começar a ter suas primeiras aulas de Produção de Moda e Fotografia!

Coletar referências visuais e culturais sobre tudo, talvez seja a coisa mais importante a se fazer para continuar alimentando sua criatividade! Entender de filmes, de exposições, de movimentos, transitar entre assuntos que não são da sua área…Tudo isso vai contribuir como um diferencial na hora de criar uma imagem de moda e de entender comportamentos que possam vir a virar tendência.

Uma coisa é certa, a universidade oferece a base do que precisamos para entender a nossa área, mas ela não nos entrega isso de bandeja e nem nos apresenta um todo. É necessário que paralelamente ao curso, você siga buscando conhecimento por fora. Frequente palestras, se matricule em cursos de curta temporada, assista aos desfiles, conheça pessoas!

O que você precisa academicamente está lá na universidade, mas as vivências que direcionarão seus gostos e opiniões serão formadas nas ruas, nos estágios e pelo mundo a fora. Tenha como mantra que nenhum conhecimento tira pedaço, apenas agrega!

Muitas colegas suas vão entrar no curso ávidas pela prática. Sim, as aulas de desenho são incríveis, costurar é muito terapêutico e criar roupas dá um orgulho danado. Mas eu sei que você se preocupa com a essência das coisas. Sei que você não acredita na mercadoria pela mercadoria.

Então, aproveita pra se jogar também nas aulas teóricas! Moda é muito mais do que peças bonitas para usar por aí. Fique atenta quando o assunto for filosofia, semiótica, marketing, história, etc…você entende que esses campos do saber explicam muito do que somos hoje e do que seremos amanhã, então desfrute ao máximo!

Você vai precisar e consequentemente começará a olhar as coisas com o olhar de quem faz e não de quem compra. Esse exercício vai te fazer querer rever todas aquelas referências lá de cima e isso vai te instigar ainda mais a querer entender sobre comportamentos de consumo.

Naturalmente você vai sair do palco (não 100% porque você é ariana) e vai se encantar pelo backstage! E toda vez que você estiver ali, no desfile, na aula, na monitoria, o papel de ouvinte será muito mais interessante do que o papel de protagonista.

Ah, essa é uma outra questão que vai mudar bastante pra você! O papel principal nem sempre é seu. Existem contextos, causas e lutas que são de outras pessoas e somente delas. Você vai entender que seu lugar ali é de escuta e que sempre que a vida te permitir, você vai dar o lugar de fala a elas! Isso vai te fazer crescer!

Ao final dessa jornada maluca você vai reforçar o que sempre percebeu: Moda não tem muito a ver com aquele esteriótipo de futilidade que muitos colocaram por aí. Fazer roupa, imagens e produtos tem muito mais a ver com construir narrativas, contar histórias e soltar a voz!

Aproveite muito esses quatro deliciosos anos que estão por vir, se eu tivesse o poder, acho que faria sim uma visitinha a esse passado!

Talvez essa seja a foto mais honesta da minha conclusão de curso.

Elisa Santiago é formada em Design de Moda e se considera uma eterna amante das ruas e das artes. Acredita na roupa como elemento de fala e empoderamento. É quem está por trás do @tens_razão.