fbpx

Fresca? Não! Bem criada.

Tag: architectural

14
fev

Hotéis do futuro

Você já parou para pensar como os hoteis serão no futuro? Já imaginou como será a nossa experiência de viagem no ano de 2060? Será que desenvolveremos tecnologia suficiente para fazer turismo em outro planeta?

Foi pensando nessas e em outras questões que o Hotels.com, site de turismo mundialmente famoso, convidou ninguém menos do que o renomado Dr. James Canton. Para quem não sabe, Canton é cientista social, membro do Institute for Global Futures (Instituto para Futuros Globais) e executivo aposentado da Apple, extremamente respeitado no mundo da ciência e tecnologia. Também já foi conselheiro em três governos da Casa Branca e trabalhou para mais de cem empresas.

O Estudo sobre os Hoteis do Futuro (Hotel of the Future Study), apresentado em janeiro em uma conferência realizada em San Francisco, tem por objetivo descobrir como e em que medida toda a experiência de viagem poderá ser transformada nos próximos anos.

As formas como escolheremos um destino, planejaremos uma viagem, viajaremos até   o destino escolhido, serão drasticamente diferentes de tudo que estamos acostumados. Vamos então ver um pouquinho do que nos aguarda no futuro quando o assunto é viagem e turismo! As previsões são incríveis!

Hotéis sob encomenda

Imagina um hotel que tem o design alterado facilmente por meio de uma auto-montagem. Parece algo impossível de ser feito, né? Mas, acredita-se que isso pode ser possível nos próximos 20 anos. Como? Graças à nanotecnologia e às máquinas capazes de auto-montar ambientes e edifícios.

Impressoras 3D em cada quarto de hotelh2

Fazer as malas para sair de férias? Esqueça! Isso será coisa do passado! As impressoras 3D irão gerar em tempo real os itens desejados pelos hóspedes, como sapatos, roupas e até produtos eletrônicos, como, por exemplo, computadores e telefones. As compras em 3D estarão disponíveis, basta que os consumidores façam o download e escolham os produtos que querem projetar sob medida.

Robôsh3

Os robôs autônomos poderão ser projetados on-line antes da chegada do consumidor no hotel. Poderão ser programados com talentos especiais, habilidades, idiomas, e informações para ajudar a tornar a estadia do hotel excepcional. Eles vão fazer de tudo, desde cumprimentar os hóspedes no aeroporto, oferecer serviço de comida gourmet, serviço de maquiagem no quarto, companhia, consultoria de negócios, serviço de portaria, entre outras coisas.

Escolha o seu sonhoh4

Dormir bem durante a noite em uma cama de hotel terá outro significado no futuro. Isso porque os hóspedes serão capazes de escolher seus próprios sonhos antes de cochilar. Os hotéis darão aos hóspedes acesso à neurotecnologia para que programem seus sonhos e escolham entre temas para relaxar, aprender ou desfrutar. Se isso funcionar tipo um cinema, aposto que as mulheres escolherão sonhos de comédia romântica e os homens algum tema relacionado a lutas, esportes radicais ou ficção científica!

Pop Up Hotelh5

Muito provavelmente você já ouviu falar de lojas Pop Up, ou seja, que são montadas por um curto período de tempo. No futuro, os hoteis também poderão ter essa característica. Os votos dos consumidores decidirão o tema e a localização do hotel. Uma vez definidos, o Pop Up Hotel será programado para auto-montagem, utilizando impressoras 3D e nanotecnologia.

Spas de longevidadeh6

Essa é uma das previsões que mais gostei! Esqueça a simples massagem facial ou corporal. O spa do hotel do futuro é baseado em análise de DNA e tem por objetivo a longevidade. Você receberá tratamentos totalmente personalizados voltados para a prevenção de doenças e programas de melhoria de saúde com base em futuros riscos. Todos os tratamentos utilizarão os mais avançados conhecimentos e instrumentos da medicina genética.

Tranfersh7

Ir do aeroporto para o hotel, não raras vezes, costuma ser algo no mínimo preocupante. Se você não contratar um transfer particular ou tomar um táxi, vai precisar saber qual metrô ou ônibus pegar, onde descer, e como chegar por conta própria no hotel. No futuro, os viajantes contarão com tecnologia e velocidade. Carros que dirigem sozinhos, tipo robôs, percorrerão centenas de quilômetros em segundos.

Avatar de viagemh8

Todas as necessidades de sua viagem serão providenciadas pelo seu Avatar. Ele que vai procurar hotéis, reservar hospedagem, gerenciar reservas. Assim fica fácil viajar, hein?

Impressões digitaish9

A identificação pessoal por meio da impressão digital será utilizada para confirmar sua identidade, no momento do checkin, e também para pagamentos ao fazer o ckeckout. Tais procedimentos prometem diminuir as longas filas do passado!

Eco Hotel h10

Muitos hotéis já se preocupam em ser eco-friendly e em focar na sustentabilidade. Porém, no futuro, cada hotel será totalmente sustentável. Eles irão se destacar em eficiência energética, usarão energia renovável, produtos seguros para o meio-ambiente, a mais avançada tecnologia solar e geotérmica, bem como terão uma pegada neutra em carbono. Responsabilidade ambiental será a marca dos hotéis do futuro, que se preocuparão em respeitar o meio-ambiente de forma global, produzindo um impacto positivo na sociedade.

