Fresca? Não! Bem criada.

Tag: vinho

08
jun

Vídeo: 1 peça, 5 looks

O vídeo de hoje mostra como aproveitar uma mesma peça de roupa em cinco ocasiões bem diferentes. Fazendo mesmo uso, na prática, do conceito de USABILIDADE!

Fui convidada a participar de um evento de uma loja aqui em BH e, para o dia do lançamento, eu deveria escolher algumas peças da marca para ir.

Antigamente, nessas ocasiões, eu pensava: “ah, tô ganhando mesmo”, uma oportunidade para escolher algo que normalmente eu não compraria. E aí pegava algo mais “diferente”, mais “exótico”, e o resultado era, daí a um tempo, mais peças encostadas no meu armário, sem tanta usabilidade.

Mas a gente cresce, amadurece, e dessa vez eu fiz diferente. Dentre as peças, eu escolhi aquelas em que eu vislumbrei um maior número de oportunidades de uso. E com isso eu enriqueci o meu guarda-roupa e minhas opções com uma peça só. Querem ver? Clica aqui pra assistir!

Se você ainda não se inscreveu no Canal do Anita Bem Criada no Youtube, aproveite para se inscrever clicando aqui! Quem se inscreve recebe os vídeos primeiro (no e-mail e/ou celular) e assim, não perde nada do que vem por aí!
19
maio

Se o nome é Cabernet… pode sabê

Pode saber que vai ter vinho bom, carta variada e preço justo porque além de chamar Cabernet, chama Butiquim! Para né?
Só porque a gente ama vinho mas tem no sangue a veia do boteco… digo isso pois sou mineira e a regra é clara né Arnaldo, “se não tem mar vamos pro bar”! #clichê1
E é lá no aconchegante Cabernet Butiquim, que escolhi para encontrar algumas amigas e degustar algumas de suas gostosuras.
Situado na Savassi, bem ali na Levindo Lopes, o mix de boteco/bar/restaurante ganhou o coração dos apreciadores de vinho e claro, da comida gostosa. Mas principalmente de quem procura informalidade!
Foi-se o tempo em que falar de vinho ou tomá-lo, significava restaurante chic com aquela sacudição de taça, cheira de cá, aveludado dali, encorpado de lá… A bebida foi ganhando cada vez mais adeptos, que buscavam um lugar descontraído para desfrutá-lo sem muita firula, como num happy hour– normalmente ligado ao chopp.
O proprietário da casa, Pablo Teixeira, é um expert em vinhos e faz a carta com muito carinho e zelo, proporcionando um grande leque de opções de rótulos, diversas safras e uvas, mantendo essa diversidade atualizada e garantindo um ótimo custo benefício ao cliente.
Atualmente a carta tem em média 120 rótulos, sendo que o vinho tinto é o mais pedido (a última vez que fui lá pedi um Sul Africano, acho que por 79 reais).
Os preços variam em torno de 49 reais à 250, lembrando que há opção de pedir taças! Ou seja, tem para todos os gostos e bolsos. #clichê2
Chega de falar de vinho, até porque meu objetivo aqui não é dar de enóloga entendida (apenas degustadora entusiasta : p) então , é chegar lá e pedir seu preferido!
E claro, o Cabernet oferece outros drinks e cervejas também viu?!
Vamos à gastronomia, que se difere justamente por oferecer petiscos para acompanhar seu vinho.
A intenção do cardápio é que ele seja recheado de opções  a serem compartilhadas, intencionalmente incentivando essa pegada boteco. Bolinho caipira, almôndegas com molhinho, ceviche, arancini de queijo canastra, linguiçinha, tilápia e etc…
Além disso, ele é tão dinâmico quanto a carta de vinhos, vive mudando e se renovando, afim de surpreender seus clientes sempre.
Mas os tradicionais tem seu lugar fixo e cativo, como a tábua de frios e a burrata (sucesso absoluto), servida com pesto e tomatinhos confitados.
Tem umas opções que fogem do básico e a princípio você pensa: mas combina isso com vinho gente?!
Exemplo: Chorizo de carne de Sol com farofa de feijão de corda… mas será?!!?
Vai lá que o Pablo te conta com qual vinho harmoniza!
Eu mencionei que lá funciona como empório também? Vinhos com preço excelente e altos descontos pra quem compra mais quantidade!
Vários produtos artesanais, pães, mel, doces, compotas (alô vovó, elas amam compotas!!!).
Quer ir lá? Olha os horários:
Terça à sexta almoço de 11h30 às 15hrs (um prato diferente a cada dia) e aos fins de semana cardápio especial
Fecha à meia noite e domingo 11h30 às 16hrs.
Se houver alguma dúvida liga no
 31 3889 8799 ok?!
Renata Martins Cozinha, corta, costura, cola, monta, desmonta e inventa! Psicóloga, curiosa, falante e agora colunista.
29
jun

Meu roteiro pela Toscana, Itália!

