Fresca? Não! Bem criada.

Tag: travel lover

20
jun

Dicas para diminuir o efeito Jet Lag

Quando viajamos para lugares com fuso horário diferente e o ritmo biológico ao qual estamos acostumados se altera, nosso corpo demonstra cansaço, exaustão, alterações hormonais e também psíquicas.

Esse efeito é conhecido como Jet Lag. O pequeno distúrbio que altera nosso sono e desregula nossos sentidos em relação ao novo horário, é auto diagnosticável, auto tratável e possui curta duração.

Mas para que possamos passar por esse momento de forma mais breve e sem grandes danos, existem algumas dicas que podem e devem ser seguidas. O post de hoje fala exatamente sobre isso: Como diminuir o efeito Jet Lag! Vem com a gente?

 

 

1 – Mudança gradativa

Quando estamos indo viajar, colocamos na nossa agenda alguns momentos dedicados a preparação dessa viagem. Arrumar mala, organizar documentação, por aí vai… Para minimizar o efeito Jet Lag é importante que passemos a considerar uma nova tarefa nessa lista de afazeres: mudar nossos horários de alimentação e sono gradativamente para o fuso horário do local de destino.

Dessa forma, seu corpo vai se acostumando aos poucos com uma nova escala de rotina e o distúrbio de sono será minimizado na viagem.

 

2 – Viaje descansado 

Para que seu corpo sinta menos os efeitos do jet lag, é preciso uma boa noite sono antes da viagem. Descansando de maneira profunda, o organismo consegue metabolizar com maior eficiência as mudanças e não tende à exaustão.

 

3 – Hidratação

Outra maneira de ajudar seu metabolismo a funcionar de maneira eficiente é através da hidratação. A ingestão de líquidos é essencial, pois a pressão atmosférica exercida dentro do avião tende a desidratar nosso corpo, acentuando os efeitos do Jet Lag. Frutas e sucos também são ótimos aliados nessa hora.

É importante evitar o consumo de álcool dentro do avião e nos períodos pré viagem, já que esse retira o líquido do nosso organismo.

4 – Rotina alimentar

Manter uma rotina alimentar rigorosa nos primeiros dias de viagem, de acordo com o lugar de destino, pode ajudar o seu organismo a entender que você está vivenciando um fuso horário diferente.

Ingerir alimentos novos, que usualmente não temos costume, pode atrapalhar e causar enjoo e náuseas.

Portanto, insista em realizar as refeições adequadamente e não consuma alimentos fora de hora.

 

5 – Dormir no avião

Dedicar um tempo para dormir dentro do avião, durante a viagem, pode minimizar os efeitos do Jet Lag. Dessa forma, seu corpo se prepara ainda mais para aguentar os primeiros momentos da viagem nos quais o organismo ainda não se acostumou ao fuso horário.

 

6 – Não dormir quando chegar ao destino

Quando chegamos ao destino, após muitas horas de voo, nosso corpo demonstra cansaço e a tendência é que logo busquemos um local para repouso. Mas o ideal é que evitemos dormir para que nosso organismo desacelere apenas no momento certo, de acordo com o fuso horário local.

Uma outra forma de evitar esse momento, é procurar viajar nos períodos da manhã. Dessa maneira, você chegará ao destino no horário mais próximo de descansar.

Quando viajamos longas distâncias e vivenciamos fuso horários diferentes, ficamos sujeitos ao Jet Lag, mas seguindo algumas dicas e se preparando para enfrentar esses momentos iniciais, os efeitos são amenizados e menos tempo durará o processo.

É importante que possamos utilizar esses pequenos truques, pois assim conseguimos aproveitar melhor a viagem, sem grandes problemas e perca de tempo!

 

 

25
maio

Kauai – o paraíso na terra!

A mais antiga das ilhas havaianas, Kauai merece o título de paraíso na terra. Uma das nossas preferidas, sobretudo pela natureza selvagem e intocada, Kauai surpreende, emociona, faz suspirar. E muito. Prepare-se para ter aventuras ao ar livre inesquecíveis em meio a paisagens deslumbrantes.

