Fresca? Não! Bem criada.

Tag: Diversos

09
jul

As vinícolas que conheci em Paso Robles

Quando decidi fazer essa viagem à Califórnia, muitas pessoas torceram o nariz imaginando que eu faria um roteiro óbvio, ou como muitos turistas que procuram os Estados Unidos para compras e passeios em outlets.

Mas quem me acompanha sabe o quanto sou apaixonada por viagens e o quanto às planejo nos mínimos detalhes. Sendo assim, na minha primeira vez na costa oeste americana procurei fugir do óbvio e nas pesquisas que antecederam minha ida conheci mais sobre a região de Paso Robles.

Para quem nunca ouviu falar desse lugar, trata-se de um aglomerado de vinícolas que fica há 212 Km de Monterey e a 230 Km de Santa Barbara pela highway 1. Uma localidade encantadora e uma excelente opção de pernoite para quem curte vinhos!

Dentre as mais de dez vinícolas que Paso Robles abriga, eu e minhas super companheiras de viagem escolhemos cinco: Justin, Daou, Adelaida, Eberle e Villa San Juliette!

Vale lembrar que nessa parte da nossa aventura pela Califórnia dedicamos alguns dias a mais e assim conseguimos conhecer a região com mais calma. Mas para quem tem poucos dias pelo lugar, segue valendo a visita!

Vinícola Justin:
Fundada em 1981, a vinícola Justin é reconhecida por seus vinhos tintos Bordeaux que possuem sabor acentuado devido ao solo rico em calcário fossilizado.

Por lá, eles misturam técnicas rudimentares como a colheita manual e o envelhecimento em barril de carvalho, com a tecnologia utilizada para garantir uma maior durabilidade das uvas.

Vinícola Daou:
O passeio na vinícola Daou foi um dos mais interessante, a começar pela história dos fundadores que tinham uma empresa milionária de computação e largaram tudo para viver o sonho de produzir vinho na Califórnia.  A Daou é uma vinícola que passa por sua segunda geração e é conhecida por ter sua colheira realizada durante a noite, priorizando a qualidade de suas uvas.

Todas as frutas da DAOU Mountain são colhidas a dedo, depois classificadas tanto pelo olho humano quanto pela tecnologia ótica de ponta para garantir a pureza absoluta dos frutos. Usando cem por cento de suco livre, o enólogo Daniel Daou inicia a fermentação com leveduras nativas cultivadas na propriedade. Cada fermentação é personalizada medindo a composição fenólica e usando análise sensorial, permitindo que Daniel oriente o equilíbrio natural e a textura.

Vinícola Adelaida:
O Dr. Stanley Hoffman plantou o primeiro Pinot Noir no terreno escarpado da encosta do que é hoje o Vinhedo HMR no distrito de Adelaida, em Paso Robles. Ele plantou também algumas das primeiras videiras de Cabernet Sauvignon e continuou em 1973 a plantar Chardonnay no Vinhedo HMR.

Os vinhedos que localizam-se a 1400-1800 pés acima do nível do mar produzem vinhos premium engarrafados e bem conceituados.

Vinícola Eberle:
Fundada há 38 anos atrás por Gary Eberle, a vinícola Eberle recebe hóspedes diariamente com degustações de vinho de cortesia, passeios públicos nas instalações de produção e 16.000 pés quadrados de cavernas subterrâneas. Eles também abrigam uma variedade de deliciosos e divertidos eventos realizados na vinícola durante todo o ano. Por lá realizamos uma visita guiada por entre esses incríveis túneis cheios de boas histórias.

Vinícola Villa San Juliette:
Sustentabilidade e responsabilidade ambiental são as palavras de ordem na Villa San-Juliette, que desde 2013 possui o SIP Certified conquistado através de uma auditoria rigorosa de suas práticas de cultivo e operações de vinícolas. O certificação SIP – que significa Sustentabilidade na Prática – é um processo abrangente realizado pela Equipe Vineyard, que representa muito mais do que vinhos “verdes” ou “orgânicos”. Esse selo procura construir comunidades entre as vinícolas e trabalhadores. O resultado é uma rede de agricultores e vinicultores apaixonados e que buscam deixar um legado duradouro e saudável para a próxima geração.

08
jul

Vídeo: O SEGREDO das pessoas bem vestidas

Ao longo da vida conhecemos pessoas que passamos a admirar pela forma como se vestem, pelo estilo que adotam e principalmente pela maneira como se portam.

E nesse exercício de admiração, acabamos tentando adaptar algumas dessas características para o nosso dia a dia. Seja uma peça de roupa, um jeito de andar ou um truque de styling, estamos sempre buscando melhorar e aprimorar o nosso estilo pessoal.

Pensando nisso, no vídeo de hoje trago alguns segredos e dicas imperdíveis que as pessoas bem vestidas compartilham. Então assista até o final para não perder nenhum detalhe! Vem comigo?

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!