Hoje eu finalmente vim trazer para vocês os detalhes do meu roteiro pela Toscana, Itália! Taí um post que estou devendo há meses! E assim o é por um simples motivo: sinto uma responsabilidade enorme em fazer isto, pois quero e preciso passar as sensações e prazeres que senti nesta VIAGEM perfeita, e me faltava o tempo e a dedicação necessárias para trazer isto aqui da forma como queria. Até que esse tempo chegou e eis que aqui estamos!

A Toscana é uma das regiões mais encantadoras da Itália, com pequenas cidades medievais e cheias de detalhes para se observar, além de um visual deslumbrante, cercado de colinas e vinhedos. A Toscana é composta pelas seguintes províncias: Florença; Arezzo; Grosseto; Livorno; Luca; Massa-Carrara; Pisa; Pistonia; Prato; Siena. Na minha viagem eu visitei algumas e fiquei apaixonada! No vídeo que fiz por lá dá pra ter uma ideia do que estou falando. Quem não viu, assista aqui!

Bom, depois de uma semana na Sicília, sul da Itália (quem não assistiu ao vídeo sobre a viagem pela Sicília, assista clicando aqui), partimos para a Toscana, cuja capital é Florença, e nossa primeira parada foi num Relais bem pertinho de Cortona (optamos por ficar fora das cidades em todas elas, pois queríamos de fato sentir a atmosfera local). E foi lindo!
Mapa Toscana

Passamos cerca 9 dias na região da Toscana e nos dividimos em três regiões estratégicas: na primeira ficamos próximos a Cortona; na segunda, numa vilazinha chamada Trequanda, na região do Val D´Orcia, que é de onde vêm aquelas cenas típicas dos filmes, e finalmente, num outro vilarejo próximo a Siena. Na maior parte da viagem optamos por ficar nos campos, nos agriturismos, pois queríamos realmente sentir a Toscana tal qual ela é! Num próximo post eu vou contar sobre os hotéis que fiquei na Toscana! Fiquem de olho por aqui!Mapa em detalhes Toscana.DICA ESPECIAL: se você quiser ter mais liberdade, percorrer mais caminhos e lugares sem rumo, sem destino e nem hora para chegar ou sair, alugue um carro! Foi o que fizemos! Para esta viagem pela Toscana, nós partimos de Florença, de onde já saímos com o carro alugado. Mas tomem muito cuidado! Florença é dificílimo de dirigir, no sentido de que váaarias ruas são proibidas para não-residentes, o que significa que você corre risco de tomar multas o tempo todo. E as câmeras estão por todos os lados! Portanto, se alugar, já alugue para sair da cidade! Dica de amigo!

Alugamos pela Sicily by Car e, pelo menos no período, foi a locadora que apresentou mais vantagens e melhor custo x benefício! Tudo correu muitíssimo bem! Da retirada à entrega!

Escolhemos os pontos estratégicos acima porque da forma como optamos, podíamos ir e voltar às cidades com liberdade, mais de uma vez no dia se fosse o caso, lembrando que tudo ali é muuuito pertinho, com ótimas estradas de acesso. Os círculos vermelhos pequenos são as regiões dos hotéis em que ficamos e a numeração é a ordem deles, no decorrer da viagem. E as estrelas amarelas são as cidades que visitamos.Mapa em detalhes Toscana

Vamos a elas?

PRIMEIRA PARTE DA VIAGEM

Cortona  

Cortona é uma cidade bem pequena, localizada ao sul de Arezzo e é parada obrigatória no roteiro! Cortona para quem não sabe, é o cenário do filme “Sob o sol da Toscana“, filme deslumbraaaaaaaaaante, que só faz a gente se apaixonar ainda mais. Fui à cidade várias vezes durante a estadia, e também fomos a Arezzo enquanto estivemos hospedados naquela região. É uma cidade que mantém um charme medieval, onde realmente se é transportado para essa atração. Imperdível!! Foi, sem dúvida, um dos meus maiores encantamentos nesta viagem! Dia 2 - Foto13Dia 1 - Foto5Dia 1 - Foto6Dia 1 - Foto2 Dia 1 - Foto3 Dia 1 - Foto4Dia 2 - Foto12 Dia 1 - Foto7Algumas atrações são:  Piazza della Repubblica, com o Palazzo Comunale, Museu Diocesano, Tratoria Dardano e o Eremo delle Celle, um dos locais de paz de São Francisco.