Quer descobrir as riquezas desse refúgio natural? Fizemos uma lista com as principais atrações divididas por região. Confira!

 

Norte da ilha (North Shore)

1 – Kilauea Lighthouse 

O farol de Kilauea é um verdadeiro tesouro histórico que foi construído por volta de 1900 para ajudar os marinheiros a atracarem na praia. Atualmente, o local onde está o farol foi transformado em Refúgio Nacional de Vida Selvagem, no ano de 1985, a fim de proteger as aves marinhas que estão sempre por lá. Justamente por isso, o local é bastante procurado não apenas por turistas, mas também por observadores de pássaros.

A vista que se tem do Kilauea para o Pacífico é maravilhosa. Além disso, as trilhas são asfaltadas, o que torna esse passeio ideal para todas as idades.

O farol de Kilauea e o parque estão abertos de terça a sábado das 10:00 da manhã às 4:00 da tarde, fechados nos domingos e segundas-feiras e nos feriados federais. A entrada é de 5 dólares por pessoa. Menores de 16 anos não pagam.

 

2 – Princiville

Próximo a Kilauea está Princeville, uma região famosa por seus condomínios e resorts de luxo, a exemplo do fabuloso St. Regis. Para quem tem bala na agulha,  hospedar-se em um cinco estrelas por lá não soa mal.

Essa, embora muito tentadora, não foi nossa opção. Escolhemos um hotel mais intimista, localizado no sul da ilha, sobre o qual falarei ao final.

 

3 – Hanalei

Também em North Shore, vale a pena fazer uma paradinha na pequena e charmosa Hanalei, que já foi eleita a praia mais bonita dos Estados Unidos. Nessa praia, a lenda local Bruce Irons, e seu irmão, o falecido Andy Irons, aprenderam a surfar.

Ao voltar da praia, uma boa pedida é passar no centrinho comercial de Hanalei, onde há restaurantes e lojinhas. Aproveite para fazer um lanche e experimentar uma cerveja local no badaladinho Kalypso. No cardápio, há opções que vão de peixe cru, inclusive o famoso poke bowl, a sanduíches bem americanos.

4 – Haena Beach e Ke’e Beach.

Bem próximas de Hanalei, estão Haena Beach e Ke’e Beach. Se não tiver tempo sobrando e precisar escolher entre as duas, fique com a segunda.

A praia de Ke’e está localizada no final da estrada, é o ponto mais distante que você pode dirigir na costa norte. Protegida por um recife, é considerada um lugar seguro para nadar. Em Ke’e Beach, aliás, começa a Napali Coast e a trilha de Kalalau, que leva a Hanakapiai e Kalalau Beach. O estacionamento na praia é limitado e é aconselhável  parar o carro um pouquinho antes, em um estacionamento de terra.

A trilha de Kalalau começa na Kee Beach e segue pelos penhascos de Napali Coast. Os primeiros 3 quilômetros, de um total de 18  podem, ser feitos por qualquer pessoa, mas a partir dessa distância é preciso pagar uma taxa e ter autorização. Como a trilha é longa, as pessoas costumam levar de dois a três dias para completá-la. Ou seja, você vai precisar de tempo e disposição. A gente não encarou! Quem sabe numa próxima?

 

Oeste da ilha (West Side)

1 – Napali Coast

A deslumbrante Napali Coast pode ser conhecida de três formas: pela trilha de Kalalau, de barco e de helicóptero. Não há estradas na Napali, então de carro não rola. E essa falta de acesso a carros torna Napali ainda mais enigmática.

Escolhemos fazer os passeios de barco e de helicóptero. Os dois são fantásticos e fica muito difícil dizer qual é o que mais compensa, pois são formas diferentes de aproveitar. O passeio de barco é mais calmo, tranquilo e demorado, já que leva a tarde toda. De barco, você consegue ver Napali de dentro do mar e a vista é absurdamente maravilhosa. Já o passeio de helicóptero é rápido, leva aproximadamente uma hora, mas você consegue ver Napali de cima. Ou seja, tem coisas que você só consegue ver do ar e outras da água. Recomendo fortemente fazer os dois passeios.