E aí, gostou das previsões? Para quem animar, recomendo assistir ao vídeo abaixo. É bem curtinho e interessante. Produzido pelo Hotels.com, ele nos dá uma ideia de como nossa experiência ao viajar será, digamos, modernosa!

Bianca Cobucci é Defensora Pública, Mestre em Políticas Públicas e coordenadora do Projeto Falando Direito; Autora do blog Teoria da Viagem. Escreve sobre os direitos do consumidor relacionados à viagem e turismo, bem como sobre os países e lugares que já que visitou.

09
dez

Sig Bergamin – “O” arquiteto!

Suuuuper por um acaso, quando iniciei meus “trabalhos” no instagram, (@anitabemcriada) comecei a notar imagens de peças e de ambientes belíssimos, lugares e paisagens espetaculares, sendo postadas por uma tal pessoa, até então desconhecida para mim. E aquilo começou a me chamar muito a atenção! Foi então que comecei a seguir o tal de “Sig Bergamin“. De curiosidade passou a vício. Comecei a procurar na internet sobre o tal “Sig” e foi aí que percebi tooooda a história que envolve a vida e trajetória desse badalado arquiteto brasileiro!

Resolvi mostrar aqui pra vocês a própria casa do arquiteto. Fiquei espantada com a ousadia e sagacidade da decoração que ele mesmo criou. Não é de longe algo que eu escolheria para mim, mas acredito que vocês, assim como eu, sabem apreciar uma criação artística (que é o que de fato é!), ainda que ela não seja do seu gosto pessoal. Mestre na arte de mesclar o clássico e o étnico, o arquiteto brasileiro de dom e olhar singulares, aproveita sua casa para descansar, inspirar-se e experimentar novas possibilidades de decoração. Comprador compulsivo e viajante voraz, ele coleciona livros, tecidos antigos, cristais de murano, objetos de arte, etc. Tudo isso está reunido em sua casa, numa desordem organizada pelo bom gosto e pelo olho de quem aprendeu a enxergar o que é bonito. Não exatamente o que custa mais caro. Como ele costuma dizer: “cafona é ostentar; luxo é ter tempo para ficar em casa.” A sala de estar reúne as coleções venezianas de murano e muitas das peças chinesas compradas em viagens. os tecidos jogados em cima dos sofás são “suzani” produzidos no Uzbequistão. Um deles era parte da cortina de uma galeria de arte em paris. A peça se acomodou perfeitamente no encosto do sofá. o quadro, no centro, é um Iberê Camargo arrematado em são paulo há quinze anos. As paredes laranja com obras de Alexander Calder, Roberto Magalhães e Iberê Camargo, o conjunto de sofás bordô e o enorme tapete magreb de listras coloridas dão o tom alegre à sala. Reforçam o astral positivo a lareira emoldurada de azulejos marroquinos e os inúmeros muranos que o proprietário coleciona há 20 anos. Diversas poltronas, cadeiras e almofadas convidam a um aconchegante e descontraído convívio social. A enorme biblioteca, onde Sig recebe os amigos e faz reuniões de trabalho. Da mesa de oito lugares, recoberta por um colorido tecido étnico, ou do sofá chesterfield verde de veludo francês, o único som que o arquiteto ouve é o canto dos pássaros. “Minha casa é meu refúgio. Nela descanso e me sinto bem.” A biblioteca é o lugar mais frequentado da casa. Nela, Sig passa a maior parte do tempo folheando os quase quatro mil títulos de arte e decoração. os que ficam em cima da mesa são os que ele está lendo no momento ou os que vão acompanhá-lo na viagem do fim de semana.Ali ele também faz o jantar – muitas vezes com uma bandeijinha no colo, diante do televisor, cercado por gravuras de Miró e Andy Warhol. simples, assim! Toda a casa é repleta de objetos escolhidos em antiquários. “Quando olho ao redor da minha casa, gosto de tudo o que vejo. São peças que fui adquirindo durante a vida e pelas quais tenho muito carinho”, conta Sig.Infinitas tonalidades de azul reinam na sala do sótão, local reservado para o proprietário e suas cadelas – a bulldog francesa Ásia e as labradoras África e América. Para que a casa parecesse antiga, Sig instalou, por exemplo, madeiras advindas de demolições nos pisos e no teto do ambiente. A diversidade cultural, que tanto o encanta, está presente em cada metro quadrado de seu domicílio. “Costumo dizer que esta não é a casa de um decorador, mas sim a de um eterno viajante”, comenta. Garden seats, abajures estampados, flores, tecidos étnicos, almofadas e iluminação natural são alguns dos truques do decorador para dar charme à sala. Jisuuuuis amado! O que faço que toooodas essas taças Strauss, das mais diferentes cores e tamanhos. Quero TU-DO!
No sótão, o decorador criou espaço para uma estante que abriga guias e fotos de suas incontáveis viagens mundo afora. Um espetáculo, não?! Claro! É de uma peculiaridade que só! Mas até para mesclar tudo e mais um pouco é preciso muuuuuuito talento! Virei fã DEMAIS!

Fonte: Revista Estilo e Isto é Gente!