Arezzo

Arezzo é uma das mais belas cidades da região. Sem dúvida as paisagens bucólicas e toda a arquitetura do século XIII contribuem para isso. Arezzo mantém hábitos e tradições bem tradicionais, como fechar as lojas na hora do almoço e fazer as festas no estilo medieval, o que dá todo um charme especial. A programação da cidade é bem animada, com bares, livrarias e lojas muito agradáveis. E, claro,  as sorveterias dos famosos (e deliciosos!) sorvetes italianos.  Dia 2 - Foto920150922_145924 Dia 2 - Foto1020150922_150110Os pontos imperdíveis são a Igreja de San Domenico e magnífica Piazza Grande, com galerias realizadas por Vasari, Caffé Dei Costanti.

SEGUNDA PARTE DA VIAGEM

Pienza

A cidade foi planejada pelo Papa Pio II, e é a primeira cidade projeteada do mundo (e mais fofa também!)! Apenas a vista de Pienza já vale toda a viagem. É de tirar o fôlego! Um das mais românticas do roteiro, já se vê pelo nome das ruas: Via dell’Amore (rua do amor) e Via del Bacio (rua do beijo). E detalhe: Romeu e Julieta foi gravado aqui! Tem como não se encantar? A cidade é famosa pelo queijo pecorino, de ovelha, que é produzido lá. Tem váaaarios empórios espalhados pela cidadela. Não deixe de prová-los, vale muito a pena. As ruas estreitas, cheias de cafés e lojinhas são uma delícia para bater perna. E um programa gostoso é  passear  em torno das muralhas da cidade para ver o Monte Amiata a distância. É lindo, lindo.Dia 3 - foto 3 Dia 3 - foto 4 Dia 3 - foto 520150925_134930 Dia 3 - foto 11 20150925_134258

San Quirico D´Orcia

É uma cidadezinha linda e fofa também (estou sendo repetitiva, né). Fica bem próxima a Pienza e também vale a volta por lá, já que tão pertinho das principais cidades.20150925_153452 20150925_153705 20150925_153813

Bagno Vignoni

Bagno Vignoni é um destino requisitado por suas águas termais. As nascentes de água quente, toda a natureza presente e  sua atmosfera romântica são realmente marcantes.  Fica bem no topo da região e tem uma vista linda do local. Eu aproveitei para colocar meus pezinhos nas águas quentinhas! Mostro no vídeo também! 🙂20150925_170553 20150925_171441 20150925_172117 20150925_172204

Montalcino

A cidade é linda, bla bla.., ok, nem vou repetir. Mas é tudo isso mesmo! Mas além de linda, fofa e muito charmosa..rs, a cidade tem restaurante espetaculares e enotecas de enlouquecer qualquer amante de vinho (até os não tão amantes assim se encantam!). É produtora do Brunello di Montalcino considerando um dos melhores vinhos tintos do mundo). Aproveite para adquirir vários deles nas várias lojinhas da cidade para trazer na mala. Trouxemos uns 12 vinhos e nos arrependemos de não termos trazido mais. Foi bem tranquilo de trazer, desde que muito bem embalados e despachados. Durante a viagem nós fomos duas vezes à cidade. Uma para fazer turismo mesmo, bater perna na cidade e outra para uma degustação guida, como contei neste vídeo aqui. O ponto alto (literalmente) na cidade: Fortezza de Montalcino, com uma visão panorâmica e quase extravagante, de tão linda, de toda a cidade.Dia 4 - Foto1Dia 4 - Foto2Dia 4 - Foto3Dia 4 - Foto6Dia 4 - Foto7Dia 5 - Foto7.Dia 5 - Foto8Dia 5 - Foto6.