Nós fizemos o passeio de barco com a Kauai Sea Tours. Ver Napali de barco é como navegar no paraíso. Como o passeio leva a tarde toda, você consegue aproveitar muito mais o visual indescritível da costa de Kauai, sem contar que rende fotos belíssimas. TEM QUE FAZER!!! Se quiser ver esse e outros passeios oferecidos pela Kauai Sea Tours, clique aqui.

Se você tiver sorte, vai ter a oportunidade de ver arco-íris, até mesmo duplo, golfinhos e, a depender da época, baleias.

Na volta do nosso passeio, fomos surpreendidos com uns dez golfinhos que ficaram bastante tempo acompanhando nosso barco. Foi super emocionante! É muito prazeroso e gratificante ver toda a beleza da natureza esplendorosa de Kauai. É indescritível. E essa emoção bate tão forte que nos faz refletir sobre o mal que estamos causando para o planeta e a necessidade de mudar esse comportamento, pensando na preservação da natureza em primeiro lugar. É tanta perfeição que dá até vergonha de ser humano e ter consciência da falta de respeito com o meio-ambiente. Vamos cuidar do nosso planeta com carinho e amor, gente!

Outra forma de ver Napali Coast é pelo ar. Essa foi a primeira vez que voei de helicóptero e achei a experiência super emocionante. Afinal, nada como uma primeira vez de helicóptero sobrevoando a paradisíaca ilha de Kauai. Então você vai ver Napali, mas também sobrevoa o Waimea Canyon, um vulcão e diversas cachoeiras que não podem ser vistas de barco. O passeio de helicóptero fizemos com a Blue Hawaiian.

Uma palavra define: MEMORÁVEL. E para quem tem medo, preciso dizer que eu também estava com receio, mas o voo é muito tranquilo. Você vê tanta coisa bonita que nem lembra do medo. Na verdade, quando o voo acabou, fique com vontade de ir mais uma vez! Para saber mais sobre esse e outros passeios de helicóptero com a Blue Hawaiian, você pode clicar aqui.

Portanto, se você vai para Kauai, por favor, não invente desculpa para não fazer esses passeios. Passa mal navegando? Vai no médico e pede a prescrição de um remédio. Tem medo de voar? Supera. Vai valer muito a pena.

Esses dois passeios são, definitivamente, os melhores que você vai fazer em Kauai, uns dos melhores do Hawaii, e do mundo. Ah, só mais um detalhezinho. As fotos estão sem filtro, tá?

 

2 – Waimea Canyon

Um lugar bastante legal para conhecer é o Waimea Canyon State Park, especialmente se você curte fazer trilha. Se você não tem muito tempo, é possível dirigir e parar nos mirantes para apreciar a vista. Mas se tempo não é um impeditivo, aproveite  para curtir mais de 90 quilômetros de trilhas!

3 – Koke’e State Park

O Visitor Center do Koke’e State Park fica em uma área com gramado, onde as pessoas costumam acampar. Lá também tem um museu, mas é bem fraquinho.

Dirigindo um pouco depois do Visitor Center, chega-se ao Kalalau Lookout, de onde é possível ver a praia de Kalalau e fazer a trilha com vistas da Napali Coast. Também é possível avistar o Mt. Wai’ale’ale, a 5148 pés, conhecido como um dos pontos mais chuvosos da Terra, onde costuma chover praticamente o ano todo. Como esse pico não tem chuva por somente 30 dias, a vegetação é bem verdinha e a trilha é um pouquinho escorregadia.

 

Leste da ilha (East Side)

1 – Opaekaa Falls 

Opaeka’a Falls está localizada em Wailua e o acesso se dá por Kuamo’o Road. Basta uma paradinha no acostamento para ter esse visual. Ao lado do acostamento tem uma calçada para você curtir a vista com tranquilidade.