06
jul

Hotel que fiquei em San Francisco: Stanford Court San Francisco

Dando continuidade à série sobre os hotéis que me hospedei pela Califórnia, hoje falo do Stanford Court San Francisco, que foi onde fiquei na terceira parte da viagem.

Logo de inicio já afirmo que essa foi nossa melhor hospedagem até então! A localização não poderia ser melhor – ao mesmo tempo em que está próxima do fervo da Union Square, há dois quarteirões de distância, encontra-se num ponto sem muita agitação e barulho, ideal para descansar.

Além do local estratégico, bem pertinho de nós passava o Cable Car, àquele bondinho que percorre vários pontos memoráveis da cidade e também diversos ônibus que nos levam aos principais monumentos turísticos.

O hotel em si é extremamente bonito, novo e grande! E uma das melhores partes em se hospedar por lá, foi que na hora do check-in ganhamos um up grade e conseguimos um quarto maior, com duas camas tamanho queen e uma vista estonteante de San Francisco que nos relaxava por completo depois de dias intensos de andanças.

Assim como a maioria dos hotéis pelos Estados Unidos, o café da manhã não é incluso, mas no Stanford Court foram-nos oferecidas duas opções de refeição: uma de $28 dólares bastante completa com pães, vários tipos de ovos, salsichas, bacon, sucos, frutas, nutella e outra mais resumida de $22 dólares com frios. Convertendo esses valores, o desjejum não sai tão barato, mas esse é o preço médio por lá e para nós valeu muito a pena, pois estava tudo delicioso!

O único ponto negativo nos quartos para mim foi o carpete, já que costumo ser bem alérgica. Mas infelizmente esse é um padrão americano e por todos os lugares que passamos notamos essa questão.

A nossa escolha de se hospedar nesse hotel foi um acerto e tanto, e posso recomendar a hospedagem de olhos fechados, pois é sem dúvidas o melhor custo benefício até então!

Se você ainda não viu ou quer saber mais sobre minhas outras hospedagens pela Califórnia, basta clicar aqui:

Red Lion Anaheim

Whyndham Santa Mônia

 

 

 

05
jul

Vídeo: Provador Fashion NA GRINGA

Passando uma temporada na Califórnia, aproveito para mostrar para vocês o que está rolando nas lojas por aqui e, com isso, gravei este provador fashion pra lá de especial na gringa.

Afinal de contas, é lá que tudo chega primeiro, portanto, assim, podemos saber o que está por vir. Vem ver!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!

04
jul

Vem aí a segunda edição da Feira Chica!

A valorização da economia local nas grandes cidades têm se mostrado como uma tendência comportamental  nos últimos anos. Trocar itens produzidos em marcas renomadas e com pouca durabilidade por produtos confeccionados com qualidade artesanal, vêm se tornando cada vez mais comum e viável.

Parte responsável por essa mudança de mentalidade, são as feiras que acontecem frequentemente em diversos pontos das metrópoles, apresentando propósitos como o desaceleramento do consumo e o feito à mão.

Em Belo Horizonte essas pequenas iniciativas já são muitas e ganham cada vez mais espaço na programação cultural. Dentre as inúmeras feiras desse tipo, destaca-se a Feira Chica – um evento que tem por objetivo promover mulheres que empreendem localmente.

Idealizada pelas amigas Milene Agnes, Marcelha Pereira e Elisa Santiago, ela chega a sua segunda edição com um maior número de expositoras, muita moda, arte, design e um novo lugar!

Dessa vez a Feira Chica será recebida em um dos espaços mais comentados e charmosos de BH: a Casa Rosa do Bonfim, uma construção dos anos 50, administrada pela artista plástica Paulina Ribeiro, que abriga obras de arte urbana e um jardim irresistível!

Reforçando ainda mais a ideia de impulsionar negócios com gestão feminina, as curadoras contam que nessa segunda edição além das expositoras, todos os serviços contratados para fazer o evento acontecer são administrados e realizados por mulheres, desde à dona do espaço, passando pela fotógrafa, até a segurança.

Dentre a lista de marcas presentes na feira, nomes como Fernanda Torquett, Jambu Bags e Yellow Factory estão confirmadas, além de diversas outras opções de roupas, acessórios, decoração, perfumaria, papelaria, botânica e gastronomia.

A Feira Chica é uma excelente opção não só para quem quer comprar e conhecer novas produtoras, mas também para quem quer passar o dia, relaxar e comer várias delícias que serão oferecidas em food trucks na porta da casa.

O evento acontece então no próximo sábado, dia 7 de julho, de 11h às 17h e tem entrada gratuita para todos, inclusive para quem quiser levar os pets! Se eu fosse você, já colocava na agenda, por que será imperdível!

 

Para mais informações basta ir ao instagram da feira @feira.chica ou ao evento no facebook!

Feira Chica

Dia 7 de julho – de 11h às 17h

Casa Rosa do Bonfim – Rua Botelhos, 90 (entrada pela Rua José Ildeu gramicelli)