Montepulciano

Esta era uma cidade que não estava nos meus planos e acabamos conseguindo um tempo para ir lá e… que surpresa!!! A cidade também fica bem no topo de uma montanha e recheadinha de ruelas e vielas, com muuuitas subidas e descidas.. De tirar o fôlego mesmo! O que mais me encantou na cidade foi a atmosfera dramática, enigmática, uma arquitetura forte, mesclada a um clima “vivo”, com gente para todo lado, num dia friozinho, nossa.. até arrepio de lembrar. Os gelatos são pontos altos da cidade, assim como os vinhos famosos da região, os Nobile di Montepulciano que, claro, também vieram conosco na mala. Tem também muitas lojinhas de souvenirs, papelaria e lembranças mil muito fofas e que merecem uma visitinha!Dia 4 - Foto5Dia 4 - Foto10

 

TERCEIRA PARTE DA VIAGEM

Siena

Siena é  cheia de subidas e descidas e em todos os cantinhos, lojinhas fofas e sempre aquela vista incrível! Se perder pelas ruas de Siena é certeza de se deparar com arte espalhada por todo canto. Um encanto! Assim como San Gimignano, que falo abaixo, Siena é Patrimônio Mundial da UNESCO e têm verdadeiras jóias arquitetônicas em seus centro históricos. Os pontos imperdíveis: Duomo, subir a Torre ao lado da Duomo, Fortezza Medicea, Piazza del Campo e a Chiesa di San Domenico. Ah, e lembrar-se que você está na região da famosíssima Bisteca Fiorentina e jamais perder a chance de degustar uma!20150925_19443520150925_195909

San Gimignano

O trajeto até San Gimignano já é um espetáculo à parte. Aproveite para apreciar as sinuosas estradas e toda a paisagem ao redor. Quando está aproximando e já se vê as torres medievais então… Praticamente um quadro! Não deixe de caminhar pelas ruas e becos, você vai se sentir como se voltasse no tempo! Tudo é assim, mágico. Um ponto bem famoso da cidade é a Piazza della Cisterna, conhecida também como Praça do Poço. Os turistas costumam jogar moedas, como manda a tradição. Dia 6 - Foto6 Dia 6 - Foto7 - colocar qdo falo do prataço Dia 6 - Foto8 Dia 6 - Foto9 Dia 6 - Foto10Os pontos imperdíveis: aproveite para apreciar as especialidade locais, o vinho branco Vernaccia e provar o “melhor sorvete do mundo”, na Gelateria Dondoli.

E se você gostou deste post ou se ainda tem alguma dúvida que queira esclarecer, me conte aqui nos comentários. E fique de olho, pois já já trago os hotéis que me hospedei durante a viagem. E já posso adiantar: são tão envolventes quanto cada uma das cidadezinhas que vimos aqui!

06
abr

Diário de Anita!

Oi pessoal! Como passaram o feriadinho? Na verdade, feriadão, né?! Ai, tudo de bom! Como vocês viram aqui eu viajei a semana quase toda e, no meio da caminho acabou ficando muito difícil conseguir uma boa conexão e, por isso, me vi impossibilitada de manter o blog completamente atualizado. Mas como era feriado também, imagino que todo mundo tenha se desligado, um pouquinho que seja, da internet e assim, conto com o perdão de vocês..rs.

Bom, mas como ia dizendo, e em continuidade ao Diário da semana passada, passei o restante da semana na praia, com minha família, e foi realmente mágico! Superou nossas expectativas. Dias lindos, praia maravilhosa, o mar mais azul e muita alegria envolvida. Maceió (Salinas, Ipioca), voltaremos com certeza! Mais algumas imagens da semana pra vocês terem uma ideia de como foi! IMG_20150402_073352IMG_20150403_165847IMG_20150404_074545Bom, já em BH (voltei um pouco antes do fim do feriado – sou fresca, não! bem criada (rs) e gosto de chegar antes para organizar minhas coisas e ter tempo de descansar. Pelo menos quando o feriado/recesso é assim mais prolongado. Então no sábado, depois de ajeitar tudo (bagunça que fiz em casa antes de viajar, mala a ser desfeita, etc), decidimos ir a um jantarzinho romântico e especial no Gomide, um restô que amo aqui de BH. Tinha tempos que não conseguíamos isso. Fosse por viagem, fosse por algum outro compromisso. Mas deu certo e foi ótimo! Amo o lugar. Acho fundamental um ambiente com luz adequada e aconchegante. IMG_20150404_211208E os pratos estavam de comer de joelhos. Esse aí foi o meu pedido: Camarões VG (sempre acabo me rendendo ao camarão), sobre arroz negro e molho de limão siciliano. Uma palavra para descrever: bárbaro! IMG_20150404_223917Ah, e aqui o look do dia: vestido lindo e colorido, super alegre, da Artsy. IMG_20150404_190418Bom, domingo era Páscoa e acordei com vontade de fazer uma gracinha. Então preparei uma mesa bem fofinha (e simplérrima), só pra não passar batido mesmo. O que acham? IMG_20150405_103816E como domingo de Páscoa é aquela orgia gastronômica que nós já beeeem conhecemos, eu tratei de dar um pulinho “estratégico” na academia. Porque quem malha por dois, pode comer por três, néam?! Hahaha. IMG_20150405_123134E falando nisso, na quaresma eu costumo fazer alguns sacrifícios (não são promessas) e, um dos que fiz foi ficar sem comer batata frita, algo que AMO! Gente, pra quê! Me esbaldei e comi até virar o olho (Fomos ao Parrilla Del Mercado). Mas como tudo na vida é uma questão de equilíbrio, a saladinha tava “linda e loura” ali do lado. “Visse”? IMG_20150405_140731Bom, o restante do dia foi de muito trabalho e adiantamento dos projetos. Até porque, chegou a semana de moda mais esperada de Minas, o Minas Trend Preview, e vamos ter muito trabalho, novidades e coisas bonitas por aqui. Aguardem!2015-04-06 10.24.33