Do outro lado da rua, tem-se o acesso para o rio Wailua, que leva até a Wailua Falls, com parada no Fern Grotto, uma caverna com samambaias no teto.

Se você animar, pode aproveitar o dia para fazer caiaque, SUP, ou dar uma volta de barco. Nós preferimos dar só uma chegadinha na beira do rio mesmo porque preferimos priorizar as praias.

 

Sul da ilha (South Shore)

No sul da ilha, Shipwreck e Poipu são duas praias bem próximas ótimas para descansar, fazer snorkel e nadar. Se você der sorte, ainda vai conhecer o casal de foquinhas que vive nadando e brincando por lá.

Olha quanta fofurice esse casalzinho de focas brincando no mar! E, ao ver cenas assim, mais uma vez, Kauai emociona. É muita paz, amor, e alegria que a gente sente ao estar tão em contato com essa natureza preservada.

Para finalizar, minha dica top de hospedagem em Kauai!! Passamos dias perfeitos no super ultra mega sofisticado, aconchegante e intimista, Koa Kea Hotel & Resort. Recomendo fortemente pela localização, serviço e atenção com o hóspede.

Se você ama a natureza, inclua Kauai na sua vida! Já estou contando os dias para voltar!

28
fev

Meu roteiro por Roma!

Minha última passagem pela Itália foi rápida, porém muito intensa. Quem me acompanha pelo Instagram sabe que desfrutei novamente dos espaços mais encantadores de Roma e ainda tive o privilégio de ver o Papa Francisco beeem de pertinho.

Ainda que rapidamente, estar em contato com uma cidade tão rica em história e beleza foi um jeito excelente de começar uma temporada em viagem!

Obviamente que todo o planejamento prévio e a hospedagem em local estratégico facilitaram e muito para que aproveitássemos ao máximo os passeios. E essas dicas eu trago hoje, no meu roteiro por Roma!

Chegamos na cidade numa terça-feira a noite e logo fomos para o hotel Stendhal, com acomodações bem confortáveis e uma localização privilegiada. A poucos minutos de diversos pontos turísticos, essa escolha nos poupou tempo em deslocamento, já que tínhamos apenas três dias por lá. Mais detalhes dessa hospedagem eu darei no próximo post da viagem!

Na manhã seguinte acordamos bem cedinho pois era o dia de ver o Papa! A missa acontece todas as quartas-feiras, por volta das 9h, porém para não precisar ter pressa, é interessante chegar com umas duas horas de antecedência.

E para não contar somente com a sorte, solicitamos previamente via email um convite gratuito que dá a garantia de um lugar para assistir toda a cerimônia e ainda ver o desfile do Papamóvel. E sim, o Papa Francisco passou beeeem pertinho de nós! Uma emoção inexplicável e fé renovada! (Mais detalhes sobre como conseguir esse convite e os trâmites desse evento, darei também num próximo post!)

Passamos toda a manhã envolvidos com a missa na Piazza San Pietro, que terminou por volta das 11h. Depois disso almoçamos por ali mesmo, na parte central da cidade que oferece inúmeros restaurantes bons. Fomos também a tradicional loja de departamento La Rinascente, que inaugurou um espaço bem próximo de onde estávamos.

Após deixarmos algumas comprinhas no hotel, seguimos rumo ao museu do Vaticano, que assim como a missa, já havíamos garantido nossos ingressos anteriormente, o que nos poupou no mínimo uma hora de fila! Com horário agendado, percorremos todo o museu, a Capela Sistina e também a cúpula da Basílica de São Pedro! Uma boa dica é subir primeiro a cúpula antes de ir para a basílica já que a primeira fecha mais cedo!

Finalizamos o primeiro dia jantando em um restaurante e na manhã seguinte fomos a pé para a Fontana di Trevi, um lugar que merece ser visitado mais de uma vez ao dia por sua beleza estonteante! Com os ingressos comprados previamente, dali seguimos também a pé para o Coliseo e logo depois para o Foro Romano e o Foro Palatino, que são as ruínas de Roma.