01
jun

Queijos, Vinhos e Pães – Uma deliciosa harmonia!


Não posso falar dos quatro cantos do país, mas aqui no Planalto Central e lá pelas alterosas sei que o tempinho está propício para uma noite agradável ao redor de uma farta mesa de Pães, Queijos e Vinhos. Sim, eu sei que não está propriamente frio (apesar de que no extremo sul do Brasil não está frio, e sim, GELADO!! ), mas essa chuvinha dia e noite, noite e dia, só me leva a pensar em curtir algo mais aconchegante, intimista e (por que não?) requintado!

Antes de qualquer coisa, para conseguir essa deliciosa harmonia é preciso partir de uma regra simples, infalível e de infinitas possibilidades: de um lado, vinhos leves harmonizando com queijos de sabor suave; do outro, vinhos encorpados combinando com queijos de sabor acentuado. Isto porque, para que a harmonia se dê em sua plenitude, um não deve se sobrepor ao outro. Portanto, usem e abusem dessa sensibilidade.
Para começar, é legal ficarmos atentos para a arrumação da mesa. Todos os detalhes devem ser observados, mas o visual, a arrumação, combinando cores e administrando contrastes, é fundamental para o sucesso da noite. A possibilidade de combinações é quase infinita, dependendo sempre da disposição do anfitrião para gastar (para mim, investir), além das preferências gastronômicas. E é uma delícia montar uma mesa com tantas opções.
QueijosHmmmm.. queijoooos! Como uma boa mineira que sou, adoro um queijinho. Bom, mas não só de gostosura vai viver seu convidado, né. Inicialmente é preciso deixar sua mesa bem organizada. Em regra, usa-se pratos/tábuas de madeira onde podem ser colocados juntos vários tipos de queijo. Há os anfitriões mais profissionais que preferem dividir as tábuas em “categorias” de queijos fortes, médios e suaves. Eu, particularmente, acho desnecessário, mas tudo, claro, vai depender da quantidade de convidados, do nível de conhecimento e exigência de cada um, do tema do evento, etc.
Mas independente disso, saibam que, na hora de comer, nada, nadica mesmo, de garfo. O queijo deve ser cortado em pedaços pequenos, colocado com a mão junto com pedacinhos de pão ou não, e levados à boca assim mesmo. Ah, e importantíssimo é ter aquele conjunto de facas especiais de corte de queijos. Isto sim deve ser observado! Para que não se misturem os sabores, aromas, é interessante manter cada faca específica para seu próprio queijo. Claro que isso é para o manuseio sobre as tábuas, já que o ideal mesmo é que os convidados tenham sua própria faquinha em seus pratos.queijos
Em relação à quantidade, obviamente, tudo dependerá do que vier depois. Se a noite for tão-somente de degustação de queijos, vinhos e pães, calcule uma média de 250 a 300g por pessoa. Se, porém, houver uma sopa de entrada ou algo assim, reduza em 50 g ou se os queijos servirem apenas como entrada para um jantar, algo mais corpulento, calcule uma média de 150 a 200g por pessoa. O ideal é comprá-los na véspera. A consistência deve ser “elástica” ao toque, sem soltar soro (aquela aguinha enralecida de queijo). Após adquiri-los, mantenha-os sob refrigeração e retire da geladeira 1 ou 2 horas antes de servir, para recuperar a textura e o sabor.
Quanto ao sabor e textura, temos o seguinte:
– Brie: macio e cremoso- Emmental: macio e ligeiramente picante- Gorgonzola: picante e cremoso- Gouda: muito suave e semimole- Gruyére: sabor de avelã e textura lisa- Provolone: massa dura, suave, tornando-se mais picante ao envelhecer- Roquefort: forte e picante, maturado em cavernas calcárias e úmidas