Almoçamos ali por perto e na volta fizemos o Pantheon e novamente a Fontana de Trevi, só que dessa vez com a iluminação noturna, igualmente incrível! Além desses passeios programados, entre um caminho e outro aproveitamos para nos perder pelas ruelas da cidade, o que sempre nos rende boas surpresas já que por ali existem construções grandiosas e lojinhas típicas!

A noite iríamos ao restaurante Spirito Divino, que fica em cima de uma cave e é super bem conceituado por sua tradição e comida slow. Porém, infelizmente, eu não me senti muito bem no dia e acabamos adiando o programa, mas deixo aqui a dica para quem passar por Roma!

Por fim, acordamos no dia seguinte, passeamos pelas redondezas do nosso hotel e seguimos para o voô rumo ao próximo destino que em breve contarei em detalhes!

Grande parte dos pontos turísticos que visitei nessa ida a Itália, eu já conhecia, mas é sempre irresistível rever os detalhes e caminhar novamente entre esculturas, palácios e construções tão magníficas. Se você pretende ir a Roma, mesmo que por poucos dias, não deixe de seguir as minhas dicas!

 

 

20
fev

Dicas de filmes sobre a Itália

Uma das coisas que mais me inspira e me anima a traçar novos roteiros e planejar viagens são os filmes que eu assisto! Belas paisagens, um enredo que se mistura ao cenário, aquela fotografia de tirar o fôlego…filmes possuem o poder de nos teletransportar para um universo lúdico e encantador.

Pensando nisso e nas várias produções cinematográficas que já me inspiraram a rodar o mundo, hoje trago algumas sugestões de filmes que se passam na linda e envolvente Itália! Para quem está planejando uma viagem ou para quem quer só se divertir, vale a pena conferir a lista!

Para Roma com amor – Woody Allen

Quatro histórias que se cruzam de maneira divertida e irônica, tendo como pano de fundo a inconfundível cidade de Roma!

Comer, Rezar e Amar – Ryan Murphy

Liz Gilbert, interpretada por Julia Roberts decide largar a vida convencional para viver experiências a flor da pele ao redor do mundo. Na Itália ela experimenta os mais diversos sabores da tão tradicional culinária do país.

Cartas Para Julieta – Gary Winick

Em visita à cidade italiana de Verona com seu noivo sempre atarefado, a jovem Sophie visita o muro onde os desiludidos deixam cartas para a heroína de Shakespeare, Julieta Capuleto. Ao encontrar uma dessas cartas, de 1957, a jovem decide escrever à autora, Claire. Inspirada pela atitude de Sophie, Claire decide procurar por seu antigo amor.

Beleza Roubada – Bernardo Bertolucci

Após a morte da mãe, Lucy viaja a Itália para reencontrar velhos amigos, mas acaba se envolvendo com um amor antigo enquanto desvenda pistas sobre o então falecimento.

Cópia Fiel – Abbas Kiarostami

James Miller é um filósofo inglês que viaja para uma pequena cidade na Itália para apresentar seu livro sobre o valor da cópia na arte. Chegando lá, conhece a dona de uma galeria de arte, que vive com seu filho, e assim os dois entram em uma relação afim de discutir os limites do amor.

Me Chame Pelo Seu Nome – Luca Guadagnino

Com três indicações ao Oscar 2018, o filme sa passa numa Itália dos anos 80 onde o jovem Elio está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais. Mas tudo muda com a chegada de Oliver, um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai.

28
set

Vídeo: Dica de lugar para ficar em Londres + tour pelo meu apartamento

No episódio de hoje eu mostro para vocês cada cantinho do apartamento que alugamos para ficar por 12 c dias em Londres, no coração de Notting Hill!

Alugamos pelo Airbnb e esta é a sexta vez que alugo e tudo até aqui funcionou muitíssimo bem.

Vem ver que tá super legal!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!