Vinhos

MELHOR VINHO…Por mais raro que seja, ou mais antigo,
Só um vinho é deveras excelente
Aquele que tu bebes, docemente,
Com teu mais velho e silencioso amigo.
Mário Quintana
Como falei, com queijos fortes os vinhos têm que ser mais fortes: branco e tinto secos ou champanhe/espumante brut, de preferência. Se possível, que os tintos sejam mais encorpados, tipo Bordeaux. Até porque, os conhecedores de vinhos dizem que um vinho mais encorpado, mesmo que seja não seja um vinho tão fino, valoriza muito mais o sabor de um bom queijo forte.
Para a escolha dos vinhos, sigam a seguinte orientação geral:Queijos suaves …………………………. vinhos tinto levesQueijos de gosto mais forte ………. vinhos tintos encorpados
Queijos picantes ………………………. vinhos brancos bem secos.
Mas é preciso alguns cuidados nessa escolha. Afinal nem todos os vinhos combinam com todos os queijos. Dizem os especialistas que algumas “parcerias” por aí podem até dar dor de cabeça, malestar. É o caso do parmesão. Queijos muito gordurosos como este são difíceis de digerir, e se misturamos com um vinho muito doce e de alto teor alcoólico, como o vinho do Porto, o efeito pode ser desastroso. Uma boa solução nesse caso é optar pelos vinhos tânicos (tânicos são aqueles que deixam a boca “apertando”, como se tivéssemos comido banana ou caqui verdes, caju. Esses vinhos têm mais tanino que os outros, por isso são chamados de tânicos).Em relação à quantidade, calcule uma média de 1/2 garrafa por pessoa. Os tintos devem estar entre 14 e 18ºC; os brancos entre 9 e 12ºC; e os espumantes entre 7 e 8ºC.
Vinhos brancos ácidos, elaborados com uvas como Sauvignon Blanc e Riesling, pedem queijos leves como o de leite de cabra e a mussarela de búfala. O Gouda e o Estepe ressaltam o sabor destes vinhosVinhos brancos encorpados, com alto teor alcoólico e acidez bem pronunciada, como os da uva Chardonnay, são bem cheios de personalidade e pedem queijos de paladar acentuado , como o Brie, o Camembert e o Cheddar.Vinhos Tinos Potentes e leves; são robustos, casando bem com queijos duros e de aroma forma como o Parmesão e o Pecorino. Adocicados, os queijos Gruyére e Emmental combinam com os tintos. Os derivados da uva Pinot Noir acompanham com maestria o Edam e o Estepe.

PãesAaaai aaaaai, os pães.. Vocês vão perceber nesse blog que “vos apresento” o quão carboidrática sou eu! Passo fácil dias, semanas, até meses, sem colocar uma proteínazinha na boca. Mas um pãaaaaaaozinho.. meuDeusdocéu, não vivo sem! E para esse menu, os pães são indispensáveis, não podende faltar numa mesa, não apenas pela ornamentação, mas pelo valor que, literalmente, agrega.Os pães devem ser servidos inteiros mesmo, para que sejam partidos com as mãos, proporcionando um ambiente ainda mais aconchegante.Para acompanhar o seu “queijos e vinhos” dê preferência ao pães não temperados, lembrando sempre que gosto é gosto e a liberdade vai de cada um.Mas posso sugerir que usem e abusem de baguete, pão italiano, pão preto, pão integral, de centeio, francês, preto, italiano, pão caseiro de diversos sabores e pão sueco (adoro!..rs). Torradas e bolachas salgadas também são ótimas para acompanhar os queijos mais cremosos.Uma quantidade indicada são 150g por pessoa, mas é claro que isso é sempre uma questão de “olho”. É no olhômetro mesmo que vamos perceber o que e quanto deve ir à mesa.
Bom, então é isso. Espero que tenham gostado das dicas e sugestões desse post. Apesar de ser importante observar algumas regrinhas, o legal é aproveitarmos o momentos e  não ficarmos presos a formalidades exageradas e nem preocuparmos em ser especialistas no tema. Levando em consideração o paladar, o bom-senso, e seguindo algumas orientaçõezinhas básicas, não há como errar!